Algodão orgânico ajuda o solo e a comunidade

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 24 de fevereiro de 2016, como parte do pacote de roteiros Barza.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/barza-scripts/organic-cotton-helps-soil-community/.


 

Observações para as emissoras:

A ONG do Benin OBEPAB vem promovendo a agricultura orgânica há 14 anos e, particularmente, o algodão orgânico. Na agricultura orgânica, os insumos agrícolas são exclusivamente orgânicos e, por isso, respeitam o meio ambiente ao mesmo tempo em que combatem as pragas e fortalecem a fertilidade do solo.

A OBEPAB conduziu projetos de pesquisa sobre os efeitos dos pesticidas químicos sintéticos sobre a saúde humana. Em conjunto com as comunidades afetadas, esses projetos identificaram ações que poderiam reduzir o impacto de pesticidas químicos sintéticos sobre a saúde e o meio ambiente. Estas ações incluem a fabricação de pesticidas naturais e fertilizantes verdes, que são uma parte importante da agricultura orgânica, que é o tema do nosso roteiro.

A OBEPAB ajuda os agricultores compartilhando técnicas mais baratas e inovadoras empregadas para algodão orgânico. A ONG trabalha em cinco zonas agrícolas no Benin: Djidja, Sèto, Aklamkpa, Kandi e Sinendé.

Este roteiro descreve uma comunidade que decidiu experimentar o algodão orgânico. O resultado foi aumento da renda, que melhorou as condições de vida.

Este roteiro é um miniteatro baseado em entrevistas reais com agricultores. Você poderá utilizá-lo como inspiração para pesquisar e escrever um roteiro sobre um tema similar na sua região. Ou você poderá decidir produzir este roteiro na sua emissora, utilizando radioatores para representar as pessoas. Se o fizer, não se esqueça de dizer aos seus ouvintes no início do programa que as vozes são de atores e não das pessoas originalmente envolvidas nas entrevistas.


Roteiro:

Personagens:

  • Bossou: agricultor com cerca de 40 anos de idade, trabalhador.
  • Dassi: agricultor, um pouco mais velho que Bossou.
  • Adjagoué: alcoólico da aldeia. Ele também espalha as notícias locais.
  • Chefe Biowa: consultor técnico, coordenador do programa de algodão orgânico.
  • Sèna: criança de sete anos de idade, filho de Dassi.
  • Coordenador: conselheiro, programas agrícolas convencionais.
  • Tassi: agricultora, sobrinha de Bossou.

Vinheta de abertura

Apresentador: É possível cultivar algodão no Benin sem o uso de fertilizantes minerais e pesticidas químicos? É possível colher alimentos de um campo de algodão e comê-los sem risco de envenenamento alimentar devido aos pesticidas? Você ouvirá as respostas a essas questões no programa de hoje, que tem lugar em Sèto, no departamento de Zou, no centro de Benin. Bem-vindo e obrigado pela audiência.

Ruídos de aldeia. Som de animais etc. Som de passos se aproximando.

Dassi: Sèna! Por que você veio para casa se ainda não é meio-dia?

Sèna: Papai, o professor me dispensou porque as minhas mensalidades não foram pagas.

Dassi: Por quê? Eu expliquei para ele outro dia que perdi minha colheita e não recebi dinheiro.

Séna: Ele me disse que somente poderia começar de novo a escola depois que você terminasse de pagar as mensalidades.

Dassi: Está bem. Então você pode me ajudar a vender sodabi (nota do editor: gim local).

Curto silêncio, depois som de passos aproximando-se do microfone. Ouve-se ruído suave de copos e líquido sendo despejado em um deles.

Bossou: (aproximando-se do microfone) Olá, Dassi, dê-me um copo de sodabi. Tenho muitas preocupações. De um hectare de algodão, colhi apenas um saco de cem quilos. Você pelo menos descobriu uma forma de pagar as contas com esse galpão na frente da sua casa para vender sodabi. E está indo bem. Você tem um fluxo enorme de clientes.

Dassi: Aqui está o seu sodabi. A sua situação é melhor que a minha. Não consegui um décimo da produção que estava esperando, mesmo com as chuvas boas deste ano. Gastei muito dinheiro com fertilizantes minerais e pesticidas químicos.

Bossou: O solo fica menos fértil com o passar do tempo; os insumos não resolvem. Você lembra quando as mudas de algodão eram altas? Agora, a cada ano elas ficam menores e a nossa produção diminui. Todos os agricultores do nosso grupo estão reclamando de baixa colheita. (pausa) Dassi, outro copo de sodabi!

Som de passos se aproximando do microfone

Adjagoué: (tossindo) Aqui está. Um primeiro copo, para ir levando.

Bossou: Este é Adjagoué, o homem respeitado por todos os que apreciam sodabi! Vamos ver se você consegue beber um litro de sodabi hoje, como da última vez.

Dassi: Ele consegue tomar até dez litros!

Adjagoué: (depois de beber) Ah! Este sodabi é bom, é de verdade. (pausa) Outro copo, Dassi!

Bossou: Está bem. Eu tomei um copo. Vou embora.

Adjagoué: Não com tanta pressa. Dassi, mais um copo. Bossou, não tão rápido; tenho uma história para contar.

Bossou: Mal posso esperar.

Adjagoué: Ah, esse sodabi é bom! Dassi, o quarto copo. (pausa) Vou contar, eu estava em Djidja. Havia um chefe por lá que distribuía sementes de algodão que diziam que eram orgânicas. Muitos agricultores plantaram. Eles dizem que podem cultivar algodão sem comprar fertilizantes minerais e pesticidas químicos.

Bossou: Isso é ótimo! Algodão orgânico!

Dassi: Eu sabia que, depois de alguns copos de sodabi, você soltaria alguma bobagem! Seria surpresa se não acontecesse.

Bossou: Eu acho essa história interessante.

Dassi: Claro, não é? Como você tomou três copos, deve estar em sintonia com ele! Bom, eu vou ficar longe do algodão, só vendendo sodabi.

Bossou: Eu preciso ir para Djidja. Não posso esperar. Adjagoué, por que não vem comigo? Pode ser uma boa oportunidade. Tome outro copo, Adjagoué, e me leve até lá. Eu dirijo.

Sons de garrafas e copos diminuem no local onde os homens estão bebendo

Apresentador: Assim, Bossou e Adjagoué montaram na motocicleta e foram até Djidja. Será recompensado o entusiasmo de Bossou? Continue ouvindo.

Sobe som de buzina de motocicleta e som de cascalho sob as rodas da motocicleta enquanto ela reduz a velocidade.

Adjagoué: Aqui é o escritório dos mestres do algodão orgânico. Lá está o Chefe, Biowa. Foi ele quem distribuiu as sementes de algodão.

Som de passos sobre cascalho por alguns segundos

Bossou: (aproximando-se do microfone) Olá, Chefe Biowa. Viemos a Djidja para ter mais informações sobre algodão orgânico. Meu amigo Adjagoué me contou a respeito. Mas quase não acreditei que alguém…

Biowa: (interrompendo-o) …que alguém pudesse cultivar algodão sem fertilizantes minerais e pesticidas químicos? Sim, é possível! Dezenas de agricultores fazem isso. E a produção é boa. Venha comigo, vou mostrar as sementes (som de passos, depois som de Biowa colocando as mãos em um saco aberto de sementes). Estas são sementes de algodão orgânico. Amanhã começa a nossa nova campanha agrícola; se você tiver interesse, posso dar três sacos mais um pouco de composto.

Bossou: E como você controla insetos e ervas em algodão orgânico?

Biowa: Vou explicar. Para cada hectare de algodão, você precisa de quatro quilos de farelo de milho. Você adiciona vinte litros de água e deixa a mistura fermentar por 48 horas. Depois você agrega dois quilos de açúcar e dois quilos de semente de neem. Misture tudo e pronto! Você está pronto para controlar seus insetos e ervas. Basta puverizar o líquido sobre as folhas das plantas, como no tratamento de algodão convencional.

Adjagoué:Deixe-me ver se me lembro direito. Para um hectare de algodão, você adiciona quatro quilos de farelo de milho a vinte litros de água e deixa fermentar por dois dias. Depois você agrega dois quilos de açúcar, dois quilos de neem e mistura tudo.

Biowa: Isso mesmo. Para o composto, você pode usar estrume de vaca e resíduo doméstico como grama. Você tem tudo à sua volta para aumentar a fertilidade do seu campo. Este é o meu conselho inicial. O restante você terá depois de provar nosso remédio.

Bossou: Se alguns agricultores tiverem bons resultados, não vejo por quê não devo tentar. Dê os sacos de algodão e o composto. Vamos, Adjagoué.

Sobe o som de partida e buzina da motocicleta. Em seguida, cruzamento entre o som da buzina de motocicleta e o som dos copos no balcão de Dassi.

Bossou: (aproximando-se do microfone) Estamos de volta, Dassi. Encontramos uma solução para o nosso problema.

Dassi: Um copo de sodabi para cada um?

Bossou: Para mim, não. Eu costumava beber para esquecer minhas preocupações. Mas isso acabou; encontrei uma forma de retomar o rumo. Uau!

Dassi:  Conte.

Bossou: Ouça, Dassi, com a agricultura orgânica, você não precisa comprar pesticidas químicos sintéticos nem fertilizantes químicos. Mas a colheita é boa. Eu já comprei sacos de sementes de algodão e composto.

Dassi: Você é engraçado! Só porque está doente, isso não quer dizer que você precisa engolir todos os remédios que as pessoas tentam vender para você. A pessoa que você viu em Djidja é um charlatão, um completo vendedor de ilusões.

Bossou: Você não pode dizer que o molho está salgado até prová-lo. Eu vou tentar o algodão orgânico.

Apresentador: Bossou decidiu tentar o algodão orgânico, mas os outros agricultores do grupo da aldeia prometeram fazer da vida dele um inferno.

Sobe o som de vários agricultores falando todos de uma vez

Dassi: Silêncio, por favor. Amigos, obrigado pela presença. É verdade que não estamos plantando algodão há duas estações. Eu agora estou vendendo sodabi. Mas não vou deixar ninguém sabotar o nosso grupo. Bossou precisa ir para a cadeia.

Outro membro do grupo de agricultores: E também perder sua posição como presidente do nosso grupo, claro.

Dassi: Amanhã vou pedir ao coordenador local de desenvolvimento rural que o prenda. Se ele plantar esse algodão, nós vamos arrancar todas as mudas.

Som de agricultores falando alto, depois diminui Pausa, depois som de passos aproximando-se do microfone.

Coordenador: Bossou, soubemos que você está lançando uma campanha para boicotar o plantio do algodão.

Bossou: (com raiva) Coordenador, isso é mentira. Eu só decidi plantar algodão orgânico.

Coordenador: Está bem! Não é o que me disseram. O algodão orgânico é bom. Você tem todo o meu apoio. Vou dizer aos membros do seu grupo que eles não precisam ter medo de você.

Apresentador: Os meses passam. Os outros agricultores, liderados por Dassi, realizam todas as ameaças possíveis. Uma manhã, Bossou descobriu que uma dúzia de mudas de algodão foi arrancada. Felizmente, ele conseguiu replantá-las. Ele visita o seu campo muito cedo e volta tarde para casa, para evitar que as pessoas arranquem as mudas. Enquanto isso, a prima dele começou a plantar algodão orgânico com ele e descobriu os seus benefícios.

Som de passos se aproximando do microfone

Tassi: (aproximando-se do microfone) Olá, tio. Eu fiz ontem o tratamento do algodão orgânico; é mesmo fascinante. E hoje vou colher alimentos no meu campo de algodão.

Bossou: Veja, minha sobrinha, como eu disse, o algodão orgânico é uma revolução. Você não poderia colher alimentos no seu campo de algodão hoje se usasse pesticidas químicos. Com toda a coceira, vertigem e náuseas que sofremos depois de pulverizar pesticidas químicos sintéticos, é um grande alívio usar pesticidas fabricados com produtos naturais. Você tem sorte de se unir a mim no cultivo de algodão orgânico.

Tassi: O melhor de tudo, tio, é que os insetos-praga não estão causando nenhum problema no meu campo de algodão. Eu preciso me apressar. Vejo o sr. à noite.

Som de passos se afastando do microfone

Apresentador: Os meses passam. Os agricultores colhem o seu algodão. Com eles, Bossou e sua sobrinha. Inesperadamente, o seu algodão é comprado pela organização que deu a eles as sementes de algodão orgânico. Adjagoué visita Dassi e espalha as notícias.

Sons de passos se aproximando do microfone e sons de garrafas sobre os copos

Dassi: Bem-vindo, Adjagoué. Antes de tomar um copo de sodabi, diga-me, quais são as notícias da aldeia?

Adjagoué: Um copo antes de começar a falar. (Som de encher um copo e beber) Obrigado. Sabe, Bossou colheu o seu algodão e vendeu. Ele teve boa produção e recebeu um bom preço. Agora ele está construindo uma casa nova. A sua sobrinha Tassi comprou uma motocicleta e está construindo uma casa para o pai. Tassi até pagou a mensalidade escolar do seu filho.

Dassi: (surpreso) Diga que estou sonhando.

Diminuem sons de homens bebendo e falando

Apresentador: Um dia, Dassi fica doente. Adjagoué pede ajuda de Bossou.

Som de passos se aproximando do microfone

Adjagoué: (sem fôlego, aproximando-se do microfone) Bossou, Bossou, sabe o que aconteceu? Dassi está de cama. Ele não pode pagar o médico, porque a produção dele foi baixa este ano. Ninguém pode ajudá-lo. Você é a única esperança dele.

Bossou: Que bom que posso ajudá-lo. (pausa enquanto Bossou examina os bolsos) Aqui tem algum dinheiro. Dê para a família dele para poderem comprar os remédios de que ele precisa.

Apresentador: Algumas semanas mais tarde, Dassi vai até a casa de Bossou para agradecer pela ajuda.

Dassi: (aproximando-se do microfone) Olá, Bossou. Obrigado por salvar a minha vida. Quando precisamos é que vemos os amigos. Agora vejo que você é um grande homem e que o seu algodão orgânico foi uma boa iniciativa.

Bossou: Não, você não precisa me agradecer. Uma mão lava a outra e as duas lavam o rosto. Precisamos nos ajudar uns aos outros.

Dassi: Gostaria de pedir a você ajuda para plantar algodão orgânico.

Bossou: Claro que ajudo. Com algodão orgânico, você será o mestre do seu campo. Você espalha o composto no vigésimo-quinto dia e sempre que achar necessário. Os pesticidas feitos com farelo de milho e sementes de neem, use a cada oito dias.

Dassi: É muito interessante que a sua família ajuda você no campo, até controlando as pragas.

Bossou: Claro! Eu tenho a colaboração das minhas quatro esposas e dos trinta filhos. Quanto mais pessoas trabalharem, maior é a renda!

Dassi: Também vi você plantar milho, depois algodão e caju no seu campo.

Bossou: Claro! É o meu sistema de rotação de safras. Primeiro cultivei milho orgânico, depois algodão como segundo produto do ciclo. Por fim, plantei cajus no campo de algodão. Quando os cajus se tornam arbustos, você não planta na estação seguinte. Você deixa os cajueiros crescerem e planta o algodão em outro canteiro. O caju cresce e o solo fica em pousio.

Dassi: Você pode fazer rotação de safras com outros alimentos?

Bossou: Claro: feijão, amendoim, mandioca, você escolhe.

Dassi: Todos os outros agricultores pensam em seguir você e plantar algodão orgânico. Mas eles estão com vergonha porque nós todos brigamos com você no passado.

Bossou: Amanhã vou convidar o Chefe Biowa para vir estudar nossas necessidades. Ele pode fornecer sementes para todos confome cada um precisar.

Apresentador: Poucos dias mais tarde, Biowa vai a Sèto para uma reunião com os agricultores.

Sons de pessoas falando; depois diminuem enquanto Biowa fala

Biowa: Olá, produtores de Sèto!

Em coro: Olá, Chefe Biowa!

Biowa: Obrigado por escolherem o algodão orgânico. O custo dessas novas práticas orgânicas é mais baixo. Elas mantêm o solo e sustentam as comunidades aumentando a renda e protegendo a saúde. Os produtos de controle de ervas e pragas são seguros e os campos podem ser tratados por qualquer pessoa sem perigo de prejudicar sua saúde. Mas precisamos lembrar o seguinte: quem plantou algodão convencional este ano precisa deixar seu canteiro em repouso por dois anos antes do cultivo de algodão orgânico.

Agricultor: É um negócio excelente! Se trabalharmos duro no nosso canteiro orgânico e seguirmos as instruções, finalmente poderei consertar o buraco no teto de que fala minha esposa!

Biowa: E as próprias mulheres podem tomar a iniciativa! Tassi é o exemplo perfeito de uma mulher trabalhadora. Ela conseguiu produzir algodão orgânico, comprou uma motocicleta e construiu uma casa para o pai. Ela até pagou as mensalidades escolares do seu filho! (aplausos) Tassi, você precisa passar os seus conhecimentos para as outras mulheres aqui. Vocês precisam trabalhar juntas como um grupo e manter a solidariedade.

Tassi: Claro! Pensei sobre isso e vou fazer!

Biowa: Se estiverem de acordo, vocês podem até formar a sua própria associação de produtores agora. Vocês precisam nomear alguns inspetores para garantir que as pessoas não trapaceiem utilizando pesticidas e fertilizantes químicos. A associação será uma forma de compartilhar experiências e conhecimento. A decisão é de vocês. A cada etapa, não se esqueçam de incluir as mulheres, desde a eleição da diretoria até o treinamento de outros agricultores, homens e mulheres.

Em coro: Aprovado!

Biowa: Vamos nos reunir no final da estação para avaliar os resultados. Vocês podem vir amanhã e pegar as sementes orgânicas para todo o grupo. Obrigado e boa sorte!

Som de vivas e aplausos, diminui sob a voz do apresentador e depois desaparece

Apresentador: Você se lembra das duas perguntas iniciais: é possível cultivar algodão no Benin sem o uso de fertilizantes minerais e pesticidas químicos? É possível colher alimentos de um campo de algodão e comê-los sem risco de envenenamento alimentar devido aos pesticidas? As respostas para essas perguntas são sim e sim! Obrigado pela audiência e até breve.


Créditos:

Contribuição de Pacôme Tomètissi.

Revisão: Adam Sneyd, Professor Assistente de Desenvolvimento e Economia Política Internacional, Universidade de Guelph, Canadá.

Fontes de informação:

Entrevista em 14 de dezembro de 2010 com Simplice Davo Vodounhè, Coordenador do OBEPAB

Entrevista em 16 de dezembro de 2010 com:

  • Marceline Gounon, agricultora e representante das mulheres da Associação de Produtores de Algodão Orgânico de Magassa (Sèto)
  • Nicolas Agbigonon, agricultor e Presidente da Associação de Produtores de Algodão Orgânico de Magassa (Sèto)
  • Awolèkossa, agricultor, Vice-Presidente da Associação
  • Ayinta Lèkodjèwé, Tesoureiro da Associação
  • Gabriel Agbigonon, Controlador Supervisor
  • Antoine Agbangbè, Controlador Supervisor
  • Dieudonné Binonwa, encarregado do Centro de Produção de Agricultura Orgânica da OBEPAB em Djidja
  • Louis Dadjo, encarregado do Centro de Produção de Agricultura Orgânica da OBEPAB em Sèto

Site da OBEPAB (Organização de Promoção da Agricultura Biológica do Benin): www.obepab.orgwww.obepab.bj


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s