Experimentos participativos com adubação verde

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1º de janeiro de 1994, como parte do pacote de informações n° 31.

Original em inglês disponível em: http://scripts.farmradio.fm/radio-resource-packs/package-31/participatory-experiments-with-green-manure/.


Roteiro:

Da Guatemala – Você sabia…?

A Costa Boca de Sololá, na Guatemala, está localizada na base do vulcão de São Tomás. Os principais produtos da região são café e banana (800 a 1400 metros), milho e feijão. A terra de cultivo de milho é inclinada e a erosão do solo é um problema importante.

A produção de milho na região é pequena devido à baixa fertilidade do solo. Os canteiros da fazenda ficam longe da estrada, de forma que o uso de fertilizantes químicos não é prático nem econômico. Mas é possível cultivar plantas para adubação verde com milho, a fim de proteger o solo da erosão e agregar nitrogênio e matéria orgânica ao solo para aumentar a fertilidade do solo e a produção de milho.

A ADERSO é uma organização sem fins lucrativos da Guatemala que está fazendo testes com adubação verde nessa região, com a participação dos agricultores. A ADERSO trabalha com grupos de agricultores que escolhem dois a três membros do seu grupo para que sejam técnicos agrícolas locais. Esses técnicos recebem cursos de treinamento na ADERSO e retornam às suas comunidades para compartilhar o seu conhecimento com os grupos de agricultores. Assim, muitas pessoas podem ser treinadas com poucos funcionários.

Em 1992, grupos de agricultores de dez comunidades semearam testes de cinco tipos de plantas para adubação verde, a fim de determinar quais tipos crescem bem na região. Eles plantaram feijão da Flórida (Mucuna pruriens), alfafa (Medicago sativa), puerária (Pueraria phaseoloides), feijão de porco (Canavalia ensiformis) e crotalária (Crotalaria juncea). Eles anotaram informações sobre datas de germinação, taxa de crescimento, cobertura do solo, contribuição de nitrogênio e a quantidade de vegetação produzida. Os melhores resultados foram atingidos com crotalária, feijão da Flórida e feijão de porco, que se estabeleceram bem, cresceram rapidamente e forneceram melhor cobertura de solo que as outras plantas.


Da Costa Rica – Cercas vivas na Costa Rica

O uso de árvores ou arbustos vivos pode ser uma forma barata e eficaz de cercar o terreno. Existem grandes possibilidades de estender essa prática para lugares onde a madeira para postes é escassa e os materiais alternativos são caros. O Dr. Gerardo Budowski, que trabalha na Costa Rica, fez um estudo de cercas vivas e incentiva os agricultores a plantar árvores com esse propósito.

Uma forma de fazer uma cerca viva é cultivar árvores em fileiras e fixar arame farpado a elas. As árvores ou os arbustos podem ser cultivados tão próximos entre si que formam um obstáculo para os animais. É assim que os agricultores da Costa Rica e de outros países fazem.

As cercas vivas são muito populares na Costa Rica e existem milhares de quilômetros delas em todo o país. As cercas são fáceis de propagar-se. Ramos com dois anos de idade podem ser cortados e vendidos para que outros agricultores os plantem. As cercas vivas podem também ser usadas como lenha ou forragem. Algumas dão frutos e outras são plantas medicinais. O Dr. Budowski identificou 98 espécies diferentes de árvores e arbustos bons para cercas na Costa Rica. Existe uma cerca para cada propósito!

As cercas vivas podem ser cultivadas na maior parte das zonas ecológicas da Costa Rica, exceto as mais altas, onde ocorrem geadas. Ns planícies, existem vinte ou trinta espécies diferentes sendo utilizadas e que podem ser facilmente cultivadas a partir de mudas grandes.

A espécie mais comum é Gliciridia. Mas a espécie favorita do Dr. Budowski para cercas é o gênero Yucca. Ela é atraente, ornamental e todos os anos produz flores comestíveis que podem ser vendidas. Yucca pode também ser plantada em áreas onde há deslizamentos, pois as suas raízes agregam o solo. Yucca é facilmente propagada, ornamental e evita a erosão do solo. O que mais você pode pedir de uma árvore?


Fontes de informação:

Segmento da Guatemala:

Este segmento é baseado em uma palestra de Manuel Chox Cotiy e Barbara Naess, na Terceira Reunião Anual de Agricultores Orgânicos Centro-Americanos, 4-6 de dezembro de 1993, Coatepeque, El Salvador. Para mais informações sobre este projeto, entre em contato com: ADERSO a/c Helvetas 0 Calle 19 61 Zona 15 V. H. II Guatemala, Guatemala.

Segmento da Costa Rica:

Informações adicionais são disponíveis por meio de: Dr. Gerardo Budowski, Diretor do Programa de Recursos Naturais e Qualidade de Vida, Universidade para a Paz, Apartado Postal 199, Escazu, Costa Rica. Adaptado de The Farming World, roteiro n° 1628, British Broadcasting Corporation, Bush House, Strand, P. O. Box 76, Londres, Grã-Bretanha


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s