Sorgo: boa produção mesmo com falta de chuva

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em oito de março de 2016, como parte do pacote de informações n° 103.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/103-2/6-sorghum-good-yields-even-when-the-rains-fail/.


Observações para as emissoras:

Na Tanzânia, como na maior parte do leste africano, as mudanças climáticas indicam que as chuvas estão se tornando escassas e imprevisíveis. Por isso, os agricultores precisam considerar quais produtos devem ser cultivados, pois alguns produtos básicos tradicionais consomem muita água e não têm bom desempenho em condições mais secas.

Um cereal que vale a pena ser considerado como alternativa para o milho é sorgo, um produto resistente, nativo de muitas das partes mais secas do mundo. Uma espécie, com o nome científico de Sorghum bicolor L., é nativa da África e possui muitas variedades. Sorgo pode ser utilizado para alimentação humana e animal e para produzir bebidas alcoólicas e biocombustíveis.

Este roteiro é baseado em entrevistas com agricultores da região de Shinyanga, na Zona do Lago, na Tanzânia. As entrevistas foram conduzidas em continuação a uma série de programas de rádio detalhados sobre o cultivo eficiente de sorgo.

Você poderá utilizá-lo como inspiração para pesquisar e escrever um roteiro sobre um tema similar na sua região. Ou você poderá decidir produzir este roteiro na sua emissora, usando radioatores para representar as pessoas. Se o fizer, não se esqueça de dizer aos seus ouvintes no início do programa que as vozes são de atores e não das pessoas originalmente envolvidas nas entrevistas.

Você poderá também usar este roteiro como material de pesquisa ou como inspiração para criar o seu próprio programa sobre sorgo ou temas similares no seu país. Fale com agricultores e outros especialistas que cultivam sorgo ou que conheçam bem o produto. Você poderá perguntar a eles:

  • O cultivo de sorgo é comum na sua região?
  • Ele está se tornando mais comum com as mudanças climáticas?
  • Se o sorgo estiver sendo cultivado na sua região, quais desafios enfrentam os agricultores?
  • Alguns agricultores terão idealizado soluções para esses desafios que poderiam compartilhar no seu programa?
  • O que os agentes de extensão e outros especialistas dizem sobre esses desafios e soluções?
  • Os agricultores cultivam sorgo principalmente para consumo doméstico?
  • Alguns vendem sorgo como alimento ou ração? ou para fabricantes de álcool ou outros fins industriais?
  • Quais são as perspectivas comerciais do sorgo na sua região?

Tempo estimado de condução do roteiro: 15-20 minutos, com a música de introdução e encerramento.


Roteiro:

Vinheta de abertura sobe para começar o programa. Cai depois de quinze segundos e permanece sob a voz do apresentador.

Apresentador: Olá! Bem-vindo a (nome do programa agrícola) na (nome da emissora de rádio). Hoje, vou falar com um especialista em sorgo, um produto apropriado para regiões mais secas. Mas, primeiro, vou visitar um agricultor que, na última estação, ouviu uma série de programas sobre formas eficientes de plantio e cultivo de sorgo. Ele e seu grupo de agricultores colocaram em prática as ideias que ouviram no rádio e conseguiram boa colheita, apesar da última falta de chuvas.

Som de motocicleta aproximando-se e parando.

Apresentador: Todos a bordo? Vamos lá!

Som de motocicleta acelerando e saindo. Pausa e sobe som de motocicleta chegando. Dois apitos curtos.

Apresentador: Estamos na periferia da aldeia de Shilabela, a cerca de trinta quilômetros a norte da cidade de Shinyanga. Estamos perto do final da estação seca. O solo está seco, poeirento e há pouca sombra; muitas das árvores perdem suas folhas para conservar água. A única presença no cenário é de afloramentos de granito com tamanhos variáveis, alguns dos quais são usados pelas cabras para fugir do calor do sol.

Hoje vim conhecer Maja Nyunga. Este agricultor de 31 anos de idade é membro do grupo de ouvintes Igembensabo, formado na última estação para participar de uma série de programas de rádio sobre o cultivo de sorgo. Olá, Maja!

Maja Nyunga: Olá. Obrigado por vir me visitar hoje.

Apresentador: É bom encontrar você. Diga, por que você cultiva sorgo? Você sempre plantou sorgo?

Maja Nyunga: Meus pais cultivavam sorgo e eu os ajudava na fazenda até me casar. Mas o mercado de sorgo era pequeno e de difícil acesso. Como sorgo não é tão popular como milho, a família da minha esposa nos incentivou a concentrar-nos em produtos lucrativos como milho, algodão e arroz.

Apresentador: Mas, na última estação, você começou a cultivar sorgo de novo, não é isso?

Maja Nyunga: Sim, isso mesmo. Sabe, eu agora tenho três filhos e realmente preciso encontrar produtos melhores para alimentá-los bem e ganhar dinheiro suficiente para comprar roupas e mandá-los para a escola. Ultimamente, nossos produtos lucrativos sofreram porque as chuvas foram poucas e, muitas vezes, a estação chuvosa é mais curta que o esperado.

Por isso, reuni-me com alguns amigos para ouvir o seu programa sobre como sorgo pode ser uma boa alternativa para milho nos anos em que há falta de chuvas. Todos nós decidimos acompanhar a série e seguir os conselhos oportunos que vocês transmitiam.

Apresentador: Mas você não passou toda a sua fazenda para sorgo da noite para o dia, certo?

Maja Nyunga: (rindo) Não! Nós separamos só um quarto de hectare para ver se os conselhos que vocês deram realmente funcionavam; um canteiro de demonstração, se você preferir.

Apresentador: E o que aconteceu?

Maja Nyunga: Bem, nós preparamos o campo antes do plantio e enterramos esterco animal para servir de fertilizante na sementeira.

Apresentador: É isso que você faz hoje no seu campo?

Maja Nyunga: Sim, estamos esperando a chegada das chuvas nas próximas semanas. Então hoje comecei a cultivar este campo. Estaremos prontos para o plantio assim que cair chuva suficiente. Depois do sucesso do ano passado, vamos plantar cerca de dois hectares de sorgo. Mas primeiro precisamos enterrar o máximo possível de esterco no solo.

Apresentador: Por que você usa esterco e não fertilizante químico?

Maja Nyunga: Você sabe que os fertilizantes químicos são caros e muitas vezes são difíceis de se encontrar em aldeias e em algumas cidades. Mas o esterco é fácil de encontrar! Os animais simplesmente o deixam no terreno (risos).

Mas nós também aprendemos com o rádio que o esterco é melhor para nutrientes do solo e conservar umidade que fertilizantes químicos, porque os nutrientes do esterco permanecem disponíveis no solo por várias razões. O material orgânico do esterco também melhora a estrutura do solo. Isso ajuda a manter o solo úmido por mais tempo e retém nutrientes no solo, em vez de permitir que eles sejam levados pela água quando as chuvas são fortes.

Apresentador: Quantas sementes você planta?

Maja Nyunga: Nós plantamos cerca de um quilo de sementes no canteiro de um quarto de hectare da última estação. Este ano vamos precisar plantar cerca de oito quilos nos dois hectares em que vamos plantar sorgo.

Apresentador: Existem duas variedades de sorgo disponíveis localmente. Você planta a variedade de grãos vermelhos ou de grãos brancos?

Maja Nyunga: Bem, nós queríamos plantar sorgo branco na última estação. É fácil de cultivar e faz um mingau saboroso. Também há demanda de cervejarias em Mwanza, Dar es Saalam e Arusha, o que é um mercado potencial se pudermos cultivar quantidade suficiente. Mas não conseguimos as sementes, então acabamos plantando sorgo vermelho. Algumas pessoas realmente preferem comer sorgo vermelho e, por isso, ainda existe mercado para ele.

Apresentador: E o que aconteceu?

Maja Nyunga: Exatamente o que nos disseram que era esperado. Nós plantamos as sementes em fileiras, cerca de duas ou três sementes em cada buraco, a cerca de quinze a trinta centímetros de distância e mantivemos cerca de 75 a 80 centímetros entre as fileiras. As plantas de sorgo germinaram, cresceram bem e pudemos retirar as ervas depois de cerca de vinte dias.

Apresentador: É mais fácil retirar as ervas do sorgo quando ele é plantado em fileiras?

Maja Nyunga: Sim. Antigamente, eu sempre espalhava o sorgo direto no campo. Mas, no ano passado, observei que as sementes plantadas em fileiras germinavam muito melhor e, no fim, eu usava menos sementes para o plantio. Com isso, a retirada das ervas era mais fácil. Eu sabia onde estavam as fileiras, de forma que retirar as ervas era muito mais fácil e eficiente.

Apresentador: Então valeu a pena o esforço extra de plantar em fileiras?

Maja Nyunga: Sim, com certeza.

Apresentador: Como foi o resto da estação de cultivo?

Maja Nyunga: Nós retiramos as ervas de novo depois de mais três semanas e deixamos o sorgo crescer.

Apresentador: Você agregou mais fertilizante ao canteiro?

Maja Nyunga: Não. Talvez tivéssemos se fôssemos plantar sorgo branco, porque você pode vender sorgo branco com preço mais alto no mercado. Mas, como eu disse antes, o fertilizante não é tão facilmente disponível nas aldeias como na maioria das cidades e o seu transporte é caro.

Apresentador: Você notou mais alguma coisa sobre o crescimento da safra?

Maja Nyunga: Bem, eu descobri que remover as ervas entre as fileiras fazia as plantas de sorgo crescerem bem. Como havia menos concorrência pelos nutrientes, as plantas cresceram fortes e vigorosas e tínhamos muito mais espaço para capturar a luz do sol. Eles estavam tão bem estabelecidos que, quando as chuvas paravam antes do esperado, ainda éramos capazes de colher boa quantidade de grãos.

Apresentador: As chuvas caíram?

Maja Nyunga: Sim. Conseguimos boa quantidade de chuva no dois primeiros meses, mas as nuvens começaram a diminuir e caiu menos chuva. Por fim, a chuva parou cerca de um mês antes do esperado. Mas a força inicial da safra e a maior fertilidade do solo fizeram com que tivéssemos boa colheita – quatro sacos de 90 kg de grãos do canteiro de um quarto de hectare.

Apresentador: Qual a comparação com colheita normal?

Maja Nyunga: Normalmente espero colher cerca de dois sacos da mesma região, então a produção foi o dobro. Soube que a nossa produção foi maior que a produção média nesta região, mesmo com a falta de chuva! Posso dizer com certeza que ficamos felizes com os resultados!

Apresentador: Uau! Você tem algum problema com o sorgo?

Maja Nyunga: Além do fornecimento de sementes e fertilizantes, nós tivemos um problema importante com a produção.

Apresentador: O que foi?

Maja Nyunga: Os pássaros. A safra cresceu tanto enquanto os outros iam mal que se tornou alvo dos pássaros famintos da região!

Apresentador: O que você fez para resolver o problema?

Maja Nyunga: Tentamos afastá-los pendurando fitas cassete e CDs em postes em volta do canteiro. Eles captam a luz do sol enquanto se movem com o vento, o que assusta os pássaros e faz com que eles fujam.

Apresentador: E funcionou?

Maja Nyunga: No começo, sim. Mas eles se acostumaram e, com a fome, voltavam.

Apresentador: O que você fez então?

Maja Nyunga: Não tivemos outra escolha a não ser proteger nós mesmos o campo. Como havia vários de nós, pudemos fazer turnos de pé no campo para proteger o canteiro. Era demorado e quente no sol. Você pode ver que as árvores oferecem pouca sombra quando está seco. Mas o resultado valeu a pena. Nesta estação, teremos que inventar outra tática, porque vamos expandir muito a área. Poderemos ter que contratar pessoas para ajudar a afugentar os pássaros.

Apresentador: Bem, boa sorte com isso. As informações que você ouviu no programa de rádio realmente ajudaram você?

Maja Nyunga: Sim. O sorgo é definitivamente um bom produto para cultivo quando o agricultor não tiver certeza de quanta chuva vai cair.

Apresentador: Como assim?

Maja Nyunga: Se chover, conseguimos boa colheita de todas as nossas safras. Se a chuva cair, ainda poderemos colher sorgo suficiente para comer – e vender!

Apresentador: Você aprendeu mais alguma coisa de útil?

Maja Nyunga: Sim. Nós costumávamos queimar resíduos de safras anteriores nos campos antes do plantio da safra seguinte. Mas nós aprendemos que enterrar os resíduos na sementeira aumenta a matéria orgânica no solo, o que possui os mesmos benefícios a longo prazo da adição de esterco. Agora eu só queimo os resíduos se vou replantar o mesmo produto. Isso diminui a chance de ataque de ervas, pragas e doenças sobre a safra seguinte.

Apresentador: Então você está planejando cultivar mais sorgo este ano. Qual você acha que será o benefício?

Maja Nyunga: Bem, como grupo de agricultores, já encontramos sementes de sorgo branco suficientes para o plantio. Ele cresce da mesma forma que o sorgo vermelho que teve resultados tão bons no último ano, então sabemos o que esperar.

Estamos também tentando negociar um contrato com uma cervejeira para poder garantir mercado para os nossos grãos. Idealmente, vamos incentivar mais agricultores a unir-se ao grupo nos próximos anos, pois as cervejeiras gostam de comprar em volume. Se pudermos firmar um contrato, vamos poder investir em fertilizantes de cobertura para maximizar a produção e ter o máximo de lucro possível.

Apresentador: Isso com certeza é um plano a longo prazo!

Maja Nyunga: Sim, os nossos olhos se abriram para as possibilidades deste cereal. Nós achamos que sorgo poderá ser um produto ainda melhor para venda que o algodão. Mas nós precisamos encontrar um mercado bom e confiável para ter certeza de que isso aconteça.

Apresentador: Bem, obrigado por nos atender. Vou deixar você voltar para o trabalho antes que o sol fique quente demais. Boa sorte para a próxima estação.

Maja Nyunga: Obrigado a você por transmitir os programas sobre sorgo. Eles realmente nos fizeram pensar e eu sei que vamos aumentar os nossos negócios.

Apresentador: Não seja por isso! Até logo! (mais alto) Vamos, motorista!

Som de motocicleta acelerando e saindo, depois desaparece. Sobe vinheta por cinco segundos. Música diminui sob a voz do apresentador.

Apresentador: Bem, foi fascinante ver como o Sr. Nyunga e seus colegas colocaram em prática os conselhos que transmitimos. Agora tenho aqui no estúdio Jeremia Inegreja, especialista na produção de sorgo. Obrigado pela presença.

Especialista: Não por isso!

Apresentador: O que chama mais a sua atenção sobre o que o Sr. Nyunga e o seu grupo estão fazendo?

Especialista: Bem, estou impressionado com a forma como eles viram o enorme potencial do produto. O sorgo pode desempenhar papel essencial para garantir a segurança alimentar das famílias e da comunidade como um todo. Mas esses agricultores perceberam que existe também uma enorme oportunidade comercial se eles conseguirem entrar no mercado industrial.

Apresentador: O que devem saber os agricultores como o Sr. Nyunga?

Especialista: O sorgo é um produto tolerante à seca porque o seu sistema de folhas e raízes extrai melhor a umidade do solo que outros cereais, minimizando a perda de água da planta quando a temperatura é alta.

Os agricultores devem garantir que as suas sementeiras tenham bastante esterco antes do plantio do produto. Recomenda-se a aplicação de nitrato de amônio como cobertura de microdosagem. Isso pode ajudar a maximizar a produção.

Apresentador: Muito bem. O que mais os agricultores podem fazer para aumentar a sua produção?

Especialista: Os agricultores deverão plantar sorgo com espaçamento recomendado para garantir boa quantidade de plantas igualmente distribuídas. Isso ajudará a fornecer boa administração do campo. A retirada de ervas oportuna e eficiente aumentará muito a produção na época da colheita. Existe uma erva importante que precisa ser particularmente controlada.

Apresentador: E qual é?

Especialista: Striga. É uma erva parasita muitas vezes chamada de “erva da bruxa”, que pode causar grandes perdas em sorgo. Alguns anos atrás, grandes partes da Tanzânia, particularmente a parte central do país, estavam infestadas com striga. Mas agora os pesquisadores liberaram duas variedades novas de sorgo tolerantes a striga que os agricultores deverão usar antes de começar a produção em larga escala.

Os agricultores podem controlar striga com outros métodos, como arrancar a planta antes que ela floresça, praticar a rotação de safras e usar técnicas de puxa e empurra, como intercalar o sorgo com a planta leguminosa Desmodium. Essa planta repele certas pragas, suprime a artiga e aumenta a fertilidade do solo. Os agricultores podem também usar herbicidas antes que a planta striga floresça. Mas eles realmente precisam estar cientes desse problema causado pela erva.

Apresentador: Isso é importante saber. Existem outras ameaças com pragas e doenças?

Especialista: Não, exceto pela ameaça alada dos nossos amigos com penas. O Sr. Nyunga mencionou corretamente que ele observou o dano causado pelos pássaros, mas os agricultores podem reduzir os danos cultivando em canteiros maiores. Eles ainda terão perdas, mas elas serão proporcionalmente menores.

Apresentador: Então proteger fisicamente o campo é a melhor forma de diminuir o que os pássaros comem?

Especialista: No momento, sim. O agricultor que inventar um método melhor poderá ficar muito rico!

Apresentador: Bem, certamente é um motivo de reflexão. Mas eu acho que o nosso tempo acabou. Muito obrigado por vir ao estúdio hoje!

Especialista: De nada e obrigado por me receber.

Apresentador: Então, ouvinte, espero que a nossa visita para o Sr. Nyunga e os conselhos do nosso especialista tenham plantado uma semente na sua cabeça.

Vamos resumir rapidamente o que aprendemos no programa de hoje. Primeiro, o uso de esterco animal em uma sementeira bem preparada melhora a estrutura do solo e às vezes diminui a necessidade de fertilizantes químicos. Ele também beneficia os produtos plantados em estações futuras.

Em segundo lugar, o plantio de sorgo em fileiras indica que os agricultores poderão retirar as ervas das suas safras com mais eficiência, de forma a economizar tempo e esforços. A retirada adequada das ervas indica que a safra se beneficiará da competição reduzida por nutrientes, o que resulta em produção mais alta.

Em terceiro lugar, a seleção de uma variedade de sorgo tolerante a striga vai trazer produção mais alta e o uso de medidas de controle de striga reduz a população de sementes de striga no solo nos próximos anos.

E, por fim, o cultivo da safra em áreas maiores vai reduzir as perdas causadas por pássaros famintos e pode tornar mais fácil encontrar um mercado para a sua colheita.

E isso é tudo para esta edição de (insira o nome do programa). Não se esqueça de sintonizar o próximo programa. Até logo!

Vinheta sobe, manter por quinze segundos, depois desaparece.


Créditos:

Contribuição de Paddy Roberts, Bacharel em Ciências da Agricultura, Arusha, Tanzânia.

Revisão: Seperatus Paschal Kamuntu, especialista em cultivo de cereais, Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Agrícola da Zona do Lago, Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca, Ukiriguru, Mwanza, Tanzânia.

Fontes de informação:

Entrevistas: a entrevista na qual é baseado este roteiro teve lugar em Shilabela, Distrito de Shinyanga, Tanzânia, em quinze de outubro de 2015, com Maja Nyunga (agricultora) e Veronica Natalis (apresentadora na Rádio Faraga, que transmite da cidade de Shinyanga para os distritos do norte da Tanzânia).

Outras informações utilizadas neste roteiro foram reunidas em entrevistas com trinta agricultores, homens e mulheres, e um agente de extensão rural nas aldeias de Mwajiginya, Nagezi, Shilabela e Mwamala, distrito de Shinyanga, Tanzânia, 13-16 de outubro de 2015.

Informações adicionais:

Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, 1995. Sorghum and millets in human nutrition, FAO Food and Nutrition Series, n° 27. http://www.fao.org/docrep/t0818e/T0818E00.htm#


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s