Agricultores do norte de Gana adotam técnicas de armazenagem de legumes e verduras com energia zero, favoráveis ao meio ambiente

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 20 de março de 2017, como parte do pacote de informações n° 106.

Original em inglês disponível em: http://scripts.farmradio.fm/radio-resource-packs/106-farm-radio-resource-pack/farmers-adopt-eco-friendly-zero-energy-storage-technique-vegetables-northern-ghana/.


Observações para as emissoras:

Os pequenos agricultores africanos produzem até 80% dos alimentos dos seus países. Em Gana, o setor agrícola representa cerca de um terço do Produto Interno Bruto e é responsável pela maior parte dos empregos do país.

Mas, em muitas áreas rurais remotas de Gana, cortes de luz frequentes e falta de acesso à eletricidade podem tornar a armazenagem pós-colheita de legumes, verduras e outros produtos um desafio incrível, especialmente devido ao clima tropical do país. Isso significa que as sobras de produção estragam-se antes de poderem ser vendidas no mercado no dia seguinte, o que contribui com o desperdício de alimentos e a insegurança alimentar, além de representar perda de receita.

Por isso, as tecnologias de armazenagem pós-colheita que não dependem de eletricidade são algumas das formas mais confiáveis e sustentáveis de aumentar a vida útil de verduras, legumes e outros produtos em Gana, contribuindo com a segurança alimentar e aumento da renda.

Este roteiro examina a Câmara de Refrigeração com Energia Zero (ZECC), uma tecnologia ideal para pequenos agricultores e comunidades rurais remotas.

Você poderá desejar apresentar este roteiro como parte do seu programa agrícola regular, utilizando vozes de atores para representar o Apresentador 1, Apresentador 2, Agricultora 1 e Agricultora 2. Se você quiser adaptar o roteiro para melhor adequá-lo à sua comunidade e à sua região, utilize entrevistas com agricultores e especialistas da sua própria comunidade.

Você poderá também utilizar este roteiro como material de pesquisa ou como inspiração para criar o seu próprio programa sobre tecnologias pós-colheita e soluções de energia zero para armazenar produtos na sua própria região ou país.

Como? Falando com especialistas em tecnologia pós-colheita ou com agricultores que utilizam tecnologias favoráveis para o meio ambiente, talvez até Câmaras de Refrigeração de Energia Zero. Você poderá perguntar a eles:

  • Quais são os principais desafios da armazenagem pós-colheita na sua região?
  • Quais soluções os produtores de verduras e legumes e outros especialistas encontraram para esses desafios?
  • Quais são as suas experiências com tecnologias de energia zero?
  • Você utilizou, adaptou ou alterou a ZECC de alguma forma, talvez usando tijolos sob medida ou materiais locais?

Além de falar diretamente com agricultores e outros especialistas da sua região ou comunidade agrícola, você poderá usar essas questões como base para um programa de chamadas telefônicas ou mensagens de texto.

O tempo estimado de condução é de 20 a 25 minutos, incluindo a introdução e o encerramento.


Roteiro:

Apresentador 1: Olá, ouvinte! No programa de hoje, vamos discutir uma tecnologia de pós-colheita muito simples e amiga do meio ambiente que os agricultores do norte de Gana vêm utilizando para armazenar os seus produtos frescos. É uma tecnologia desenvolvida originalmente na Índia e levada para Gana pelo Centro Mundial de Legumes e Verduras. Trabalhando com a engenheira alimentar e de pós-colheita Linda Dari, da Universidade de Estudos para o Desenvolvimento, o Centro vem ensinando os agricultoes e construindo locais de demonstração para a tecnologia nas regiões norte e nordeste do país.

Neste programa, vamos aprender sobre a tecnologia e saber como duas mulheres da área rural de Bunglung, no distrito de Savelugu, perto de Tamale, tornaram-se líderes comunitárias depois de aprender como construí-la e utilizá-la.

Apresentador 2: Olá, ouvinte! Afnal, qual é essa tecnologia de armazenagem pós-colheita? (Pausa) Ela é chamada de Câmara de Refrigeração de Energia Zero, ou ZECC, a sigla em inglês. Ela aumenta a vida útil e a qualidade de verduras e legumes, mantendo-os em ambiente frio dentro da câmara. A câmara é uma estrutura simples de areia e tijolos, fácil de construir e conservar.

Apresentador 1: A comunidade de Bunglung, em Savelugu, acabou de construir sozinha uma dessas câmaras de refrigeração! Vinte pessoas usam essa nova câmara, das quais apenas duas são mulheres: Rahinati Alhassan a Nafisa Alhassan, as duas com quarenta anos de idade. Essas duas senhoras são um exemplo para a sua comunidade.

Apresentador 2: De fato, desde que começamos a usar a câmara de refrigeração, Rahinati e Nafisa expandiram suas fazendas e venderam mais legumes e verduras no mercado. Elas também vêm compartilhando o seu conhecimento, ensinando outras mulheres da comunidade sobre a câmara de refrigeração. Mas, antes de falarmos sobre como fazer a câmara de refrigeração, vamos ouvir as palavras das próprias agricultoras.

Sons de fazenda e comunidade por alguns segundos, que depois diminui sob as pessoas

Agricultora 1: Estamos na comunidade rural de Bunglung. Cerca de vinte de nós usam a câmara de refrigeração para armazenar frutas, verduras, legumes e grãos, mas só nós duas somos mulheres. Nós compensamos isso transmitindo nosso conhecimento para outras mulheres da comunidade.

Agricultora 2: As mulheres nos procuram e nós respondemos assim: antes de aprender esta nova tecnologia, nós não sabíamos que podíamos armazenar tomates por até duas semanas. Quando íamos para o mercado vender nossos tomates, nós trazíamos de volta o que não podíamos vender e eles estragavam em poucos dias. Então tínhamos que jogar fora.

Agricultora 1: Mas agora nós armazenamos os produtos não vendidos na câmara de refrigeração, podemos vendê-los no próximo dia de mercado e ele ainda parece novo. Incrível, não? O mercado abre uma vez por semana e podemos levar o mesmo tomate para o mercado uma semana depois.

Agricultora 2: No início, nós estávamos relutantes em começar a produção de legumes e verduras porque não tínhamos um lugar para armazenar os produtos. Mas, desde que aprendemos sobre a câmara de refrigeração, nós expandimos as nossas fazendas. Antes, eu só usava meio acre de terra e não vendia produtos no mercado. Eu costumava apenas alimentar a minha própria família e a mim mesma, ou vender dentro da comunidade. Mas agora eu cultivo dois acres da minha terra: um acre com feijão fradinho e um acre com uma mistura de legumes e verduras.

Agricultora 1: O mesmo aconteceu comigo. Agora que eu posso armazenar produtos frescos, expandi o meu plantio, já que posso vender no mercado e ganhar dinheiro. Isso trouxe a minha independência. Agora, quando meus filhos vêm da escola para casa e pedem dinheiro, eu não preciso pedir para outras pessoas. Eu posso dar dinheiro para elas irem para a escola.

Som de crianças falando e rindo ao fundo, diminuindo lentamente

Agricultora 2: Nós aprendemos em um treinamento como construir e usar uma Câmara de Refrigeração de Energia Zero para armazenar legumes e verduras. Quando voltamos do treinamento, as mulheres nos perguntaram o que havíamos aprendido. E nós tínhamos o conhecimento e a coragem de transmitir as informações.

Agricultora 1: É verdade, nós até trouxemos as mulheres para ver com seus próprios olhos a aparência da câmara e exatamente como armazenar os legumes e verduras. Outras mulheres estavam perguntando como elas podiam entrar no grupo de pessoas que usavam a câmara de refrigeração comunitária. Nós falamos com elas e mostramos como construir a câmara. É assim que transmitimos as informações, boca a boca.

Agricultora 2: Nós dissemos às outras mulheres que elas podiam usar a câmara de refrigeração para armazenar os seus tomates e outros legumes e verduras. E foi asim que elas começaram a usar a câmara para armazenar a sua produção.

Agricultora 1: Olhando para o futuro, o plano é construir uma segunda câmara, ou até mais. As câmaras de refrigeração podem ser construídas de forma privada para uma residência ou no centro da comunidade, como a primeira, para uso de todos. Estamos animadas para construir mais e continuar aproveitando essa tecnologia de pós-colheita.

Sons da comunidade e de pessoas falando, diminuindo lentamente sob o apresentador

Apresentador 1: Bem, ouvinte, estamos de volta. Se você acabou de ligar o rádio, estamos discutindo uma tecnologia de armazenagem pós-colheita do Centro Mundial de Legumes e Verduras, chamada Câmara de Refrigeração de Energia Zero, que está sendo utilizada no norte de Gana.

Como você ouviu, essas câmaras de refrigeração apresentam muitos benefícios diretos para aqueles que as utilizam. A construção das câmaras é fácil e barata. Elas são amigas do meio ambiente porque não precisam de eletricidade. E elas prolongam a vida útil de verduras, legumes e outros produtos frescos. Isso permite aos agricultores aumentar o seu plantio e investir mais tempo na comercialização. Ela pode gerar mais renda e independência financeira para homens e mulheres, agricultores e comerciantes.

Apresentador 2: Então, provavelmente você está se perguntando: como uma câmara fria que não usa eletricidade aumenta a vida útil e a qualidade das verduras e legumes? Vamos falar sobre alguns dos detalhes técnicos.

Apresentador 1: É importante observar que, em Gana, essas câmaras de refrigeração funcionam melhor na região norte, onde a umidade é relativamente baixa e a queda da temperatura do dia para a noite é maior que no sul do país. As regiões costeiras têm alta umidade e é melhor construir essas câmaras nas regiões mais secas. Também é melhor colocar a câmara em um local onde o vento possa alcançá-la e ajudar no processo de resfriamento.

Apresentador 2: A ideia básica é que a manutenção dos legumes e verduras em ambiente fresco aumenta a sua qualidade e vida útil. É exatamente isso que fazem essas Câmaras de Refrigeração de Energia Zero. As câmaras funcionam com base em princípios de refrigeração que garantem que a temperatura seja mais baixa dentro da câmara que fora. A câmara é uma estrutura simples de areia e tijolos. Ela tem uma parede de tijolos dupla e o espaço entre as duas paredes é cheio de areia, que é mantida umedecida quando a câmara está em uso.

Apresentador 1: O espaço é pequeno, cerca de quatro dedos ou sete a oito centímetros, entre essas duas paredes de tijolos. Você precisa encher o pequeno espaço entre as duas paredes de tijolos com areia. E você precisa umedecer essa areia algumas vezes por dia para fornecer umidade de resfriamento. O ideal é umedecer duas a três vezes por dia.

É só isso: tijolos, areia e um pouco de água. Use preferencialmente tijolos de argila cozida, mas tijolos de argila e barro misturados localmente também funcionam. Se nada mais estiver disponível, tijolos simples de barro também servem. E um galpão para evitar a luz do sol direta sobre a câmara.

Apresentador 2: Os materiais necessários para construir a câmara de refrigeração são muito simples e obtidos facilmente. A câmara pode durar anos, o que a torna muito econômica. A quantidade exata de material necessária depende do tamanho da câmara, mas nós damos dois exemplos.

Apresentador 1: Na comunidade de Bunglung, onde vivem as duas agricultoras, foi construída uma câmara pelo Centro Mundial de Legumes e Verduras com cerca de 400 tijolos. É uma câmara de tamanho médio e dois engradados muito grandes de produtos cabem dentro dela. A câmara tem 170 centímetros de comprimento por 170 centímetros de largura. Ela tem 60 centímetros de altura. Para dar uma ideia melhor, 170 centímetros é mais ou menos a altura de uma pessoa média, da cabeça até os pés. A altura da câmara, de sessenta centímetros, é mais ou menos a distância do chão até o seu joelho.

Apresentador 2: Você poderá também construir uma câmara de refrigeração maior que pode receber até seis engradados de legumes e verduras, ou até 120 kg de produtos. Você vai precisar de cerca de 800 a mil tijolos para isso. Essa câmara vai terminar com 150 centímetros de largura, 215 centímetros de comprimento e também com cerca de 60 centímetros de altura. Mas você pode adaptar o tamanho da câmara com base no espaço e no material disponível. Apenas verifique se há tijolos suficientes!

Apresentador 1: Antes de entrar nas instruções exatas, é importante discutir como preparar o local onde será construída a câmara. A câmara de Rahinati e Nafisa foi construída em um galpão para fornecer sombra. Mas você não precisa construir um galpão se a sua câmara ficar embaixo de uma árvore. As árvores fornecem sombra natural.

Apresentador 2: Você também deverá verificar se o local está limpo e longe de entulho, para mantê-lo protegido contra pragas e doenças. Tente também garantir que a câmara fique perto de uma fonte de água, para maior conveniência. Se isso não for possível, deve haver água disponível para o funcionamento eficiente da câmara de refrigeração.

Você também precisa garantir que o solo seja o mais plano possível. Nivele o solo com um ancinho e retire qualquer sujeira. Depois adicione uma camada de areia e deixe-a plana. Essa superfície plana será a base da câmara e vai ajudar com a drenagem.

Apresentador 1: Sobre esta camada de areia, você vai construir um piso de tijolos. Este será o piso da câmara. O piso de tijolos precisa ser dois tijolos mais largo e mais longo que a própria câmara. Você vai construir a câmara sobre essa base. Para fazer o piso de tijolos, marque as dimensões da sua câmara de refrigeração, preferencialmente com uma fita métrica.

Apresentador 2: A comunidade de Rahinati e Nafisa não tinha fita métrica e eles colocaram dois grandes engradados vazios sobre o piso e tijolos nos cantos dos engradados para mostrar onde começariam as paredes. Este é um bom método se você não tiver uma corda ou fita métrica.

Apresentador 1: Agora é a hora de fazer as paredes. Comece construindo a parede interna. Construa a parede a cerca de quatro dedos, ou cerca de sete a oito centímetros de distância dos engradados dentro da câmara. Coloque os tijolos uns sobre os outros em um método de sobreposição, exatamente como você construiria uma parede ou uma casa, mas não precisa de cimento.

Apresentador 2: Quando você tiver a parede interna, meça cerca de quatro dedos ou sete a oito centímetros. É ali que você vai construir a parede externa. Ao mesmo tempo que você constrói a parede externa, não deixe de encher o espaço entre as duas paredes com areia. A areia precisa ter a altura das paredes que a rodeiam. É mais fácil adicionar continuamente a areia enquanto você constrói a parede externa, em vez de tentar preencher o espaço entre as duas paredes terminadas mais tarde. Por quê? Porque, enchendo o espaço enquanto constrói, você garante que a areia entre as duas paredes seja distribuída de forma homogênea. Quando você umedecer a areia mais tarde, ela estará na mesma profundidade em todos os pontos entre as paredes.

Apresentador 1: Repetindo: coloque dois engradados no meio da câmara. Construa a parede interna a uma distância de cerca de quatro dedos dos engradados e a parede externa a uma distância de cerca de quatro dedos da parede interna.

Apresentador 2: E encha os engradados com legumes para saber até que altura devem ser construídas as duas paredes! Como dissemos, também é útil regar a areia entre as duas paredes durante a construção. Isso ajuda a assentar a areia. A parede interna pode ser uma camada de tijolos mais alta que a parede externa, mas isso é opcional.

Apresentador 1: Por fim, a última etapa é escolher um material conveniente para cobrir a câmara. Você pode usar um pano de juta ou cânhamo ou folhas de plástico sobre a câmara interna e cobrir a câmara externa com uma esteira de ráfia tecida para ajudar no processo de resfriamento. Se a câmara não estiver sob uma árvore, você vai precisar construir um galpão para fornecer sombra.

Apresentador 2: Lembre-se: quando usar a câmara de refrigeração, você deverá aplicar água à areia pelo menos duas vezes por dia, mas idealmente três vezes por dia para refrigeração efetiva.

Apresentador 1: Três. Isso não é muito complicado. Para resumir em seis etapas, a forma mais fácil de construir uma Câmara de Refrigeração de Energia Zero no seu quintal ou comunidade é a seguinte:

  1. Pegue um local limpo e com sombra natural, longe de pragas e depósitos de refugos.
  2. Adicione areia, aplaine a superfície e coloque uma camada de tijolos para a fundação.
  3. Coloque dois ou três engradados de legumes grandes no meio dessa fundação.
  4. Construa a parede interna com a distância aproximada de quatro dedos, ou sete a oito centímetros dos engradados.
  5. Construa a parede externa com espaçamento aproximado de quatro dedos, ou sete a oito centímetros da parede inerna. Não deixe de encher o espaço entre as duas paredes com areia à medida que você constrói.
  6. Por fim, depois de terminar de construir as paredes, cubra adequadamente o topo da câmara. Molhe a areia entre as paredes três vezes por dia.

Apresentador 2: Vamos agora ouvir essas instruções nas vozes das duas agricultoras.

Sons de fazenda e comunidade por alguns segundos, que depois diminuem sob as pessoas

Agricultora 1: Na nossa comunidade, a Câmara de Refrigeração de Energia Zero fica bem no meio da aldeia. Ela é facilmente acessível e uma das melhores partes é que não precisa de muita manutenção. Tudo o que precisamos fazer é manter a câmara limpa e bem vedada para evitar a entrada de animais.

Agricultora 2: Ela é muito conveniente. Você basicamente tem um refrigerador local sem precisar usar energia nem materiais caros. O transporte de tijolos de argila cozida do sul, por exemplo, teria sido caro. Por isso, nossa engenheira especialista Linda Dari fez experiências com tijolos feitos sob medida, usando uma combinação de argila e solo de formigueiro. Os nossos são uma mistura de metade de argila e metade de solo de formigueiro. Então experimente, adapte-se ao que estiver disponível localmente para você e seja criativo.

Agricultora 1: Na primeira vez em que coloquei a mão dentro da câmara, foi uma sensação muito surpreendente. Ela estava mesmo fresca, mesmo estando muito quente no lado de fora. A diferença exata entre a temperatura interna e externa varia, mas a diferença feita pela câmara na armazenagem pós-colheita é muito óbvia.

Agricultora 2: O tomate, por exemplo. Armazenado à temperatura ambiente, a vida útil do tomate normalmente é de sete a nove dias. A Câmara de Refrigeração de Energia Zero quase dobrou esse prazo! É verdade! Na câmara, chega perto de doze a quinze dias. Berinjelas e pepinos, que normalmente duram só dois dias à temperatura ambiente, agora podem ficar frescos por quatro dias. E estes são apenas alguns exemplos de muitos.

Agricultora 1: Nós, mulheres, muitas vezes vendemos e comercializamos mais do que cultivamos, mas essas câmaras nos ajudaram a fazer as duas coisas. Nós só fazemos agricultura em pequena escala na nossa comunidade (dois acres cada uma), mas realmente é o ideal para essas câmaras. Então, ela ajuda pequenas agricultoras como nós.

Agricultora 2: Claro! Nós recomendamos!

Sons de conversa e da comunidade por alguns segundos, que depois diminuem sob as pessoas

Apresentador 1: Voltamos, amigo ouvinte! Como você ouviu, essas câmaras de refrigeração são amigas do meio ambiente e de fácil construção.

Apresentador 2: Isso mesmo! Essencialmente, elas são refrigeradores localizados, como diz a engenheira especialista, a Sra. Dari. Mas vamos ouvir dela um pouco mais sobre isso.

Linda Dari: Olá, ouvinte! Sou engenheira alimentar e de pós-colheita da Universidade de Estudos para o Desenvolvimento e construí locais de demonstração de Câmaras de Refrigeração de Energia Zero nas regiões norte e nordeste de Gana, em colaboração com o Centro Mundial de Legumes e Verduras. Como mencionaram os seus apresentadores, essas câmaras são essencialmente refrigeradores localizados que não consomem energia.

Apresentador 2: Hmm, mas o que isso significa?

Linda Dari: Isso significa que essas câmaras funcionam como refrigeradores de construção local que não precisam de energia. É uma forma econômica de garantir que o tomate possa chegar ao mercado com qualidade superior mesmo uma semana depois da colheita, o que gera menos resíduo e produtos de melhor qualidade. Isso melhora as condições de vida e a segurança alimentar de todos os envolvidos na cadeia de valor, desde a fazenda, passando pelo mercado e até o comprador.

Apresentador 1: Muito bem! Vou planejar construir uma no meu quintal! (Os dois riem)

Apresentador 2: Eu também!

Linda Dari: Boa ideia! As pesquisas ainda estão em andamento e, à medida que as comunidades trabalham com materiais disponíveis localmente, a tecnologia é aprimorada. É por isso que eu sempre recomendo que as comunidades usem materiais que são disponíveis localmente para construir as câmaras de refrigeração. O segredo é usar o que funciona melhor para elas.

Apresentador 1: Isso também quer dizer então que a tecnologia é sustentável e facilmente transmitida para outras comunidades rurais?

Linda Dari: Claro! Na verdade, depois de construir essas câmaras de refrigeração com agricultores nas suas comunidades, muitos agricultores agora sabem como fazer tudo sozinhos. Isso quer dizer que o conhecimento se espalhou e foi transmitido, muitas vezes de boca a boca entre os agricultores.

Apresentador 2: Excelente! (Pausa) Bem, ouvinte, isso é tudo por hoje. Obrigado por ouvir nosso programa sobre Câmaras de Refrigeração de Energia Zero. Esperamos que você tenha achado informativo e útil. Boa sorte na construção da sua câmara!

Apresentador 1: Obrigado pela sua atenção. Até a próxima!

zeroenergycolour


Créditos:

Contribuição de Anaïs Voski, estagiária de Jornalismo, Universidade de Carleton, Ottawa, Canadá.

Revisão: Eng. Linda Dari, engenheira alimentar e de pós-colheita, Universidade de Estudos do Desenvolvimento, consultora e parceira do Centro Mundial de Legumes e Verduras, e Ngoni Nenguwo, especialista em pós-colheita, Centro Mundial de Legumes e Verduras.

Ilustrações de Rebecca Jane Houston.


Fontes de informação:

Entrevistas:

  • Eng. Linda Dari, engenheira alimentar e de pós-colheita, Universidade de Estudos do Desenvolvimento, consultora e parceira do Centro Mundial de Legumes e Verduras, 21 de dezembro de 2016.
  • Rhinati Alhassan, comerciante/agricultora, 21 de dezembro de 2016.
  • Nafisa Alhassan, comerciante/agricultora, 21 de dezembro de 2016.
  • Aliu Sayilou, agricultor, 21 de dezembro de 2016.
  • Mohamud Sayilou, agricultor, 21 de dezembro de 2016.

Documentos:

Centro Mundial de Legumes e Verduras/USAID: Postharvest Technology Brochure 2 – Constructing a Zero Energy Cooling Chamber.

http://avrdc.org/zeccs-keeping-cool/.

Este roteiro foi criado com o apoio do Centro Mundial de Legumes e Verduras, que recebeu apoio do Escritório de Segurança Alimentar do USAID.

Projeto realizado com apoio financeiro do Governo do Canadá por meio da Global Affairs Canada (GAC).


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s