Como formar uma cooperativa agrícola eficiente

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1º de março de 2008, como parte do pacote de informações n° 83.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/package-83/forming-an-effective-farmers-cooperative/.


 

Observações para as emissoras:

Em todo o mundo, 800 milhões de pessoas são membros de cooperativas, organizações que atendem aos interesses dos seus membros agricultores. Estima-se que as cooperativas empreguem cerca de cem milhões de pessoas.

As primeiras cooperativas foram grupos de consumidores que se reuniram para começar sua própria loja, de forma que elas pudessem comprar seus produtos mais barato e utilizar os excedentes para melhorar suas comunidades. A ideia foi logo aplicada de outras formas, com pessoas conduzindo negócios para fornecer empregos e fortalecer as comunidades. Em algumas áreas rurais, alguns agricultores não compreendem como operam as cooperativas, nem quais são seus benefícios. Este roteiro foi preparado para compartilhar informações sobre como podem ser formadas e como operam as cooperativas.

Aqui estão algumas sugestões de adições a este roteiro ou de produção de outros programas sobre este tema:

  • Entreviste um membro de uma cooperativa agrícola local bem sucedida sobre como o grupo começou.
  • Escreva uma peça de radioteatro que demonstre uma reunião em uma cooperativa democraticamente organizada, na qual são tomadas decisões importantes.
  • Escreva e transmita uma série de spots de rádio, cada qual anunciando um dos benefícios das cooperativas.

Roteiro:

Narrador: Bom dia, ouvinte! Hoje é um dia importante para todos os interessados em trabalho conjunto, pois esta é uma oportunidade para você fazer exatamente isso! A mensagem de hoje concentra-se em como os agricultores podem trabalhar melhor e apoiar-se mutuamente em uma cooperativa. Então, não desligue o rádio para não perder as informações!

Intervalo musical curto

Narrador: Um dia, o Sr. Mkhumathela visitou os escritórios da TRALSO. A TRALSO é uma organização de desenvolvimento e direitos sobre a terra que trabalha com comunidades rurais marginalizadas sobre questões da terra, reforma agrária e comunidades rurais sustentáveis nas antigas terras do Transkei, na África do Sul.

O Sr. Mkhumathela tinha um problema. Felizmente, encontramos o Sr. Nkalitshane, que é especialista em desenvolvimento comunitário rural. Como funcionário da vizinhança rural, o Sr. Nkalitshane dedica muito do seu tempo à formação de cooperativas comunitárias rurais.

Sr. Mkhumathela: Eu produzo milho há quase vinte anos, mas parece que não atinjo meu objetivo de produzir o suficiente para vender aos grandes compradores, nem mesmo fornecer às residências locais na minha aldeia.

Sr. Nkalitshane: Por quê?

Sr. Mkhumathela: Não tenho muito apoio de ninguém, nem mesmo do governo. Tenho muitos desafios. Levei meu sonho para o Departamento de Agricultura local, mas a resposta que recebi foi que eles eram incapazes de me ajudar como agricultor isolado. Eles só podem ajudar as pessoas em organizações!

Sr. Nkalitshane: Quais desafios você enfrentou como agricultor?

Sr. Mkhumathela: Ah! Não sei por onde começar. Há muitos! Tenho problemas com animais atropelando e destruindo minhas plantas. Tenho problemas com pessoas que roubam meus produtos antes da colheita. Tenho problemas porque não tenho insumos para a produção. Tenho muitos problemas! Tudo isso me manteve na agricultura de subsistência. Acho que trabalho muito, mas tenho muito pouco retorno.

Sr. Nkalitshane: Não se preocupe, Sr. Mkhumathela! Os seus problemas podem certamente ser resolvidos. Na verdade, existem muitas formas de resolver os seus problemas. Uma delas é trabalhar com outras pessoas com problemas similares. Assim eles podem ajudar uns aos outros. Vou convidar você em breve para uma reunião muito importante, onde você encontrará outros agricultores com problemas similares.

Narrador: O funcionário de subsistência rural, Sr. Nkalitshane, sabia que havia outros agricultores locais na mesma situação do Sr. Mkhumathela. Depois de falar com o Sr. Nkalitshane, o Sr. Mkhumathela chamou outros agricultores para comparecerem a uma reunião. O funcionário de subsistência rural foi convidado a discutir a crise no escritório da TRALSO. O Sr. Nkalitshane apresentou essas observações a uma audiência muito atenta e curiosa.

Sobe som de pessoas sentando-se em cadeiras e falando.

Sr. Nkalitshane: (gritando) Ordem! Silêncio, todos! (Voz normal) Bom dia, senhoras e senhores. Sabem que dia é hoje? Hoje é o dia da sua liberdade! (As pessoas começam a murmurar como se ele estivesse zoando delas)

Voz: Que liberdade?

Sr. Nkalitshane: Estou aqui para apresentar a vocês uma coisa chamada “cooperativa”.

Voz: (alto) O que é isso que você chama de cooperativa?

Sr. Nkalitshane: Você está dizendo que não sabe o que é uma cooperativa? Está bem, vou contar o que é. É uma associação autogovernada de pessoas que se reúnem voluntariamente para atender seus desejos e necessidades econômicas, sociais e culturais comuns, por meio uma empresa controlada democraticamente e de propriedade de todos.

Voz: Não estou entendendo o que o sr. está dizendo.

Sr. Nkalitshane: (falando com clareza, forte e diretamente, tentando chamar sua atenção) Veja, como sugere o nome, “cooperativa” é o trabalho conjunto e apoio mútuo para atingir um objetivo comum. Este objetivo poderá ser economizar dinheiro, comprar insumos de produção, comercializar produtos, construir casas, começar negócios ou cultivar produtos com alto valor.

Sr. Nkalitshane: (compreende que a maioria das pessoas não está entendendo e explica com mais detalhes) Uma cooperativa é baseada na democracia; todos os membros da cooperativa ou grupo participam da tomada das decisões que controlam o negócio. Para tornar-se membros, as pessoas compram uma ação da cooperativa e têm um voto cada uma. Mesmo se uma companhia comprar muitas ações de uma cooperativa, ela ainda terá um voto, como todos os demais.

Sr. Mkhumathela: Por que é necessário formar uma cooperativa? Por que precisamos ter os mesmos interesses e desejos ao formar uma cooperativa?

Sr. Nkalitshane: É sempre preferível e importante que os agricultores sejam organizados em grupos que atendam ao seu interesse e necessidades! Se os agricultores não tiverem desejos e interesses comuns, as cooperativas podem entrar em colapso, pois deixarão de atender às necessidades do membros do grupo.

Sra. Nzimande: Como trabalha uma cooperativa? Ela cuidará de todas as minhas necessidades e da minha família?

Sr. Gwanya: Desculpe, senhor! Como podemos formar uma cooperativa agrícola eficiente? Você pode começar uma cooperativa com apenas duas pessoas? Que tamanho deverá ter uma cooperativa para ser bem sucedida?

Sr. Nkalitshane: Cooperativas agrícolas eficientes são formadas por agricultores que correm em busca de um interesse e um objetivo comum. Ter objetivo comum garante a manutenção do foco sobre as discussões e interações dos agricultores sobre os seus problemas, que podem ser resolvidos com sucesso.

Sra. Nzimande: E sobre a liderança da cooperativa?

Sr. Nkalitshane: Os membros da cooperativa ou grupo elegem pelo menos três diretores, que administram os trabalhos diários da cooerativa e respondem a todos os membros.

Sr. Mkhumathela: Por que só há três diretores? Os outros membros podem destituí-los?

Sr. Nkalitshane: Isso é porque nem todos os membros podem ser eleitos diretores ao mesmo tempo! Você precisa de apenas alguns para dirigir as operações do grupo. Sim, os membros têm o direito de substituí-los quando o seu desempenho não está de acordo com as suas expectativas.

Sr. Gwanya: O sr. não respondeu minha última questão, Sr. Nkalitshane!

Sr. Nkalitshane: Qual foi a pergunta, Sr. Gwanya?

Sr. Gwanya: Você pode começar uma cooperativa com apenas duas pessoas? Que tamanho deverá ter uma cooperativa para ser bem sucedida?

Sr. Nkalitshane: Sua questão, de fato, é muito importante e gostaria que os demais ouvissem cuidadosamente. Ao formar uma coopeartiva, é importante observar que o grupo permaneça administrável. Se o grupo for grande demais, ele pode não ser administrável. Sim, você pode começar um grupo com dois indivíduos, mas deve-se fazer esforços para aumentar o número de pessoas para trazer diversidade para o grupo.

Sra. Nzimande: Sou mulher. O sr. acha que eu tenho chance de entrar em uma cooperativa?

Sr. Nkalitshane: Sim! As mulheres levaram boas ideias para muitas cooperativas em atividade. Não importa se você é homem ou mulher! Na verdade, os grupos deverão ser compostos de homens e mulheres jovens e de idades variadas, incluindo idosos, pois eles detêm experiência e conhecimento que são valiosos e podem ser aproveitados na condução do grupo. Esta diversidade de membros vai garantir que as ações do grupo beneficiem maior quantidade de pessoas! As mulheres podem até criar a sua própria cooperativa, se quiserem.

Sr. Mkhumathela: E sobre os membros que não participam de atividades importantes na cooperativa? Como lidar com isso?

Sr. Nkalitshane: É bom pensar nessas coisas quando desenvolver a ideia do grupo. Cada grupo pode elaborar as suas próprias regras. Essas regras podem incluir níveis mínimos de participação para os membros, como participação em reuniões, quantidade de produtos vendidos pela cooperativa ou número de horas de contribuição regular para a cooperativa. Você pode também estabelecer quais ações serão tomadas sobre os membros que não participarem.

Sra. Nzimande: Pelo que o sr. está dizendo, vejo que o fluxo de informações entre os membros do grupo é muito importante.

Sr. Nkalitshane: A sra. tem razão, Sra. Nzimande. Além disso, é preciso identificar alguém no grupo que atualize os membros sobre as atividades agrícolas e inovações na sua região. Encontros regulares e oficinas deverão ser empregados como outra forma de compartilhamento de informações. Dependendo da situação, essa pessoa pode receber uma compensação para cobrir os custos de distribuição das informações.

Sr. Mkhumathela: Então, como começamos?

Sr. Nkalitshane: Vocês podem começar consultando o seu agente de extensão agrícola local, o departamento de agricultura e cooperativas ou uma ONG de desenvolvimento na sua região. Contem os seus problemas e desafios na sua região, e o seu desejo de formar um grupo. Eles vão orientar o processo (nota do editor: você precisará pesquisar localmente para fazer boas sugestões de locais onde os agricultores podem obter ajuda para formar a cooperativa).

Sons de conversa entre os participantes da reunião, depois fortes aplausos, que diminuem sob o narrador e terminam.

Narrador: Após a apresentação do Sr. Nkalitshane, houve enormes aplausos da audiência. Ficou claro que a reunião os salvou da miséria e da desmoralização. As pessoas ficaram determinadas a começar o seu próprio grupo de agricultores!

Narrador: (pausa) Se você quiser formar uma cooperativa bem sucedida, é importante seguir as orientações discutidas hoje. Entre em contato com agentes de extensão rural e qualquer organização relevante na sua região para obter mais informações. Obrigado pela audiência e até a próxima.


Créditos:

Contribuição de Navy Simukonda (Diretor Executivo) e Nkosinamandla Mzantsi (funcionário de subsistência rural) da Organização de Serviços Fundiários do Transkei (TRALSO), uma organização de desenvolvimento e direitos à terra ativa nas antigas terras do Transkei (África do Sul) sobre questões de terra, reforma agrária e subsistência rural.

Revisão: Rodd Myers, Gerente de Programas Sênior, Desenvolvimento Internacional; Especialista em Desenvolvimento Agrícola, Associação Canadense de Cooperativas.

Fontes de informação:

Os materiais empregados para compor o roteiro vieram do trabalho da TRALSO e do Grupo de Suporte a Agricultores (FSG) em KwaZulu Natal. Agradecimentos especiais ao Fundo de Justiça Social da União de Trabalhadores Autônomos do Canadá (CAW) pelo apoio a este roteiro sobre o trabalho agrícola.


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s