Especialistas locais fornecem conselhos práticos de cuidados com o meio ambiente

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1° de julho de 2006, como parte do pacote de informações n° 78.

Original em inglês disponível em: http://scripts.farmradio.fm/radio-resource-packs/package-78/local-experts-give-practical-advice-to-care-for-the-environment/.


Observações para as emissoras:

O ambiente natural fornece os suprimentos básicos de toda a vida humana: ar, água, alimento e abrigo. Ao longo do tempo, o meio ambiente foi danificado pelo mau uso do solo, das árvores e da água. Às vezes, a pobreza força as pessoas a tomar decisões erradas. Em outros casos, é a ganância. Todos os dias, as pessoas precisam tomar ações para proteger o meio ambiente. Isso é essencial para a vida, agora e no futuro.


Roteiro:

(Música tema)

Apresentador: O programa de hoje aborda um dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, que foram adotados por unanimidade pela Assembleia Geral das Nações Unidas na Cúpula do Milênio, em setembro de 2000. Neste programa, vamos nos concentrar no Objetivo 7: Garantir a sustentabilidade ambiental.

Música suave

Apresentador: Segundo o Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas, em todo o mundo, 2,6 bilhões de pessoas atualmente não têm acesso a saneamento adequado; mais de um bilhão de pessoas não têm acesso à água potável; e cinco milhões de pessoas, a maior parte crianças com menos de cinco anos, morrem todos os anos com doenças causadas pela água, saneamento e higiene inadequada. Os danos ao meio ambiente aumentam a cada ano, principalmente devido ao mau uso da terra, incluindo a remoção das florestas e a perda da fertilidade do solo. A situação é crítica nos países em desenvolvimento, incluindo as cidades e fazendas de South Lubero, na República Democrática do Congo (use informações locais apropriadas).

Para atingir a sustentabilidade ambiental, o primeiro passo é identificar as causas da degradação ambiental. Depois podemos procurar as soluções. Vamos dar a palavra aos nossos convidados que vão falar, em primeiro lugar, sobre as causas da destruição ambiental (nota: apresente os convidados, que são ativistas e especialistas em meio ambiente).

Rachel K.: Gostaria de mencionar dois fatores que degradam o nosso meio ambiente. O primeiro é a água potável insuficiente e até, em algumas comunidades, inexistente. O segundo é a falta de respeito pelas medidas de higiene pública, o que cria más condições de vida e contamina os nossos alimentos. Esta falta de respeito pode ser resultado da ignorância, negligência e pobreza, mas também é causada pela falta de motivação para agir.

Apresentador: A sra. concorda, Sra. Josaphat P.? O que mais a sra. gostaria de acrescentar?

Josaphat P.: Eu concordo com a Sra. Rachel K. e gostaria de acrescentar que nós, agricultores, estamos sofrendo com a erosão e a desertificação causadas por vários fatores: corte intensivo de árvores, práticas agrícolas com plantas que não são apropriadas para as condições locais, práticas de cultivo que usam arado profundo sem manter o solo coberto e o desprezo pela rotação e combinação da produção.

Intervalo musical

Apresentador: Nós mencionamos algumas das causas da destruição ambiental. Vamos falar agora sobre algumas das soluções. Sra. Rachel K., o que podemos fazer para garantir que as nossas famílias tenham água limpa para beber?

Rachel K.: Antes de tudo, as cidades e aldeias que têm fontes de água deverão garantir a limpeza diária dos pontos de acesso à água. Nas cidades ou aldeias sem fontes de água, é preciso procurar fontes de água e construir um sistema de fornecimento de água limpa.

Apresentador: Como podemos ter certeza que a água não está contaminada?

Rachel K.: Precisamos garantir a boa higiene. Uma solução é construir banheiros externos. Os banheiros externos deverão ter três a quatro metros de profundidade e pelo menos vinte metros de distância da casa ou escola, sendo cobertos com uma cabine. Também precisamos manter limpos os espaços públicos, como os mercados. Veja quantos sacos plásticos encontramos atualmente jogados nos nossos mercados e nas ruas. Por que não podemos parar de jogar esses sacos em toda parte? Vamos recolhê-los e descartá-los. Em casa também precisamos usar recipientes de lixo para a coleta, descarte e tratamento de materiais residuais.

Apresentador: Já que a sra. mencionou materiais residuais, poderia explicar como podemos tratar os diferentes tipos de materiais residuais para não prejudicar o meio ambiente?

Rachel K.: Existem vários métodos que podem ser usados. Muitas vezes, eles podem ser queimados. A queima tem a vantagem de fazer todo o material residual desaparecer. Mas ela pode causar poluição do ar e destruir a cobertura do solo, o que pode gerar erosão. A queima deverá ser a última opção e sempre ser feita com cuidado, para não haver risco de incêndio doméstico ou florestal. As crianças e mulheres grávidas devem sempre se afastar da queima de montes de lixo, porque existe veneno em alguns plásticos.

Apresentador: Então, a queima é a última opção. Quais são as outras formas de descartar o lixo?

Rachel K.: Materiais degradáveis como frutas, legumes, madeira e resíduos de produção podem ser compostados ou enterrados em uma cova rasa no solo. Este método é melhor que a queima, pois ele controla o lixo e produz fertilizante para campos e jardins. Além disso, alguns materiais podem ser reciclados, incluindo recipientes de vidro e plástico, metal e madeira.Isso significa que produtos novos são feitos com produtos usados e abandonados. Podemos reutilizar certos produtos e podemos também começar a recusar algumas coisas como sacos plásticos, que acabam virando lixo.

Apresentador: Então, para resumir: dependendo do tipo de material residual, podemos compostar, enterrar, reciclar, reutilizar, recusar ou, se necessário, queimar com segurança. É isso?

Rachel K.: Isso mesmo.

Apresentador: Muito obrigado, Sra. Rachel K. Agora, tenho uma pergunta, Sra. Josaphat P. A sra. tem algum conselho para evitar a erosão e a desertificação nas nossas cidades e fazendas?

Josaphat P.: Existem quatro coisas que eu gostaria de mencionar. A primeira é: plante árvores. As árvores ajudam de muitas formas. Elas protegem o solo contra a erosão; purificam o ar que respiramos; nos dão sombra; retêm a umidade do solo; e fornecem remédios, frutas, combustível e material de construção. Não é difícil plantar uma cerca verde em volta dos seus campos e usar arbustos de fixação de nitrogênio como Tithonia (girassol mexicano) para ajudar a aumentar o nitrogênio e o fósforo do solo, para beneficiar a produção.

A segunda coisa que podemos fazer para eliminar a erosão e a desertificação é reduzir os trabalhos no solo arando com menos profundidade. Existe uma técnica chamada de “arado zero”, que não envolve cavar todo o campo, mas sim o ponto onde a semente é plantada. Em terceiro lugar, devemos manter o solo sempre coberto, usando adubação verde de resíduos da produção e plantando safras de cobertura. A adubação verde ajuda a evitar que o solo seque e se decompõe lentamente, fornecendo nitrogênio para a produção. Por fim, podemos ajudar a evitar a erosão com a rotação das safras e usando combinações tradicionais de safras, como feijão e milho.

Vinheta sobe, desce e permanece sob o apreentador.

Apresentador: Quero agradecer às nossas duas convidadas de hoje por virem ao nosso programa para falar sobre a sustentabilidade ambiental.(Pausa) Todos nós precisamos viver em um ambiente saudável e sustentável. Mas, para que isso aconteça, precisamos tomar ações para proteger o meio ambiente. Não devemos considerar o ambiente como um inimigo, mas sim como um amigo e comprometer-nos a garantir ambiente sustentável para as gerações futuras.

Vinheta sobe, desce, permanece sob os anúncios de encerramento e desaparece


Créditos:

Contribuição de Saül Ndungo M., Rádio Fidemiel – FEN (ALIR), República Democrática do Congo.

Revisão: Helen Hambly Odame, Universidade de Guelph.


Fontes de informação:

Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Footsteps, n° 63, junho de 2005, pág. 15.
The Promise of Conservation Agriculture. Farm Radio International, pacote 76, n° 1, outubro de 2005.


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s