Questões de gênero e os programas agrícolas

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1º de dezembro de 2012, como parte do pacote de informações n° 95.

Original em inglês disponível em: http://scripts.farmradio.fm/radio-resource-packs/package-95-researching-and-producing-farmer-focused-programs/gender-and-farm-programs/.


Observações para as emissoras:

Este documento informativo apresenta aos radialistas o tema de gênero e igualdade de gênero. Ele fornecerá algumas definições úteis, fatos e estatísticas sobre as desigualdades entre homens e mulheres. Ele oferece orientações sobre formas de atingir homens e mulheres agricultoras, envolvê-los no seu programa e fornecer as informações de que eles e elas precisam. Ele também fornece uma lista de itens para verificação, para ter certeza de que o seu programa respeita todos os ouvintes, homens e mulheres. Por fim, este documento informativo incentiva você a refletir sobre igualdade de gêneros na sua emissora.


Roteiro:

Introdução:

As mulheres são responsáveis pela metade do trabalho agrícola na África subsaariana. Por isso, as mulheres provavelmente formam uma parte importante da sua audiência.

Existe uma boa possibilidade de que algumas das questões persistentes e enraizadas que afetam as mulheres agricultoras estejam relacionadas às desigualdades entre homens e mulheres. As mulheres podem não ter o direito à posse da terra, por exemplo, ou os seus maridos podem controlar como a renda da fazenda é gasta, mesmo com as mulheres fazendo grande parte do trabalho produtivo. Para melhor atender os seus ouvintes, você precisará abordar as questões mais importantes enfrentadas pelas mulheres agricultoras, bem como as enfrentadas pelos homens agricultores.

Vamos começar com algumas definições.

Principais definições:

O radialista muitas vezes precisa traduzir e adaptar palavras e frases para a linguagem local. Para fazer isso bem, é importante compreender esses termos antes de usá-los no ar. Existem algumas palavras e frases que aparecem repetidamente quando se fala sobre gênero. Nós fornecemos abaixo as definições de alguns deles.

Sexo: diferenças biológicas universais entre homens e mulheres. O sexo é algo com que você nasce.

Gênero: papéis e responsabilidades socialmente construídas de homens e mulheres, seus comportamentos e atitudes esperadas. Na maior parte do mundo, por exemplo, as mulheres fazem mais trabalho doméstico que os homens. Ao contrário do sexo, isso é algo que muda ao longo do tempo e entre as culturas.

Divisão de trabalho: esta expressão refere-se à forma em que o trabalho é dividido entre homens e mulheres em uma cultura ou sociedade específica e como o trabalho dos homens e das mulheres é valorizado. Geralmente, o trabalho dos homens é mais bem pago, considerado mais importante, mais propenso a ser regular e contado nas estatísticas nacionais. Por outro lado, o trabalho das mulheres tende a ser mal pago ou não receber pagamento, é considerado menos importante, sazonal, em tempo parcial e “invisível”.

Acesso e controle: estes dois conceitos são muito diferentes. Uma agricultora poderá, por exemplo, ter acesso à terra (ou seja, ela é capaz de cultivar a terra que pertence a outra pessoa), mas não ter o controle da terra (ou seja, ela não é dona da terra e não pode decidir como aquela terra é usada). Por isso, as mulheres podem ter acesso a recursos importantes, mas, sem o controle desses recursos, elas têm pouco poder nas decisões sobre eles.

Igualdade de gênero: com a igualdade de gênero, homens e mulheres têm direitos iguais e seus desejos e necessidades são considerados igualmente. Incentivar a igualdade de gênero inclui:

  • promover a participação igual de homens e mulheres na tomada de decisões;
  • apoiar as mulheres e meninas para que exerçam plenamente seus direitos; e
  • reduzir a distância entre o acesso, controle e benefícios de recursos por homens e mulheres.

Vamos agora falar de alguns fatos sobre a desigualdade de gêneros.

Fatos:

Os fatos e estatísticas abaixo fornecem um quadro claro das desigualdades entre homens e mulheres com relação à agricultura e meios de comunicação na África e em outras partes do mundo. Eles demonstram a grande necessidade de programas agrícolas no rádio que promovam a igualdade de gêneros.

Gênero e agricultura:

As mulheres que vivem nas áreas rurais e agrícolas possuem menos acesso e controle que os homens sobre os recursos necessários para a produção de alimentos e menos acesso a oportunidades de melhorar suas condições de vida. Esta diferença entre os gêneros é encontrada em muitas áreas: terra, trabalho, educação, extensão, serviços financeiros e tecnologia. Essa diferença prejudica não apenas as próprias mulheres, mas também o setor agrícola, a economia como um todo e a sociedade em geral. Eliminar a diferença de gêneros na agricultura beneficiaria em muito a sociedade e o setor agrícola. Se as mulheres tivessem o mesmo acesso aos recursos que os homens, por exemplo, elas poderiam aumentar a produção de suas fazendas em 20 a 30%.

Os meios de comunicação e as mulheres:

Um projeto de pesquisa recente encontrou as seguintes diferenças entre os gêneros nas matérias jornalísticas:

  • Apenas 24% das pessoas abordadas em notícias na imprensa escrita, rádio e televisão eram mulheres; 76% eram homens.
  • Apenas um em cada cinco especialistas entrevistados pelos meios de comunicação era uma mulher.
  • Apenas 37% das notícias veiculadas no rádio, televisão e nos jornais eram cobertas por mulheres repórteres.
  • Quase a metade (46%) das notícias reforçava estereótipos de gênero, enquanto apenas 6% questionavam esses estereótipos.
  • As mulheres eram quatro vezes mais propensas a serem identificadas pelos seus relacionamentos pessoais (por exemplo, como mãe, esposa etc.) que os homens.

As mulheres e as tecnologias de informação e comunicação (ICTs):

As novas ICTs, como a Internet, podem fornecer oportunidades para as mulheres, mas as mulheres nos países em desenvolvimento detêm acesso extremamente limitado a todas as formas de tecnologia. Algumas mulheres detêm a técnica de uso de ICTs, mas elas não são a maioria. Existe uma “divisão digital” significativa entre homens e mulheres. Como resultado, o ambiente online foi projetado, em grande parte, por e para os homens. Isso aumentou a divisão digital e a estereotipificação negativa das mulheres. É importante reconhecer e superar essa divisão digital, garantindo que as mulheres recebam treinamento técnico e treinem outras mulheres nessas técnicas.

Agora, está na hora de começar a pensar em gênero e o seu programa agrícola.

Gênero e o seu programa agrícola:

As seções abaixo destinam-se a ajudar você a planejar e produzir programas que abordem questões de gênero e atendam às mulheres agricultoras tão bem quanto aos homens agricultores.

Necessidades diferentes:

Homens e mulheres agricultoras frequentemente têm necessidades diferentes de informação e comunicação. Eles estão livres para ouvir rádio em diferentes horários do dia e podem ter diferentes preferências em termos de formato e conteúdo.

Quando você visitar comunidades de ouvintes para conduzir pesquisas de audiência, não deixe de falar com ouvintes homens e mulheres e observe as diferenças de suas preferências. Aqui estão algumas medidas que você pode tomar para garantir que o seu programa agrícola atenda às necessidades dos homens e das mulheres:

  • Tente alternar as suas matérias. Às vezes, você pode, por exemplo, concentrar-se em questões importantes para as mulheres agricultoras e, em outros momentos, concentrar-se em questões importantes para os homens. É claro que algumas questões são importantes para ambos, homens e mulheres agricultoras.
  • Os programas agrícolas deverão ser repetidos pelo menos uma vez por semana. Assegure-se de que uma ou mais das repetições do programa sejam transmitidas em horários que sejam convenientes para a audiência das mulheres.
  • Pense em toda a sua audiência durante a transmissão. Por exemplo, se um elemento do seu programa for de mais interesse para os homens, assegure-se de que o conteúdo seja respeitoso para as mulheres. E vice-versa.
  • Quando o seu programa concentrar-se em uma questão importante para os homens e para as mulheres, dedique-se a aprender as diferentes formas em que os homens e as mulheres são afetados pela questão e como eles podem reagir a ela. Se a questão for a queda da fertilidade do solo, por exemplo, homens e mulheres podem ter diferentes necessidades e soluções: os homens agricultores poderão comprar fertilizantes comerciais, enquanto as mulheres poderão preferir o plantio intercalado.

Um estudo sobre as mulheres e as rádios comunitárias na Libéria, Serra Leoa e Guiné encontrou muito poucas mulheres trabalhando no rádio. Em algumas emissoras, até os programas femininos eram apresentados por homens. As mulheres entrevistadas para o estudo afirmaram que mesmo os homens mais bem treinados não conseguiam “transmitir de forma que as mulheres pudessem receber bem”. O estudo concluiu que as mulheres têm muito interesse em política e economia, mas muitas vezes elas não ouvem nem participam de programas de rádio sobre essas questões porque os programas são dominados por homens especialistas e pelas opiniões dos homens.

O estudo concluiu que as mulheres querem participar das rádios comunitárias, mas as emissoras não incentivam efetivamente as mulheres durante os programas e existe falta de vozes femininas no ar. Muitas vezes, mesmo quando uma emissora transmite um programa feminino, ele adota interpretação estreita dos problemas das mulheres, concentrando-se apenas em casamento, cuidados com os filhos ou responsabilidades domésticas.

Parceria com organizações locais que se concentram no gênero:

Pode haver na sua região uma ONG ou organização comunitária que esteja trabalhando com comunidades locais para melhorar as vidas de mulheres rurais. Neste caso, poderá ser útil trabalhar com elas. A ONG poderá explicar o seu trabalho, ajudar você a entender melhor questões de gênero e agricultura na comunidade e fornecer ideias sobre como desenvolver questões sensíveis relativas a gênero para o seu programa.

Essas organizações poderão conhecer uma comunidade rural que tenha abordado com sucesso questões de igualdade de gênero e melhorado a vida das mulheres e homens agricultores. Exemplos como este podem gerar grandes programas de rádio. Ouvintes de outras comunidades podem ser incentivados a copiar ou adaptar a sua abordagem.

Organize reuniões com mulheres:

As mulheres são muito ocupadas. É útil saber onde as mulheres agricultoras se reúnem e quando elas podem falar. Você pode não conseguir reunir-se com elas por muito tempo e poderá precisar agendar uma reunião posterior se não tiver tempo de fazer todas as suas perguntas. As mulheres devem ser incentivadas a levar seus filhos com elas para a reunião. Isso permitirá que mais mulheres jovens compareçam.

Entreviste mulheres:

É altamente recomendado que você promova reuniões só de mulheres. Os maridos provavelmente não vão querer comparecer a essa reunião e as mulheres serão incentivadas a falar quando ouvirem outras mulheres falando. Isso pode resultar em discussões mais extensas e profundas.

Dependendo das práticas culturais e religiosas, entrevistar mulheres agricultoras individuais pode ser diferente de entrevistar homens agricultores.

Questões importantes a serem consideradas se você for um homem entrevistando uma mulher:

  • O marido precisa estar presente para a entrevista?
  • Você precisa de um acompanhante para realizar a entrevista?
  • O marido permitirá que sua esposa responda a questões sem que ele responda em nome dela?

Questões importantes a serem consideradas se você for uma mulher entrevistando outra mulher:

  • O marido precisa estar presente para a entrevista?
  • A mulher pode responder perguntas sem consultar o ponto de vista do marido?

Produção do programa:

A Rádio Rural Internacional preparou a lista de verificação sobre gênero abaixo, para ajudar a garantir que o seu programa tenha sensibilidade quanto às questões de gênero:

Lista de verificação sobre gênero para o seu programa:

Considere os pontos abaixo na produção do seu programa. Embora você não vá satisfazer todos esses pontos todo o tempo, se você abordá-los sempre que puder, isso ajudará a garantir que as vozes e os pontos de vista dos homens e das mulheres sejam adequadamente apresentados.

  • As mulheres e os homens estão representados?
  • As funções principais de produção e transmissão estão abertas tanto para os homens quanto para as mulheres?
  • Se o produtor do programa for homem, existem mulheres associadas à produção que podem levar suas vozes para as questões de produção (e vice-versa)?
  • Se o apresentador do programa for homem, outras funções importantes da transmissão são ocupadas por mulheres (e vice-versa)?
  • O seu programa dedica tempo igual e justo para as vozes e questões dos homens e das mulheres?
  • As mulheres que você entrevista representam toda a série de classes e culturas? Se você entrevistar uma mulher de um grupo étnico na sua região, por exemplo, considere destacar os pontos de vista de mulheres de outros grupos étnicos.
  • Algumas mulheres (e alguns homens) são difíceis de se encontrar porque moram em áreas remotas. Você programou ter acesso a essas pessoas para que as suas histórias possam ser contadas?

Representação de homens e mulheres:

  • O seu programa reflete uma visão global e realista de homens e mulheres? Homens e mulheres aparecem em uma série total de atividades (por exemplo, não apenas em papéis domésticos se forem mulheres)?
  • Todas as pessoas são tratadas com dignidade nos programas que você produz?
  • As suas matérias e o seu programa final desafiam os estereótipos de gênero? Você representa, por exemplo, as mulheres como tendo múltiplos papéis na sociedade e não apenas como mães, esposas ou filhas?
  • As experiências e preocupações das mulheres são tratadas com seriedade? Elas são apresentadas com a mesma importância das experiências e preocupações dos homens?

Linguagem:

  • Você usa linguagem que seja inclusiva para homens e mulheres? Por exemplo, em vez de “os homens”, use “humanidade”. Em vez de “feito pelo homem”, use “fabricado”. Em vez de “guarda”, use “policial”. Você já encontrou ou criou palavras na sua linguagem que sejam inclusivas para homens e mulheres?
  • Você evita adjetivos que sejam irrelevantes ou reforcem estereótipos de gênero? Às vezes, por exemplo, redatores ou apresentadores de rádio descrevem mulheres como “belas” ou “atraentes” quando a aparência física das mulheres não tem nada a ver com a notícia. Homens são tipicamente descritos como “trabalhadores” ou “bem sucedidos”. Esses estereótipos valorizam os homens apenas pelo que eles conseguem e valorizam as mulheres apenas como objetos de desejo. Tanto homens quanto mulheres merecem mais do que isso no seu programa de rádio!

Antes de encerrar, é hora de pensar sobre a igualdade de gêneros na sua emissora.

Na sua emissora:

Nós nos concentramos principalmente em como o seu programa de rádio pode atender a homens e mulheres de forma que respeite os dois gêneros e suas necessidades. Também é importante que você pense em como as questões de gênero são abordadas na sua emissora de rádio.

Algumas questões que você poderá estudar são:

  • Quantos homens e quantas mulheres trabalham na sua emissora de rádio? Por que poderá haver mais homens ou mais mulheres?
  • Existem certos cargos mais propensos a serem ocupados por homens ou por mulheres? Por quê? Isso deve permanecer dessa forma?
  • As mulheres têm oportunidade de fazer todo o trabalho importante e interessante na sua emissora? Em caso negativo, por que não e quais etapas podem ser tomadas para aumentar a igualdade de gênero na sua emissora?
  • A sua emissora tem uma política declarada que expresse o seu apoio à igualdade de gênero, tanto nas práticas de trabalho quanto na sua programação? Em caso negativo, por que não e quais medidas podem ser tomadas para melhorar isso?
  • Como você e os seus colegas podem tornar o seu ambiente de trabalho diário um local mais igualitário para homens e mulheres?

Algumas mulheres trabalham nos meios de comunicação, mas poucas ocupam cargos de tomada de decisões ou que necessitem de conhecimentos técnicos. As mulheres também deverão ser representadas na propriedade e em organismos de tomada de decisões, como comitês consultivos ou de diretoria, para garantir que elas tenham voz significativa na elaboração das políticas da emissora.

As práticas a seguir ajudarão a aumentar a participação das mulheres nas emissoras de rádio:

  • Introduzir assistência às crianças, horários de trabalho flexíveis e esquemas de transmissão que se adaptem às outras responsabilidades das mulheres.
  • Criar ambiente de apoio na emisora e em volta dela, incluindo formas de proteção de mulheres contra abuso sexual e tolerância zero para violações da dignidade das mulheres.
  • Garantir segurança e iluminação adequadas na emissora durante os horários de reunião e de transmissão, bem como transporte seguro para as mulheres que precisam viajar de e para a emissora, particularmente à noite e em feriados.

Para incentivar a igualdade de gênero na emissora e garantir às mulheres o acesso às ondas do rádio, é importante que as mulheres recebam treinamento técnico e tenham a oportunidade de produzir programas.

Por fim, o rádio fornece a oportunidade de:

  • contribuir com a resolução da desigualdade de gêneros;
  • aumentar o envolvimento das mulheres em todos os níveis de programação e tomada de decisões;
  • garantir que as vozes e as preocupações das mulheres sejam parte da agenda noticiosa diária;
  • garantir que as mulheres sejam representadas positivamente no ar como membros ativos da sociedade; e
  • apoiar as mulheres para que consigam o conhecimento técnico e a confiança para controlar suas próprias comunicações.

Você pode descobrir que, abordando a igualdade de gêneros na sua emissora todos os dias, será natural para você incluí-la de forma confortável, regular e eficiente nos seus programas de rádio.


Créditos:

Contribuição de Vijay Cuddeford, Editor Gerente, Rádio Rural Internacional, com base em um documento de Blythe McKay, Gerente, Recursos para Radialistas, Rádio Rural Internacional.

Revisão: Doug Ward, Presidente, Rádio Rural Internacional; Kevin Perkins, Diretor Executivo, Rádio Rural Internacional; Jessica Tomlin, Diretora Executiva, Match International; Katherin Im-Jenkins, Gerente Sênior, Programas e Desenvolvimento de Programas, World University Services Canada.

Projeto realizado com apoio financeiro do Governo do Canadá, fornecido por meio da Agência Canadense para o Desenvolvimento Internacional (CIDA).


Fontes de informação:

Organização para a Agricultura e Alimentação das Nações Unidas (FAO), sem data. Men and women in agriculture: closing the gap. http://www.fao.org/sofa/gender/key-facts/en/

Associação Mundial de Comunicações (WACC), 2010. Who makes the news? http://www.medinstgenderstudies.org/wp-content/uploads/highlights_en.pdf

Search for Common Ground, 2011. Community Radio, Gender and ICTs in West Africa. http://www.radiopeaceafrica.org/assets/texts/pdf/2012-Community-Radio-Gender-ICT_SFCG.pdf


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s