Esterco, o trabalhador mágico

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1° de agosto de 2008, como parte do pacote de informações n° 84.

Original em inglês disponível em: http://scripts.farmradio.fm/radio-resource-packs/package-84/manure-the-magic-worker/.


Observações para as emissoras:

Secas e enchentes estão na ordem do dia. Elas são sinais significativos das mudanças climáticas. Os agricultores estão achando difícil escolher boas variedades de produtos adequados a essas mudanças climáticas. Este roteiro fornece uma solução geral para adaptar-se às mudanças climáticas. O esterco funciona para os produtos de maturação precoce e de maturação tardia. Ele retém água no solo quando há seca e remove o excesso quando há muita água no solo, pois ele torna o solo permeável. Este roteiro pode ser usado, portanto, em qualquer país e para qualquer produto, a fim de reduzir o efeito das mudanças climáticas.


Roteiro:

Vinheta de abertura.

Apresentador: Bem-vindo à Parada dos Agricultores. Neste programa, mostramos algumas das descobertas e conquistas maravilhosas dos pequenos agricultores africanos. Hoje, como de costume, eu, Gladson Makowa, apresento mais um programa.

Vinheta de abertura sobe e desce sob a voz do apresentador.

Apresentador: Você sabia que os agricultores são bons pesquisadores? Imagine como pode ser útil você mesmo descobrir algo na sua fazenda. Por que você não começa a pesquisar um dos assuntos transmitidos pelo rádio?

Pausa. Vinheta sobe e depois diminui sob a voz do apresentador.

Apresentador: A Story Workshop, uma organização de comunicação não governamental no Maláui, no seu projeto financiado pela União Europeia de 2002 a 2006, trabalhou em seis aldeias que foram chamadas de Jardins de Pesquisa Radiofônica. Cada aldeia escolheu uma questão de pesquisa para analisar o que eles ouviram no programa de rádio chamado Mwana Alirenji (Autossuficiência). Essa pesquisa era transmitida uma vez por mês. Hoje vamos ouvir algumas das descobertas de um desses Jardins de Pesquisa Radiofônica. Fique ligado para saber tudo sobre a magia do esterco!

Música tradicional gravada nas aldeias.

Apresentador: O término das chuvas quando produtos como milho ainda precisam de chuva não é um cenário raro hoje em dia. A aldeia de Msanjama, um dos Jardins de Pesquisa Radiofônica, descobriu uma magia maravilhosa para solucionar o problema dos períodos de seca. A aldeia de Msanjama fica no lado oeste do distrito de Mulanje, na Autoridade Tradicional de Juma. Como muitas aldeias do Maláui, muitos moradores são pobres. Muito poucos podem pagar por um saco de fertilizante inorgânico, que é caro. Para piorar a situação, Msanjama fica na sombra de chuva da Montanha Mulanje. Ela é a montanha mais alta do Maláui e a terceira mais alta da África. Muitas vezes, as chuvas param cedo, logo quando o milho está desenvolvendo as espigas, mas ainda não está maduro. Como se isso não bastasse, o solo é arenoso e perde rapidamente a umidade. Mas uma luz surgiu no fim do túnel, quando os moradores ouviram falar no rádio sobre uma substância mágica chamada esterco. Um colega agricultor estava dando um testemunho de quanto ele produz usando apenas esterco. Os agricultores não hesitaram em iniciar suas pesquisas, comparando o esterco com fertilizante inorgânico. Mas, no primeiro ano de pesquisas, o esterco não conseguia ganhar do fertilizante na produção. Foi um fiasco. (Pausa) O que deu errado? Você acha que o esterco pode ajudar mais a produção que os fertilizantes inorgânicos?

Música tradicional gravada nas aldeias.

Som ambiente da aldeia – animais à distância.

Chefe da aldeia: (com raiva, enquanto outro homem diz “sim” ao fundo) Sr. Presidente… ficou claro que o esterco é inútil para os agricultores. Devolva o canteiro que aluguei para fazer a pesquisa. Eu quero usar para outra coisa.

Presidente: Espere, chefe, espere…

Chefe: Espere! Espere! Esperar o quê? As dificuldades que passamos já não chegam, Sr. Presidente? Sra. Jumbe, a sra. queria comentar. O que a sra. gostaria de dizer?

Sra. Jumbe: Sim, chefe, é que…

Presidente: (interrompendo-a) Por favor, deem-me o benefício da dúvida. Vamos tentar o esterco mais uma vez. Precisamos de soluções que possam nos ajudar a combater as mudanças climáticas, que secam a nossa produção e prejudicam o nosso solo. (Protestos) Sr. Jumbe, por que o sr. apoia a ideia do chefe da aldeia de parar as pesquisas? Não foi o sr. que trouxe essa ideia?

Sr. Jumbe: Sim, fui eu. Eu fiquei cego com a conversa mole daquele agricultor no rádio.

Sra. Jumbe: (calma e sarcástica) Ei, o esterco é uma grande decepção. Primeiro, tínhamos plantas muito saudáveis, mas depois elas perderam a força. Mas lembrem-se de como foi com fertilizante inorgânio. Depois que usamos a segunda aplicação, foi tudo bem até a colheita.

Chefe: A sra. está certa, Sra. Jumbe. Primeiro, o esterco enganou, mesmo, como se fosse funcionar. Mas, infelizmente, ele não funcionou.

Presidente: Deixem-me falar uma coisa. Nós aplicamos fertilizante duas vezes, certo?

Todos: Sim.

Presidente: Por que não podemos também aplicar esterco duas vezes para igualar o jogo?

Silêncio total do grupo.

Sr. Jumbe: O que o sr. disse, Sr. Presidente?

Presidente: (calmo e enfático; as pessoas agora estão interessadas no que ele está dizendo) Lembrem-se de que nós aplicamos fertilizante duas vezes para que o milho tivesse bons resultados. Não podemos tentar aplicar esterco também duas vezes?

Sra. Jumbe: Eu acho que o Sr. Presidente teve uma boa ideia. Nós tivemos, de fato, plantas muito boas com esterco antes delas começarem a perder a força. Por que não podemos tentar aplicar esterco duas vezes, como fizemos com o fertilizante?

Pessoas: (muitos concordam) Sim, vamos tentar duas vezes.

Chefe: Bem, se todos concordam em tentar mais uma vez, vou deixar o jardim para o grupo de novo nesta estação.

Todos: (alguns riem, outros aplaudem, outros comentam) Esse é nosso corajoso chefe… Vamos cuidar para que dê certo desta vez.

Música tradicional gravada nas aldeias.

Apresentador: Os moradores da aldeia concordaram em aplicar esterco duas vezes durante a próxima estação de cultivo. Eles fizeram composto de esterco suficiente para duas aplicações, como o fertilizante. Eles dividiram a terra em dois canteiros, o lado do fertilizante e o lado do esterco. Eles fizeram a segunda aplicação de esterco e fertilizante no mesmo dia. As pessoas mal conseguiam dizer qual lado tinha fertilizante e qual tinha esterco.

Até que o impensável aconteceu. Quando o milho havia acabado de produzir as borlas e estava desenvolvendo as espigas, as chuvas pararam. O lado do fertilizante começou a mostrar falta de umidade. Ele murchou e morreu em seguida. O que aconteceu com o lado do esterco? Fique ligado.

Música tradicional gravada nas aldeias.

Som de milho descascado sendo separado e colocado em um balde.

Presidente: (alto) Aproximem-se, todos! Vamos comparar esterco e fertilizante inorgânico depois de uma competição justa.

Som de milho descascado sob o som de pessoas admirando um tipo de milho e comparando com o outro. Alguns culpam as chuvas.

Presidente: Vamos contar esses baldes de milho descascado da área onde aplicamos fertilizante. Sra. Jumbe, pode nos ajudar?

Todos: (som de milho caindo nos baldes) Um.. dois… três… quatro… cinco.

Sra. Jumbe: Agora, vamos contar da área onde aplicamos esterco. Um…

Todos: (som de milho caindo nos baldes) Dois… três… quatro… cinco… seis… sete… oito! (Todos riem e cantam) Esterco! Esterco! (e cantam) Você esfregou feijão na pele e vai ter irritação. (Nota do Editor: esta é uma canção do Maláui sobre uma variedade de feijão que irrita a pele das pessoas. É uma música muito conhecida no Maláui. Substitua por qualquer canção tradicional cantada quando o seu time de futebol azarão venceu o jogo.)

Presidente: (Tentando silenciá-los) Silêncio! Silêncio!

Sra. Jumbe: Sr. Jumbe, meu marido, veja como estão gordos e bonitos os grãos de milho do lado do esterco.

Todos: Riem e fazem barulho novamente.

Sr. Jumbe: (gritando a toda voz) Vocês têm sorte que as chuvas pararam antes do milho amadurecer. Não teria havido diferença na colheita entre os dois lados.

Todos: (riem e gritam) Aaaaaahhh!

Presidente: (também gritando) As chuvas não pararam só no lado do fertilizante. Ela também parou no lado do esterco. Não é verdade?

Todos: Sim! (cantam de novo) Esterco! Esterco!

Presidente: Isso quer dizer, mesmo sendo vocês achando que ele é inútil, o esterco melhora a qualidade do solo.

Todos: (murmuram).

Presidente: Esperem. O chefe da aldeia tem alguma coisa a dizer?

Enquanto o chefe entra, as pessoas aplaudem em homenagem.

Chefe: (eles cantam “sim” ao fundo, concordando com o que ele diz) Eu não tenho muito a dizer… Todos viram que, além de melhorar a produção, o esterco também retém a umidade. Vocês lembram como aplicamos o esterco? Na primeira aplicação, nós só espalhamos entre as bordas. Um balde de um galão cheio de esterco espalhado pelo terreno entre as bordas. Depois, na segunda aplicação, dois punhados cheios na base das plantas, cobertos com solo depois da segunda retirada das ervas. Façam isso nos seus jardins. Expulsem a fome da nossa aldeia!

Todos: Siiiiiiiim!

Música.

Apresentador: O esterco aumenta a fertilidade do solo e retém a umidade. Se você sofrer com os períodos de seca, o esterco mantém a produção forte. Elimine os efeitos colaterais das mudanças climáticas usando esterco. Lembre-se de que o lado que recebeu esterco não murchou da mesma forma que o outro lado. Não se esqueça de que você precisa compostar o esterco animal, misturando com resíduos de grama. O esterco compostado e bem decomposto não queima os produtos, mas sim libera todos os nutrientes necessários para a nossa produção e mantém a umidade no solo. Faça um teste. Os agricutores precisam ser inteligentes e determinados. Lembre-se de que nossos amigos não conseguiram atingir seu objetivo no primeiro ano. Mas eles não desistiram e tiveram a ideia de modificar o método. Eles decidiram aplicar esterco duas vezes. Não desista!

O que é preciso lembrar é que alguns tipos de esterco têm mais nutrientes que outros. O esterco compostado preparado com uma mistura de plantas fixadoras de nitrogênio, legumes como feijão fradinho ou folhas de feijão, folhas de amendoim, folhas e esterco animal é mais rico em nutrientes. Esterco de galinha, porco e coelhos contêm teor de nitrogênio mais alto que o esterco de bois e cabras. Não armazene esterco por muito tempo sem cobertura e exposto ao sol e à chuva antes do uso (mais de dois meses, por exemplo), pois o esterco perde alguns nutrientes com o passar do tempo. Para mais informações, pergunte a qualquer trabalhador agrícola ou a um colega agricultor que use esterco.

Vinheta de encerramento.

Apresentador: Chegamos ao final do programa de hoje, a Parada dos Agricultores. Até a terça-feira que vem, às seis e meia da tarde, nesta sua emissora MBC. Eu, Gladson Makowa, digo… a persistência vale a pena! Faça um teste com o esterco! Vença as mudanças climáticas.

Vinheta de encerramento sobe e desce.


Créditos:

Contribuição de Gladson Makowa, Story Workshop, Blantyre, Maláui.

Revisão: John FitzSimons, Professor Associado, Escola de Projetos Ambientais e Desenvolvimento Rural, Universidade de Guelph, Canadá.


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s