Como administrar um empréstimo

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1° de julho de 1998, como parte do pacote de informações n° 49.

Original em inglês disponível em: http://scripts.farmradio.fm/radio-resource-packs/package-49-the-power-of-co-operatives/learning-to-manage-a-loan/.


Observações para as emissoras:

Os números deste roteiro são indicados em dólares. Favor inserir números apropriados em moeda local ao usar este roteiro.


Roteiro:

Narrador: Hoje vamos ouvir a história de uma mulher que recebeu um empréstimo para começar um pequeno negócio vendendo arroz. Durante o programa, vamos ouvir a mulher, Adina, e o funcionário de empréstimos que ajudou Adina a conseguir o seu empréstimo.

Sons rurais (animais, mercado etc.)

Adina: Olá. Sou Adina. Tenho 28 anos de idade. Sou casada e tenho quatro filhos. Meu marido e eu trabalhamos em uma grande fazenda de arroz às margens da estrada. Há cerca de um ano, comecei a pensar na ideia de cultivar e vender o meu próprio arroz – em outras palavras, começar o meu próprio pequeno negócio. É claro que eu poderia também usar um pouco do arroz para alimentar minha família. Nós seríamos mais autossuficientes. O arroz é um produto importante para nós. Havia um pequeno pedaço de terra sem uso na casa da minha mãe. Mas eu não tinha dinheiro para comprar as sementes. Eu pedi um empréstimo a um banco pequeno que empresta dinheiro para negócios muito pequenos.

Eu gostaria de contar minha história para vocês. Eu realmente não sabia muito como pegar dinheiro emprestado quando comecei. Não era tão fácil como eu esperava.

Como disse, eu queria plantar arroz. As sementes são caras e é para isso que eu precisava do empréstimo. Eu falei com meu marido sobre isso. No começo ele não parecia interessado, mas depois ele começou a pedir mais detalhes sobre quanto dinheiro eu pegaria emprestado e coisas assim. Até que finalmente, ele concordou. Eu calculei que precisaria de 50 dólares para comprar sementes suficientes para o plantio do campo ao lado da casa da minha mãe. O meu marido disse que eu deveria pedir mais, para podermos comprar alguma roupa e coisas para a casa. Eu não achei nada de errado com isso, então pedi um empréstimo de cem dólares.

Música

Sons de escritório (máquina de escrever, outros aparelhos)

Bancário: Quando Adina veio aqui, ela queria cem dólares emprestados.

Ela me disse que queria começar um pequeno negócio de cultivo e venda de arroz. Ela precisava do dinheiro para comprar sementes de arroz. Ela queria plantar muito arroz.

Ela não sabia que prazo queria para o empréstimo, mas eu a ajudei a calcular. Eu perguntei quanto tempo levaria desde a compra das sementes até a venda de todo o arroz produzido no mercado. Em outras palavras, quanto tempo ela achava que levaria para ganhar todo o lucro sobre o seu investimento de cem dólares. Depois de vender todo o arroz que ela havia plantado, ela teria dinheiro suficiente para pagar o empréstimo e guardar um pouco para ela.

Naquele momento, ela poderia pedir outro empréstimo se quisesse plantar mais arroz. Ela disse que quatro meses seriam tempo suficiente para plantar, colher e vender o arroz. Então eu disse que ela precisava de um empréstimo por quatro meses.

Ela teria que pagar o dinheiro depois de quatro meses. Ela também teria que pagar o custo do empréstimo do dinheiro fazendo pequenos pagamentos mensais. Chamamos esse custo de “juros” do empréstimo.

Sons rurais

Adina: O meu pedido de empréstimo foi aceito. Eu recebi cem dólares. Deram-me um prazo de quatro meses. Ou seja, eu tinha que pagar o empréstimo em quatro meses. Em quatro meses, eu esperava poder vender todo o meu arroz para poder pagar o empréstimo. Eu estava muito feliz.

Quando recebi o dinheiro, meu marido disse que deveríamos usá-lo para comprar roupas novas e talvez alguns móveis. Mas eu não concordei. Eu achava que devíamos sair e comprar as sementes de arroz. Nós discutimos. Por fim, eu concordei porque não queria discutir e queria o dinheiro. Eu também sabia que havia pedido mais do que precisava para minhas despesas.

Meu marido saiu e comprou algumas roupas e outras coisas – não sei bem o quê. Ele gastou cinquenta dólares.

Então eu fui para a cidade e comprei cinquenta dólares de sementes. Juntos, minha família e eu plantamos as sementes. Depois de quatro meses, venceu o pagamento do meu empréstimo. Eu havia colhido o arroz, mas ainda não havia vendido. Provavelmente eu levaria mais um mês para vendê-lo. Quando eu tentei juntar o dinheiro para pagar o empréstimo, eu não tinha suficiente. E descobri que, mesmo se todo o meu arroz fosse vendido, eu ainda não teria dinheiro suficiente para pagar o empréstimo. Agora estamos em uma péssima situação. Nós tínhamos menos dinheiro e estávamos mais endividados do que antes do empréstimo. Eu chorava muito.

Narrador: Você consegue identificar os erros cometidos por Adina? O funcionário do banco pode contar como alguns dos seus problemas poderiam ter sido evitados.

Sons de escritório

Bancário: Quando Adina veio me visitar de novo, ela disse que não podia fazer o pagamento do empréstimo. Depois de ouvir a sua história, concluí que havia duas razões principais para isso. Primeiro, ela não investiu todo o dinheiro do empréstimo no seu negócio. Ela comprou algumas coisas para agradar o seu marido, logo houve um conflito aqui. Este foi um dos problemas. Como ela investiu apenas metade do dinheiro do empréstimo no seu negócio, ela lucrou apenas sobre aquela metade e não sobre o total de cem dólares que ela pegou emprestado.

O pagamento que ela precisava fazer era baseado nos cem dólares.

A segunda razão do problema foi que ela calculou mal o período de tempo necessário para cultivar e vender o arroz. Esse período de tempo é conhecido como o ciclo do seu negócio. Ela não calculou corretamente. Então, depois de quatro meses, chegou a hora de pagar o empréstimo. Mas ela não havia vendido todo o arroz, de forma que ela não tinha dinheiro suficiente para pagar o banco.

Do ponto de vista do banco, ela apresentava agora alto risco para novos empréstimos. Seria difícil para ela conseguir outro empréstimo do nosso banco.

Sons rurais

Adina: Cheguei a achar que a minha vida estava arruinda. As coisas que o meu marido comprou quando conseguimos o dinheiro não estavam ajudando a alimentar minha família. Aprendi algumas lições valiosas. Uma foi que o meu marido e eu deveríamos estar de acordo desde o começo. Eu precisava que ele confiasse nas minhas decisões e as respeitasse antes que eu aceitasse o empréstimo. Ele deveria haver me deixado administrar o empréstimo. Nós dois entendemos isso agora. Afinal, era o meu negócio – eu podia administrá-lo e tinha algumas ideias boas. As suas razões para querer o dinheiro eram diferentes das minhas. Ele queria o dinheiro para comprar coisas para a casa, enquanto eu queria o dinheiro para começar um negócio. A segunda coisa foi que eu não deveria haver pago mais dinheiro que o necessário para o meu negócio, porque eu não investi aqueles outros cinquenta dólares para lucrar com eles.

Eu também não entendia o que eles chamavam de ciclo do meu negócio. Eu não tinha certeza de quanto tempo levaria para colher e vender o meu arroz e, por isso, não sabia quando teria o dinheiro para pagar o empréstimo.

Por todas essas razões, eu não podia pagar o dinheiro. Agora eu devo mais do que quando comecei. O banco me chamou de alto risco de crédito. E posso não conseguir outro empréstimo. Mas eu aprendi com meus erros. Eu não vou cometê-los de novo se conseguir outro empréstimo algum dia.

Narrador: Existem formas boas e ruins de administração de crédito. Aqui estão algumas coisas para se ter em mente para administrar crédito adequadamente. Primeiro, somente pegue emprestado o dinheiro de que precisar. Invista todo o dinheiro do empréstimo no seu negócio, o mais breve possível. E conheça o ciclo do seu negócio – ou seja, o período de tempo necessário para lucrar o suficiente para pagar o empréstimo. Se você entender isso, poderá calcular adequadamente quando poderá pagar o empréstimo.


Créditos:

Este roteiro foi escrito por Jennifer Pittet, Editora Gerente, Rádio Rural Internacional, Toronto, Canadá.


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s