Plantas locais ajudam a controlar as pragas

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1° de outubro de 1993, como parte do pacote de informações n° 30.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/package-30/local-plants-help-control-pests/.


Observações para as emissoras:

  1. Lembre-se de que o uso de materiais de controle de pragas elaborados com plantas locais deverá ser apenas uma parte do seu programa de controle integrado de pragas. Paralelamente, você deverá usar outros métodos de controle, como manter o solo fértil, cultivo oportuno, armadilhas e barreiras. Diversos métodos usados em conjunto manterão as pragas em nível mínimo. Não confie em apenas um método controle.
  2. Muitas das informações deste roteiro são da ALTERTEC, uma organização não governamental, sem fins lucrativos, que trabalha com agricultores da Guatemala para promover sistemas de agricultura ecológica integrados. Vide o endereço abaixo.

Roteiro:

Conteúdo: economize dinheiro. Controle as pragas usando plantas locais. Experimente com diferentes plantas, especialmene aquelas que possuem odor forte e não sofrem danos com os insetos.

Economize dinheiro. Controle as pragas usando plantas locais. Pode levar mais tempo e esforços, mas traz vantagens. Como eles custam menos que os inseticidas comerciais, você terá dinheiro para gastar em outras coisas, como a educação dos seus filhos. E as soluções domésticas de controle de pragas muitas vezes são menos prejudiciais ao meio ambiente que os inseticidas químicos comprados em lojas.

Como algumas plantas podem ajudar no controle de pragas?

As plantas precisam proteger-se dos seus inimigos, como fazem os animais. Para compreender como as plantas podem ajudar a controlar as pragas, precisamos compreender como as plantas se protegem contra os insetos.

Nós sabemos como os animais se protegem. Muitos animais, como cervos, correm para escapar dos seus inimigos. Cobras têm veneno e podem envenenar os predadores. Gambás liberam mau cheiro para afastar os predadores.

E sobre as plantas?

As plantas não podem mover-se como fazem os cervos e outros animais, de forma que elas não podem fugir dos seus inimigos. As plantas têm alguma forma de afastar os seus predadores ou lutar contra seus inimigos? A resposta é sim. As plantas também têm formas de defender-se.

Algumas plantas são venenosas e matam insetos utilizando substâncias de produção natural, da mesma forma em que algumas cobras e aranhas envenenam seus inimigos. O fumo, por exemplo (Nicotiana spp), contém nicotina, crisântemo (Chrysanthemum cinerariafolium) contém piretro e derris (Derris spp) contém rotenona. Essas substâncias são venenosas para muitas pragas e outros organismos. O abricoteiro (Mammea americana) da América Central e do Sul também tem substâncias que podem ser venenosas para muitas pragas.

Outras plantas protegem-se da mesma forma que o gambá. Elas produzem substâncias que repelem pragas por motivos que não compreendemos totalmente. Alguns exemplos são o alho (Allium sativum), o absinto (Artemesia spp), o tomate (Lycopersicon esculentum) e a calêndula (Tagetes spp). Todos eles produzem substâncias de que os insetos não gostam. Todas essas plantas cheiram mal para os insetos, da mesma forma que o gambá tem mau cheiro para nós. Isso afasta os insetos. Em alguns casos, até os organismos que transmitem doenças vegetais se afastam.

Faça experiências com as plantas para controle de pragas.

Quando você usa uma planta para controle de pragas, pode precisar primeiro processá-la. Você pode, por exemplo, moer as folhas e agregar um pouco de água. Depois, você pulveriza a solução sobre a produção. Se você não tiver um pulverizador, poderá mergulhar uma vassoura, grama ou ramos de qualquer planta na solução e pulverizá-la sobre os produtos que quiser proteger.

Plantas comuns que você conhece, como o alho, pimenta e cebola, não são as únicas plantas que possuem substâncias que repelem os insetos. Existem mais de duas mil espécies de plantas de controle de pragas no mundo. Isso significa que muitas das plantas que você vê todos os dias poderão ser usadas para elaborar inseticidas. Por isso, os agricultores têm uma grande oportunidade de experimentar com alternativas para inseticidas químicos.

Você pode querer experimentar com plantas diferentes que crescem na sua região, mesmo se não souber os nomes delas. Para escolher plantas para experimentar, olhe primeiro para as plantas que têm cheiro forte. Em segundo lugar, escolha plantas que não causem danos para os insetos. Quando você olhar para um campo produtor atacado, por exemplo, você pode ver algumas plantas que não receberam ataque dos insetos. Essas plantas provavelmente contêm algum repelente químico ou substância venenosa e poderão ser utilizadas para elaborar soluções de controle de pragas.

Quando você decidir com qual planta quer experimentar, comece com uma parte da planta. Se você não conseguir bons resultados, continue experimentando com outras partes, outros procedimentos e, em seguida, com outras plantas.

Comece, por exemplo, com as plantas de folhas. Muitas receitas de controle de pragas domésticas usam folhas de plantas porque elas são fáceis de conseguir em qualquer época do ano. Uma boa forma de começar é moê-las até transformá-las em pasta e agregar um pouco de água. Pulverize essa solução diretamente sobre o produto que você quer proteger em um canteiro de teste. Se você estiver usando um pulverizador, poderá precisar coar o líquido e pulverizá-lo imediatamente sobre as suas plantas. Ou embeba as folhas em água fervente para extrair as suas substâncias e pulverize a solução sobre as plantas.

Sempre tente essas novas pulverizações domésticas em primeiro lugar sobre algumas plantas ou em um pequeno canteiro de teste. Se você encontrar algo eficiente, pode aumentar lentamente a quantidade aplicada.

Se não estiver satisfeito com os resultados, escolha outra planta e continue experimentando. Você precisará ser um detetive para descobrir quais plantas e misturas funcionam melhor.

Segurança de pesticidas:

É importante ser extremamente cuidadoso para preparar e usar esses pós e pulverizações. Eles podem ser tão perigosos quanto os pesticidas que você compra. Siga as regras de segurança. Tome as mesmas precauções que você tomaria ao usar qualquer outro pesticida.

  • Proteja suas mãos com luvas plásticas ao preparar a mistura.
  • Se você não usar luvas, use pequenos sacos plásticos amarrados ao seu pulso.
  • Nunca prepare inseticidas em recipientes que retêm alimentos ou água potável.
  • Quando aplicar inseticidas, sempre use roupas de proteção.
  • Lave bem suas mãos e o rosto depois de aplicar a sua solução de controle de pragas.
  • Não coma nem beba nada antes de lavar as mãos.

Vale a pena aprender a reconhecer plantas de controle de pragas e usá-las para proteger a sua produção. Você protege os seus produtos usando recursos locais, economiza dinheiro e cuida melhor do meio ambiente.

Regras de segurança de pesticidas:

  1. Armazene pesticidas nos recipientes originais, nunca em recipientes de alimentos ou bebidas. Armazene em lugar seguro, fora do alcance de crianças e animais. Mantenha-os longe de alimentos, água e ração animal.
  2. Siga as instruções e orientações de segurança sobre o recipiente. Siga as precauções. Use a quantidade instruída da forma correta. Saiba com antecedência o que fazer em caso de acidente.
  3. Não pulverize em dias com vento. Nunca pulverize no vento.
  4. Não deixe que os pesticidas entrem em contato com a pele. Use roupas protetoras (cubra toda a sua pele, se possível – incluindo seus pés, mãos e a cabeça). Tenha cuidado especial ao trabalhar com concentrados de pesticida.
  5. Se o pesticida entrar em contato com a pele, lave imediatamente. Busque auxílio médico, se necessário. Se atingir as roupas, remova e lave as roupas antes de usá-las novamente. Lave-se sempre que usar pesticidas, mesmo se você achar que não foi tocado.
  6. Não deixe que os pesticidas entrem em contato com seus olhos. Se possível, use óculos.
  7. Evite respirar os pesticidas. Se possível, use máscara, respirador etc.
  8. Não coma, beba nem fume perto dos pesticidas. Lave as mãos e o rosto com água e sabão antes de comer, beber ou fumar.
  9. Lave todo o equipamento utilizado e armazene em lugar limpo.
  10. Não contamine a água (de rios, poços, lagos etc.) com pesticidas.
  11. Não reutilize recipientes vazios de pesticidas. Enxágue pelo menos duas vezes, esmague-as e enterre.
  12. Mantenha as pessoas e os animais fora de áreas recentemente pulverizadas.
  13. Não coma nem venda produtos alimentícios que tenham sido recentemente pulverizados.

Fontes de informação:

  • Agradecimentos a Saleem Ahmed do Instituto de Sistemas de Recursos, Centro Leste-Oeste no Havaí, pela revisão deste roteiro.
  • Manejo integrado de plagas insectiles (1992, 95 págs.), de Ann Baier, Martin Bourque,
    Hermogenes Castillo e Ana Maria Xet, publicado pela Altertec, 3a Avenida 5-27, Zona 1, Cidade da Guatemala, Guatemala.
  • Preparación y uso de plaguicidas naturales (1992, 56 págs.) de Mark Dupong, Rafael Solorzano G. e Hermógenes Castillo, publicado pela Altertec, 3a Avenida 5-27, Zona 1, Cidade da Guatemala, Guatemala.
  • Handbook of plants with pest control properties (1988), de Michael Grainge e Saleem Ahmed, Resource Systems Institute, East-West Centre, Honolulu, Havaí, Estados Unidos.
  • Natural crop protection based on local farm resources in the tropics and subtropics (1986, 186 págs.), de Gaby Stoll, AGRECOL, a/c OKOZENTRUM, CH-4438 Langenbruck, Suíça. Também disponível em francês e espanhol.
  • Botanicals in rice cultivation (1991, 17 págs.), publicado pela McKean Rehabilitation Centre, P. O Box 53, Chiang Mai 50000, Tailândia, e Appropriate Technology Association, 143/171-2 Pinklao Nakornchaisri Rd., Bangkok 10700, Tailândia.
  • Pyrethre: culture et utilisation domestique (1980, 4 págs.), publicado pelo G. R. E. T. (Groupe de Recherche et d’Echanges Technologiques, 34 rue Dumont d’Urville, 75116 Paris, França).
  • Botanical pesticides (1989, 16 págs.), em Sustainable Agriculture Newsletter, Vol. 1, n° 4, publicado pela CUSO-Tailândia, 17 Phahonyothin Golf Village, Phahonyothin Road, Bangkhen, Bangkok 10900, Tailândia.
  • Protection naturelle des cultures em Entre nous: bulletin d’échange d’information sur l’agriculture régéneratrice, Volume 4, n° 6, dezembro de 1991, publicado pela Rodale International, B. P. A237 Thies, Senegal.
  • Plaguicidas naturales em Raíces, Ano 5, n° 45, publicado pela Asociación de Amigos del País, 6a. Av. “A” 10-38 Zona 9, Apartado Postal 291, Cidade da Guatemala, Guatemala.

A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s