A necessidade é a mãe das boas ideias: preparação da terra para amendoins

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 14 de novembro de 2008, como parte do pacote de informações n° 97.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/package-97-growing-groundnuts/he-who-has-a-running-tummy-opens-the-toilet-door-land-preparation-for-groundnuts/.


Observações para as emissoras:

O amendoim é um dos produtos alimentícios mais valiosos no Maláui. Eles são principalmente cultivados por pequenos agricultores com poucos recursos, particularmente mulheres. Cerca de 20%, ou um em cada cinco agricultores do Maláui cultiva amendoim.

O amendoim é uma boa fonte de proteína, vitaminas e óleos vegetais. É uma parte significativa da alimentação domiciliar na maior parte do país.

O amendoim pode ser cultivado a baixo custo. Ele é um produto com entrada relativamente fácil para venda, pois não necessita de conhecimento especializado, equipamento nem de fertilizantes.

O amendoim pode ser uma importante fonte de renda, especialmente para as mulheres agricultoras, que foram, em sua maioria, excluídas no Maláui do cultivo de produtos lucrativos como o fumo. O amendoim fornece mais de um quarto da renda dos pequenos agricultores no Maláui.

Tipicamente, os produtores de amendoim no Maláui cultivam cerca de um acre (0,4 hectares) de amendoim. Os homens agricultores dedicam tipicamente mais terra ao amendoim, que cultivam com mais frequência que as mulheres como produto para venda.

O amendoim pode ser cultivado em uma ampla faixa de rotações e pode seguir-se a qualquer produto de terreno limpo após a colheita, como o milho, sorgo, painço, mandioca, batata doce ou girassol. Para minimizar doenças e pragas, o amendoim não deve ser cultivado depois de algodão ou fumo.

Este roteiro é um radioteatro sobre a preparação da terra para amendoins. Ele foi escrito após consulta a especialistas em amendoim. Você poderá usar este roteiro como inspiração para pesquisar e escrever um roteiro sobre amendoim na sua região. Ou você poderá decidir produzir este roteiro na sua emissora, utilizando radioatores para representar os personagens.

Você poderá transmitir este programa seguido de um debate (com ligações telefônicas e chamadas de texto) sobre práticas de produção para pequenos produtores de amendoim.

Tempo médio de condução: treze minutos, com vinheta de início e de encerramento.


Roteiro:

Personagens:

  • Sr. e Sra.Chiri: uma família trabalhadora. A esposa é a líder. O marido respeita o papel de liderança desempenhado pela esposa e a apoia trabalhando com ela no jardim. Eles não passam fome em nenhuma época do ano, porque cultivam produtos para venda e milho, o alimento básico. Eles têm uma casa com teto de ferro corrugado, uma bicicleta nova, um aparelho de rádio, duas cabras e muitas galinhas. Eles são invejados na aldeia. O marido bebe moderadamene, mas isso não o impede de fazer o trabalho na plantação.
  • Sr. e Sra.Ule: uma família pobre. O marido está sempre bebendo. A esposa tentou várias vezes fazer com que ele parasse de beber, para que eles pudessem elevar o seu padrão de vida com a agricultura, mas sem resultados. Quando ela tenta plantar sozinha, o marido vende a pequena colheita e usa o dinheiro para comprar cerveja. Isso desencoraja a esposa de trabalhar mais no jardim. A família passa fome metade do ano. A sua casa com telhado de grama tem goteiras quando chove.

Cena 1

Atmosfera diurna da aldeia – som de buzina e corrente de bicicleta.

Chiri: (brincando) Cuidado! Vou atropelar você com a minha bicicleta.

Sra. Ule: (rindo) Oh, é você, Chiri. Eu estava me perguntando quem era esse louco de bicicleta na minha direção se já estou fora do caminho.

Chiri: Boa tarde, Sra. Ule.

Sra. Ule: Boa tarde, Chiri. Oh, esta é uma bela bicicleta. Eu não havia visto que você estava dirigindo uma bicicleta nova. Quando você a comprou?

Chiri: Hoje. Na verdade, acabei de comprá-la, depois de vender meu último saco de amendoins.

Alguém canta ao longe – obviamente, bêbado.

Sra. Ule: Não me diga que você comprou esta bela bicicleta com o dinheiro que conseguiu vendendo apenas um saco de amendoins!

Chiri: Claro e ainda tenho um pouco de troco depois de comprar a bicicleta.

Sra. Ule: Então plantar amendoim dá muito dinheiro, hein?

Ule: (aproximando-se bêbado) Ei, você! O que você está fazendo com a minha esposa? Só porque as pessoas na aldeia dizem que você está bem de vida, acha que a minha esposa vai querer você? Eu posso ser pobre, mas sei que a minha esposa me ama. Você está ouvindo, Chiri?

Silêncio

Ule: Estou falando com você, Chiri. Você não tem ouvidos?

Sra. Ule: Chiri, não leve a sério.

Chiri: Sra. Ule, acho que preciso ir agora. (Som da corrente da bicicleta seguido pela buzina)

Ule: Sim, vá, vá embora! Deixe minha esposa em paz.

Sra. Ule: (gritando) Eu gostaria muito de encontrar você de novo! Eu quero muito saber o segredo por trás da sua grande produção de amendoim! Lembranças para a sua esposa!

Fim da Cena 1 – música de intervalo ou silêncio.


Cena 2

Atmosfera da aldeia – sons de água sendo bombeada do poço. A água espirra quando um balde vazio é colocado e o poço é bombeado, com a água caindo no balde.

Sra. Ule: (em meio aos sons da bomba) Bom dia, Sra. Chiri.

Sra. Chiri: Bom dia, Sra. Ule.

Sra. Ule: Parabéns! Vejo que agora vocês têm uma bela bicicleta nova.

Sra. Chiri: Obrigada. Quem contou?

Sra. Ule: Encontrei o seu marido ontem e ele me disse que havia acabado de comprar a bicicleta com a venda do seu último saco de amendoins.

Sra. Chiri: Sim, aquele foi o último dos sacos que planejamos vender. Ainda temos dois sacos para comer.

Sra. Ule: Amwali (irmã), diga-me, qual é o segredo por trás das suas grandes colheitas? Eu tentei plantar amendoim no ano passado, mas a produção foi tão pouca que não consegui nem meio saco.

Sra. Chiri: O seu balde está cheio. Deixe-me ajudá-la a tirá-lo para poder encher o meu.

Elas erguem o balde, colocam outro vazio sobre o concreto sob o poço e começam a bombear água para o balde Estes sons ficam sob o diálogo abaixo.

Sra. Ule: Eu fiz uma pergunta e você não me respondeu.

Sra. Chiri: Qual pergunta?

Sra. Ule: Como você consegue ter alta produção de amendoim? Quem foi o feiticeiro que lhe deu a sua “poção mágica de multiplicação da produção”?

Sra. Chiri: Não tem nada a ver com magia. Existem muitas coisas que você precisa fazer para conseguir boa produção. Escolher um bom local de plantio é uma delas. Sempre evite terrenos baldios. Os solos precisam ser argilosos-limosos ou limosos. Evite solos arenosos ou argilosos. Plante sementes de boa qualidade, escolha as variedades certas, use boa administração de ervas e deposite no tempo certo.

Sra. Ule: Por que devo evitar solo arenoso ou argiloso?

Sra. Chiri: O meu balde está cheio. Vamos pegar nossos baldes e vou contar por quê enquanto andamos para casa.

As duas respiram fundo enquanto levantam os seus baldes sobre a cabeça e começam a andar para casa.

Sra. Chiri: Onde eu estava? Ah, sim, eu dizia que os melhores solos para jardins de amendoim devem ser limosos-arenosos ou limosos. Com esses solos, é mais fácil para as estacas de amendoim penetrar no solo e para que as vagens e sementes cresçam. Também é mais fácil erguer o solo durante a colheita.

Sra. Ule: É por isso que você não planta amendoins sobre a parte superior do seu jardim, onde existem muitos montes de terra?

Sra. Chiri: Sim. Muitos montes de terra são um sinal de solo argiloso.

Sra. Ule: OK, então devo plantar amendoim em solos limosos-arenosos ou limosos.

Sra. Chiri: Certo. E não plante em terrenos baldios, porque o amendoim não produzirá tanto nitrogênio nas suas raízes. Mais uma coisa: é importante fazer sempre rotação, todos os anos, com safras que não sejam susceptíveis às mesmas doenças do amendoim.

Sra. Ule: Mas como faço isso, Sra. Chiri?

Sra. Chiri: Normalmente, safras da mesma família, como amendoim, feijão e feijão guandu, ou aquelas que sofrem das mesmas doenças, como algodão, páprica e fumo, não deverão seguir umas às outras.

Sra. Ule: Ei, ei, amwali (irmã)! Onde você aprendeu essas coisas?

Sra. Chiri: Sra. Ule, é como perguntar se há umidade no banheiro. Você sempre me vê visitando o agente de extensão rural e ainda me pergunta onde eu consigo informações agrícolas?

Sra. Ule: Com certeza, vou começar a trabalhar nos meus canteiros quando vierem as primeiras chuvas.

Sra. Chiri: Quando vierem as primeiras chuvas? Aí será tarde demais! Agora é a época de preparar os canteiros. Meu marido e eu já começamos. Quando os agricultores plantam cedo, o amendoim pode usar o nitrogênio fertilizante natural que está mais disponível no solo depois das primeiras chuvas. Se você plantar cedo, também evita a seca do final da estação, que reduz a produção. (Suspirando enquanto fala) Uuuui, meu pescoço! Amwali (irmã), a distância entre as nossas casas e o poço está mesmo nos matando.

Sra. Ule: Pode estar certa disso! Voltando aos amendoins, amwali, gostaria muito de saber tudo o que há para aprender. Quero tirar minha família da pobreza. Veja você! Você tem milho suficiente para o ano inteiro. Você tem uma casa com teto de ferro corrugado, um aparelho de rádio, cabras, muitas galinhas e agora essa bicicleta nova. Quando poderemos sair da pobreza?

Sra. Chiri: Amwali,a pobreza é preguiça, ponto. Se você quer saber mais, venha amanhã de manhã com seu marido até o nosso jardim perto do rio. É lá que estamos fazendo canteiros para a estação de plantio deste ano.

Sra. Ule: Que marido? O bêbado que não vale nada e mora na minha casa – você chama aquilo de marido?

Sra. Chiri: Ele não é o pai dos seus filhos?

Sra. Ule: É a única coisa que ele sabe fazer direito. Ele não sabe nem alimentar as crianças. Passamos fome na maior parte do ano porque eu trabalho sozinha no jardim para alimentar a família. Tudo o que ele sabe é ficar bêbado e me fazer cuidar das crianças sob o teto de grama com goteiras da nossa casa quando chove.

Sra. Chiri: Você vai achar uma forma de trazê-lo com você amanhã. O meu marido bebe e também trabalha comigo no jardim.

Sra. Ule: Qual é o seu segredo?

Sra. Chiri: Eu disse que, se ele não vier trabalhar no jardim, vou privá-lo dos seus direitos conjugais.

Sra. Ule: (rindo enquanto fala) O quê? Sério?

Sra. Chiri: Sim! Balance essa cenoura na frente de um homem e ele fará tudo o que você quiser.

Sra. Ule: Não, amwali… você quer que o meu marido vá embora e procure as mãos macias das belas garotas da aldeia?

Sra. Chiri: Que garotas? Essas garotas não têm experiência. Eu levo meu marido até a montanha Mulanje na privacidade do nosso quarto. Essas garotas jovens, verdes, que você chama de bonitas nunca vão concorrer comigo nesse departamento. É por isso que meu marido sempre diz que não tem olhos para nenhuma garota nessa aldeia; as viagens para a montanha Mulanje que eu dou a ele são suficientes.

Vamos falar mais sobre a preparação de jardins de amendoins amanhã de manhã. Se o seu marido não quiser vir, venha sozinha. Eles não dizem que a necessidade é a mãe das boas ideias? Se a família está com fome, ele deveria vir.

Fim da Cena 2 – música de intervalo ou silêncio.


Cena 3

Atmosfera de fazenda – som de duas enxadas trabalhando na terra

Chiri: A esposa de Ule está vindo?

Sra. Chiri: Para mim não tem importância se ela vem ou não. Não sou eu que preciso aprender.

Chiri: Falando do diabo…

Sra. Chiri: Onde está ela?

Chiri: Não é ela vindo no caminho do baobá?

Sra. Chiri: Sim, é ela, e vem sozinha, como eu esperava.

Sra. Ule: Desculpem pelo atraso. Eu estava tentando convencer o pai dos meus filhos a vir comigo, mas você conhece as prioridades do meu marido. Principalmente depois do tambor da cerveja, que soou esta manhã. (Nota do Editor: nas aldeias do Maláui, um tambor anuncia o início da bebida no salão da cerveja de manhã cedo)

Chiri: Bom dia, mãe dos seus filhos.

Sra. Ule: Bom dia, Chiri.

Sra. Chiri: Você tentou a estratégia que ensinei?

Sra. Ule: Não tive coragem.

Chiri: (curioso) Que estratégia?

Sra. Chiri: (rindo enquanto fala) É só para mulheres! Bem, você disse que queria saber tudo o que há para aprender sobre a preparação do jardim para o plantio de amendoim. Você se lembra do que falei ontem?

Som de uma enxada – Chiri está trabalhando a terra enquanto a Sra. Chiri fala com a Sra. Ule

Sra. Ule: Se a minha memória estiver certa, falamos sobre a escolha do lugar, rotação de quatro anos e a vantagem de preparar a terra cedo para poder plantar com as primeiras chuvas fortes.

Sra. Chiri: Bom! Você realmente está falando sério sobre sair da pobreza. A próxima coisa importante é fazer canteiros em fila dupla como estamos fazendo aqui. Na verdade, convidei você para ver por si própria. Como eles dizem, só se acredita vendo.

Sra. Ule: Por que canteiros em fila dupla?

Sra. Chiri: O plantio em fila dupla aumenta a densidade das plantas. Isso significa maior produção.

Sra. Ule: Mas eu ouvi dizer que o plantio em fila dupla não permite espaço de respiro suficiente para o amendoim e causa baixa produção…

Sra. Chiri: É um conceito errado. Em terra plana, as linhas deverão estar a 45-60 centímetros de distância e os canteiros a 60-75 centímetros de distância. Se você olhar nossos canteiros, verá que o nosso espaçamento é de 75 centímetros e é como deve ser. Mas os canteiros também devem ser preparados a 60 centímetros de distância.

Sra. Ule: Está bem, os canteiros ficam a 75 centímetros de distância e as filas duplas sobre os canteiros a 30 centímetros de distância.

Sra. Chiri: Isso mesmo, mas veja que, se os canteiros estiverem a 60 centímetros de distância, eles deverão ser usados para uma única fileira. Fileiras duplas deverão estar em canteiros a 75 centímetros de distância. O espaçamento de plantio também é importante. As plantas deverão estar a dez centímetros de distância para as variedades eretas, como Baka, Kakoma, Nsinjiro e Chitala, e a quinze centímetros para as variedades rasteiras, como Chalimbana e CG7. E, antes que eu esqueça, sempre se recomenda usar sementes tratadas e certificadas para garantir boa germinação.

Chiri: (ao longe) Mãe dos meus filhos!

Sra. Chiri: Sim, pai dos meus filhos.

Chiri: Traga-me a cabaça de cerveja.

Sra. Chiri: Uma cabaça de cerveja saindo. Amwali, vou entregar ao meu marido a sua cerveja.

Sra. Ule: (sussurrando) É assim que vocês se chamam ou estão fazendo isso só para que eu me sinta mal porque meu marido não está aqui comigo?

Sra. Chiri: Pssiu! Ele vai ouvir você.

Chiri: O que vocês duas estão cochichando? Não coloque nenhuma poção do amor na minha cerveja. Se você fizer isso, vou vomitar tudo o que beber.

Sra. Ule: Se eu tivesse uma poção do amor, teria dado para o meu marido. Talvez ela o ajudasse a me amar o suficiente para trabalhar comigo na fazenda em vez de perder tempo no bar.

Sra. Chiri: Eu não acredito em poções do amor. As poções do amor não podem fazer você amar alguém que você não ama desde o início.

Sra. Ule: Então, você diz que, depois de preparar a terra e ter sementes certificadas, está pronto?

Sra. Chiri: Sim, mas você não pode se esquecer de fertilizar os seus campos. Na verdade, nós compramos o nosso fertilizante assim que vendemos o primeiro saco de amendoim, antes de gastar o dinheiro em outras coisas. Isso é recomendação dos agentes de extensão rural.

Sra. Ule: E que tipo de fertilizante você compra? O mesmo fertilizante que usa para milho?

Sra. Chiri: Não, não, não! Você compra composto D e fertilizante de gesso e aplica a 100 até 200 quilos por hectare, ou 50 a 100 quilos por meio hectare e 25 a 50 quilos por quarto de hectare. (Nota do Editor: o fertilizante composto D é 8-8-15 NPK e também contém os nutrientes vegetais enxofre e boro) Se você adicionar isso e retirar as ervas duas vezes, terá a mesma produção alta que nós temos.

Sra. Ule: Não sei se podemos comprar fertlizante químico. Podemos usar esterco de animais e material composto de resíduos de produção?

Sra. Chiri: Sim, você pode usar esterco animal ou outros tipos de composto. Ou você pode reduzir o custo do fertilizante fracionando no canteiro.

Chiri: Ouvi tudo o que você disse. Mas você esqueceu uma coisa.

Sra. Chiri: O que foi?

Chiri: Proteger os canteiros para manter a umidade no solo. Proteger os canteiros também ajuda a evitar que a chuva corra pelo campo, o que ajuda a controlar a erosão do solo. A umidade que você conservar no solo será útil durante a seca no final da estação chuvosa.

Sra. Ule: Sabem de uma coisa? Vocês dois deveriam ser agentes de extensão rural. Vocês são até melhores que os agentes de extensão oficiais.

Sra. Chiri: É porque somos agentes práticos e não teóricos.

Ule: (de longe – claramente bêbado) Ei, Chiri, você finalmente decidiu partir para a poligamia? O que essas duas mulheres estão fazendo com você no mato? Responda, o que você está fazendo com a minha mulher no mato? (Ule diminui, falando e reclamando bêbado)


Obs.: A “estaca” de amendoim fixa a vagem do amendoim à planta.


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s