Dicas agrícolas

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1º de janeiro de 1985, como parte do pacote de informações n° 9.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/package-9/farming-hints/.


Observações para as emissoras:

Parte A: “Pássaros: um problema para muitos agricultores”.
Parte B: “Armadilha simples para ratos”.
Parte C: “Queimadas: tente evitá-las”.
Parte D: “Por que plantar árvores?”

Informações sobre esses temas foram solicitadas pelos participantes da Rádio Rural Internacional em Bangladesh, Bolívia, Brasil, Camarões, Colômbia, Equador, Filipinas, Guatemala, Haiti, Índia, México, Paraguai, Peru, Porto Rico, Quênia, República Dominicana, Senegal, Serra Leoa, Sri Lanka, Suazilândia, Tailândia e Uruguai.

Como os quatro “minitemas” que compõem este roteiro são assuntos diferentes, sugere-se que aqueles que forem aplicáveis aos seus agricultores sejam utilizados em ocasiões separadas; e também que você leia cuidadosamente as observações que acompanham os “minitemas” utilizados e siga as sugestões referentes a informações em outros roteiros da Rádio Rural Internacional.


Roteiro:

Apresentadores:

Parte A: George Atkins.
Parte B: George Atkins.
Parte C: Barbara Peacock.
Parte D: George Atkins.

Nós aqui na rádio somos parte de uma rede mundial de informações que reúne dados sobre agricultura de países em desenvolvimento em todo o mundo. É a Rede de Rádios Agrícolas para Países em Desenvolvimento, financiada pela Agência Canadense para o Desenvolvimento Internacional, Massey-Ferguson e a Universidade de Guelph. Por meio dessa rede, nós trazemos para você informações sobre formas de aumentar o fornecimento de alimento para a sua família ou para venda – formas que outros agricultores utilizaram com sucesso. Hoje, temos conosco (George Atkins/Barbara Peacock) com uma dica sobre agricultura.


Parte A

“Pássaros: um problema para muitos agricultores”

Atkins: Os pássaros podem ser bons para você – e podem ser maus.

Você já pensou sobre isso? A parte boa é que eles comem muitas pragas, como moscas, besouros e vermes que estragam suas frutas, legumes e outros produtos. Os pássaros são muito bons quando fazem isso.

Em outros momentos, entretanto, alguns desses mesmos pássaros podem comer as sementes que você plantou, atacar as suas frutas e legumes enquanto elas crescem ou comer os seus grãos (o seu sorgo, milho, arroz ou trigo) antes mesmo da colheita.

Então, o que você pode fazer com os pássaros que às vezes são seus amigos, às vezes seus inimigos?

Bem, não tente matá-los. Se você fizer isso, não haverá pássaros em volta quando você precisar deles para se livrar das pragas de que falei.

Vou sugerir várias formas de lidar com o problema. Mas lembre-se de que há muitos tipos diferentes de pássaros e de safras e o que é bom para um agricultor em uma região pode ou não ser o que outro agricultor, de outra região, deverá fazer. O melhor é tentar diferentes métodos para poder decidir quais são os mais adequados para você.

Para começar, se os pássaros comem as suas sementes logo depois do plantio, talvez você possa tentar plantá-las um pouco mais fundo no solo, mas não fundo demais.

Algumas pessoas protegem as sementes recém-plantadas e plantas pequenas com latas velhas. Eles usam latas sem a parte de cima ou a de baixo. Para leitos de mudas e algumas safras de jardim, você poderá cobrir o leito com uma rede de pesca, meio metro acima. Para segurar a rede, você poderá rodear o leito com estacas fortes na altura certa. Se você não tiver uma rede, poderá amarrar um cordão ou corda forte perto do topo de uma das estacas e estirá-la firmemente para a frente e para trás sobre o leito entre as estacas. Isso manterá os pássaros afastados.

Outra boa forma de lidar com o problema é afugentar os pássaros. Há muitas formas de fazer isso. O importante ao afugentar os pássaros é começar a fazê-lo na época em que eles começam a atacar a sua plantação. Você deve estar pronto para eles e fazer com que eles parem logo no começo, antes que descubram como suas sementes ou safras são boas.

Aqui estão algumas formas: Um agente de extensão agrícola em Serra Leoa, Easmon Lavaly, ensina a construir um espantalho no seu campo de arroz, de amendoins ou no seu jardim. Coloque uma estaca alta no solo para que fique da altura de uma pessoa. Depois, mais ou menos onde deveriam ficar os braços e os ombros, fixe um bastão mais curto, fazendo uma cruz. Você pode colocar um vestido ou camisa velha sobre a cruz, usando a barra cruzada como os braços e os ombros de uma pessoa. Coloque um chapéu velho por cima e ai está uma pessoa sem vida para afugentar os pássaros. Quanto maior o campo, mais espantalhos você precisará espalhar em volta das plantas em crescimento. Easmon diz que eles são muito eficientes em Serra Leoa.

Na Costa Rica, alguns agricultores conseguem um animal morto de alguma espécie e o deixam no campo. Em algum tempo, abutres vão encontrá-lo e começar a voar por cima dele. Eles são aves grandes que assustam as menores que poderiam atacar a sua produção.

Se você encontrar um pássaro morto da espécie a ser afastada, pendure-o em uma estaca alta. Ele pode assustar os demais.

E agora, outro método de Serra Leoa. Easmon Lavaly e George Vandi nos contaram sobre ele. Eles sugerem a instalação de diversas estacas na área que você quer proteger. Todas essas estacas são conectadas entre si com cordas ou cordões; pendurados nas cordas entre as estacas, você coloca latas com pequenas pedras que irão chacoalhar dentro das latas quando se moverem e afastar os pássaros.

Aqui está como fazer: Primeiro pegue várias estacas altas e flexíveis e fixe-as no chão, na área a ser protegida contra as aves. Uma ou mais cordas ou cordões fortes devem então ser amarrados ao topo de cada estaca. Essas cordas são estiradas firmemente e amarradas ao topo de outras estacas próximas. Depois de construir a “teia” de cordas que conecta firmemente todas as estacas, pegue um lote de latas vazias, amarre um pedaço de corda de 20 a 30 cm a cada uma delas e pendure duas ou três delas juntas nos pedaços de corda entre as estacas. Coloque três a cinco pedrinhas em cada lata. O que você fez? Um gerador de ruído que afasta os pássaros exatamente onde eles querem atacar a sua produção. A um dos pedaços de corda, você amarra uma corda forte com comprimento suficiente para chegar até o lugar onde você ficará sentado, esperando a chegada dos pássaros. Quando eles chegarem, empurre a corda – ela vai agitar todas aquelas estacas, cordas e latas; as pedras vão chacoalhar nas latas e os pássaros voarão.

Isso vai acontecer se você estiver pronto para afugentar os pássaros quando eles vierem comer; por isso, é importante que você observe quando eles normalmente vêm durante o dia.

Mas lembre-se, é melhor começar a afastar os pássaros antes que eles se acostumem a comer a sua produção.


Parte B

“Armadilha simples para ratos”

Atkins: Você tem problemas com ratos na sua produção?

Há muitos anos, alguns agricultores africanos vêm resolvendo seus problemas com ratos capturando os animais onde eles se encontram – no campo. Agora, muitas outras pessoas estão tentando este método e descobrindo que ele funciona muito bem para proteger sua produção contra os ratos. É assim que eles fazem.

A ideia é atrair os ratos para jarros ou potes que são instalados no chão, de forma que, colocando-se terra em volta dos potes, as aberturas superiores dos potes fiquem ao nível do solo. Você pode fazer com que os ratos dos seus campos caiam nesses potes. Mas antes você precisa despejar algum líquido pegajoso nos potes, em quantidade suficiente para que fiquem cheios até a metade de líquido pegajoso. Então, quando os ratos caem, eles não conseguem sair dos potes e , se você os deixar ali, eles naturalmente vão se afogar.

As melhores épocas para instalar armadilhas como esta são durante a estação de plantio e após a colheita; e, claro, se você capturar muitos ratos antes que eles consigam ter filhotes, você terá poucos ratos para combater.

Faça assim.

Use jarros ou potes que tenham abertura razoavelmente grande no topo e sejam suficientemente altos para que você possa colocar todo o seu braço dentro deles, ou seja, com 60 a 80 centímetros de profundidade de cima abaixo. Talvez você já use jarros ou potes como estes para carregar água.

Se houver muitos ratos no campo, você precisará de três a cinco desses potes por hectare (um ou dois potes por acre). Se não houver muitos ratos, não precisará de tantas armadilhas.

Em seguida, você precisará de água, misturada com algo que a torne espessa ou pegajosa, para que, quando um rato cair nessa mistura pegajosa, ele não possa mover-se muito bem e não consiga escapar facilmente. Como fazer uma mistura pegajosa como essa? Bem, você pode ferver algumas cascas de mandioca. Ou você pode conhecer outras coisas que poderá misturar com água com fazer um líquido espesso e pegajoso.

Depois de preparar o líquido pegajoso, despeje o suficiente no pote enterrado no solo para que fique cheio pela metade. Mas não mais que isso, pois você não quer que os ratos que caiam na armadilha consigam atingir a extremidade e escalar para fora. É melhor se você colocar o líquido no final da tarde ou à noite, pois os ratos saem para procurar comida à noite.

Mas o que você pode fazer para os ratos se aproximarem desses potes grandes no chão e cair dentro deles? Bem, os ratos gostam de grãos torrados: arroz, trigo e outros grãos. Você deverá colocar esses grãos torrados cuidadosamente uns ao lado dos outros em volta de toda a parte superior do pote, o mais perto possível deles. Talvez você descubra uma forma de fazer isso sem tocar nos grãos torrados com os dedos. Farejando os grãos, os ratos poderão saber que você os tocou e poderão ter medo de comê-los. Por isso, tente não tocar nesses grãos torrados.

Você agora terá um anel de grãos torrados em volta de toda a extremidade do pote.

Quando um rato chegar à armadilha e começar a comer a isca, ele comerá um grão torrado e, à medida que comer os outros, ficará se movendo em volta da extremidade do pote. Isso é algo que os ratos não fazem naturalmente. Eles normalmente não se movem em um círculo desta forma e, por isso, perderão o equilíbrio e cairão no pote com aquele líquido pegajoso.

Toda manhã, retire os ratos afogados da sua armadilha e os enterre. Depois, todas as tardes, coloque um novo anel de grãos torrados em volta da borda do pote enterrado.

Depois de dois ou três dias, desenterre as armadilhas, limpe bem e enterre novamente, mas em locais diferentes do campo. Isso é muito importante. Adicione o mesmo tipo de líquido pegajoso e coloque a isca de grãos torrados como de costume. Continue retirando os ratos mortos das armadilhas e adicionando novas iscas todos os dias.

Depois de dois ou três dias, mova novamente os potes, escave, lave, coloque-os em novos lugares no campo e comece novamente. Continue fazendo isso enquanto estiver capturando ratos.

Nunca reutilize os mesmos potes para água ou comida, a menos que você os lave várias vezes, com muito sabão e água fervente. Se você não fizer isso, germes dos ratos podem atingir sua comida e deixar você muito doente.

Muitos agricultores africanos agora usam esse tipo de ratoeira, que é muito útil. Talvez você também use!


Parte C

“Queimadas: tente evitá-las”

Peacock: Talvez você tenha visto uma queimada e ouvido os seus altos sons de estalo. —

Pode ser assustador!

Agora você pode achar que, se você limpar o terreno para agricultura com fogo, todas aquelas cinzas que ficam depois da queimada serão muito úteis para a sua produção. É verdade que as cinzas são importantes como alimentos para as plantas, mas o que acontece quando o vento sopra? Você sabe muito bem que muitas dessas cinzas podem justamente ser sopradas para longe. E isso certamente não vai ajudar a sua produção se acontecer!

Mas você já pensou no que realmente acontece quando há um incêndio florestal, quando tudo é queimado?

Já falamos neste programa sobre a preparação do seu próprio fertilizante com grama, ervas, folhas e muitos tipos diferentes daquilo que chamamos de material orgânico; o tipo de fertilizante doméstico que chamamos de “composto”. Pense por um momento quanto desse tipo de material orgânico existe em um bosque. E imagine quanto alimento realmente bom para as plantas você teria se compostasse aquilo tudo. Pense em quanto composto já está no chão do bosque com as folhas e outros materiais de plantas que foram sendo reunidos no tempo em que o bosque está ali. Existe muito alimento de boa qualidade para as plantas em todo o composto que já está ali, e também em todo aquele material verde vivo no bosque.

O que acontece com isso tudo se houver uma queimada? A maior parte desse alimento valioso para as plantas seria perdida e até as cinzas podem ser sopradas para longe por um vento forte, ou lavadas por uma chuva forte.

Isso é algo para se pensar! E tem mais uma coisa.

Até agora falamos sobre samambaias, arbustos, árvores, folhas e outras plantas que crescem no bosque acima do solo e sobre a matéria orgânica dessas plantas que se acumula sobre o solo ao longo dos anos. À medida que elas se acumulam, boa parte delas mistura-se com o solo na forma de húmus.

Já dissemos neste programa que o solo com muito húmus absorve e retém mais umidade que o solo sem húmus. As plantas precisam dessa umidade para crescerem bem.

O que acontece com esse húmus do solo quando há uma queimada? Bem, boa parte é destruída pelo fogo.

O que acontece então com a chuva que cai sobre a terra depois da destruição do húmus? Uma pequena parte dela permanece no solo, muito mais corre para longe e muitas vezes leva solo bom com ela. Esse solo lavado é o solo superior, o melhor para o cultivo de produtos.

Há um outro problema com esse solo com menos húmus. Quando ele seca no sol quente e há vento forte, o bom solo superior pode ser soprado para longe com facilidade. É claro que, quando o solo é perdido desta forma, as plantas não crescerão da mesma forma e a terra pode ficar cada vez mais seca. Na verdade é assim que começam a formar-se os desertos; tudo isso por causa daquele incêndio que queimou quase tudo.

Eu disse “quase tudo” porque às vezes as árvores maiores não serão completamente mortas. Mas elas sofrem danos e não vão crescer tão bem depois disso. Por isso, haverá menos lenha e madeira para outros usos.

Quando você pensa em tudo o que já falamos, você não acha que deveria fazer todo o possível para evitar queimadas?

Para Agricultura, a Indústria Básica, sou Barbara Peacock.


Parte D

“Por que plantar árvores?”

Atkins: Vamos pensar um pouco em árvores.

Muitas pessoas cortam árvores. Menos pessoas plantam árvores. Se você é um agricultor, provavelmente já plantou muitos produtos desde a sua juventude, mas quantas árvores você já plantou?

Já pensou sobre isso? Você precisa de comida para você, para sua família e para vender; por isso, você planta e colhe seus produtos. E quanto à madeira? Você também precisa dela. Se você cortar ou “colher” a madeira, como espera continuar fazendo isso se não plantar árvores como planta os outros produtos que você colhe?

David Coyle, guarda-florestal em Kanye, Botsuana, contou o seguinte.

Coyle: Falei com uma mulher outro dia e perguntei como era esta aldeia dez anos atrás. —

Ela disse: “quando morei aqui pela primeira vez, você podia sair pela porta e coletar madeira seca; não tínhamos problemas para conseguir lenha”. Agora, ela diz que precisa andar um dia inteiro para encontrar lenha suficiente para abastecer sua família por uma semana; e, em breve, chegará ao ponto em que terá que trabalhar dois ou três dias por semana só para conseguir lenha.

Atkins: Há outras razões para plantar árvores perto de onde você mora ou sobre terreno inclinado ou pedregoso perto da terra que você usa para plantar. Aqui está outro guarda-florestal, Andy Kenney.

Kenney: Precisamos também considerar a importância das árvores para fornecer abrigo para os nossos campos ou jardins, protegendo a produção contra ventos que podem prejudicá-la e também protegendo nossas casas.

Também podemos ver vários outros usos das árvores.

Se você tiver árvores para proteger a sua casa contra ventos, mas também fornecer lenha e alimento para os animais e até para você, estará conseguindo muito mais valor com essas árvores.

Atkins: Agora, eu pergunto: não seria bom se todos pudessem plantar uma nova árvore toda vez que cortassem outra? Se todos fizessem isso, haveria suprimento interminável de lenha e também de madeira para outros usos. Outra razão muito boa é que existem mutias regiões onde o plantio de árvores teria evitado o aumento dos desertos.

Agora, se você decidir começar a plantar árvores, talvez haja uma agência na sua região que possa fornecer árvores para plantio e ajudar ou pelo menos mostrar como fazer.

Se não houver essa agência ou se as árvores jovens custarem muito dinheiro, você pode fazer tudo sozinho: cultivar árvores a partir de sementes ou mudas, como você faz para cultivar outras plantas. Vamos falar sobre isso em uma próxima vez. Antes de terminar, aqui está o Dr. David Kidd com mais uma boa razão para plantar árvores.

Kidd: Conheci agricultores mais idosos em algumas regiões e eles dizem: “Veja, nessas montanhas, 40 ou 50 anos atrás, havia muitas árvores; e, com certeza, o corte das árvores prejudicou o clima”.

Atkins: Muito obrigado, Dr. David Kidd em Ranchi, no nordeste da Índia.

Para Agricultura, a Indústria Básica, sou George Atkins.


Créditos:

Entrevistados: David Coyle, a/c Kantor Bappeda II,
Watampone, Kabupaten Bone, Sulawesi
Selatan, Indonésia

Andy Kenney, a/c Departamento de Meio Ambiente
Biologia, Universidade de Guelph
Guelph, Ontário
N1G 2W1, Canadá

Fontes de informação:

Parte A:

  1. Mini Technology, Volume 1, segunda edição, pubicado por Sahayogi Press, Tripureshwar, Katmandu, Nepal. Pode ser obtido por meio da UNICEF, P. O. Box 1187, Katmandu, Nepal.
  2. Parceiro da Rádio Rural Internacional Easmon Lavaly, C. I. D. Headquarters, Freetown, Serra Leoa.
  3. Parceiro da Rádio Rural Internacional George Vandi Jr., a/c Dr. B. J. Lansana, Serviços Médicos do Exército, Wilberforce Barracks, Freetown, Serra Leoa.
  4. Voluntários em Assistência Técnica (VITA), 3706 Rhode Island Avenue, Mt. Rainier, Maryland 20822, Estados Unidos.
  5. Proteção de Sementeiras contra Pássaros, Cada Cabeça e um Mundo…, n° 15, Programa de Tecnologia da Escassez (em português), publicado pelo Ministério da Educação e Cultura, Fundação Movimento Brasileiro para a Alfabetização (MOBRAL), SCRLN 704/5 – LB. H Ljs. 33/43, Brasília – DF, Brasil.

Parte B:

As informações dessa parte são de um artigo intitulado The Kornaka Trap in Niger, da publicação African Environment, Vol. III, n° 3-4. Para uma cópia, escreva para ENDA, Boite Postale 3370, Dakar, Senegal. O artigo foi baseado em informações de um folheto em idioma francês sobre controle de ratos e roedores (Recomendação de Proteção Vegetal n° 1, 1976) produzido pelo Serviço de Proteção Vegetal, Ministério do Desenvolvimento Rural, Niamey, Níger.

Parte C:

  1. Agricultural Extension Handbook, publicado pelo Projeto de Desenvolvimento Agrícola Germano-Ganense (GGADP). Para mais informações, escreva para Albin Korem, Projeto de Desenvolvimento Agrícola Germano-Ganense (GGADP), P. O. Box 171, Tamale, Northern Region, Gana.
  2. Geald Ivanochko, No. 9-908-15th St. East, Saskatoon, Saskatchewan, Canadá, S7N 0R3.

Parte D:

  1. A Guide to Successful Tree Growing, publicado pelo Ministério da Agricultura e Recursos Naturais, Departamento de Florestas, P. O. Box 30048, Capital City, Lilongwe 3, Maláui. Ele foi enviado pelo participante da Rádio Rural Internacional McKey Mphepo.
  2. What’s a Tree for? e How to Plant Your Seedling Tree, publicados pelo Departamento de Florestas, Suva, Fiji, enviado pelo participante da Rádio Rural Internacional Gyan Chand.
  3. People’s Workbook, publicado pela Agência Ambiental e de Desenvolvimento (EDA), Box 62054, Marshalltown, 2107 Joanesburgo, África do Sul.
  4. Indicaciones Generales Sobre Plantaciones Forestales (em espanhol), de Luis Venegas Tobar, publicado pelo Instituto Nacional de Recursos Renováveis e Meio-Ambiente, Ministério da Agricultura, Carrera 10 No. 20-30, Bogotá, D. E., Colômbia.
  5. World Neighbours in Action, Vol. 9, n° 2E, Tópico: Reforestation, publicado pela World Neighbours, 4116 North Portland Avenue, Oklahoma City, Oklahoma 73112, Estados Unidos.
  6. Roteiros de filmes da World Neighbours: We Need Trees, Trees, Land and People.Parte 1 – Trees as a Farm Crop; Parte 2 – Trees from Seedbed to Harvest.Vide o endereço na referência 5 acima.
  7. Techniques and Plants for Tropical Subsistence Farms, Trees, de Franklin W. Martin e Ruth M. Ruberte, Agricultural Reviews and Manuals, ARM-S-8/julho de 1980, Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, Administração de Ciência e Educação Washington DC 20250, Estados Unidos.
  8. Hello Tomorrow, 45/83, programa preparado pela BBC Topical Tapes, P. O. Box 76, Bush House, Strand, Londres, WC2B 4PH, Reino Unido.

Fontes adicionais de informações:

  1. Reforestation in Arid Lands, de V. C. Palmer, disponível por meio de Voluntários em Assistência Técnica (V.I.T.A.), 1815 North Lynn Street, Suite 200, P. O. Box 12438, Arlington, Virginia 22209, Estados Unidos; também disponível por meio da Peace Corps, Information Collection and Exchange, Office of Program Development, 806 Connecticut Avenue, N.W., Washington, D.C. 20526, Estados Unidos.
  2. Firewood Crops: Shrub and Tree Species for Energy Production, Vols. 1 e 2, publicado pela Academia Nacional de Ciências, disponível por meio de BOSTID (JH-217D), National Research Council, 2101 Constitution Avenue, Washington DC 20418, Estados Unidos.
  3. Environmentally Sound Small-Scale Forestry Projects – Guidelines for Planning, publicado pela CODEL, Environment and Development Program, 79 Madison Avenue, Nova Iorque 10016, Estados Unidos; também publicado e disponível por meio de Voluntários em Assistência Técnica (V.I.T.A.), 1815 North Lynn Street, Suite 200, Arlington, Virginia, 22209, Estados Unidos.
  4. Manual of Reforestation and Erosion Control for the Philippines, Série GTZ n° 22, compilado por H. J. Weidelt, publicado pela Agência Alemã de Cooperação Técnica (GTZ), P. O. Box 5180, Dag-Hammarskjold-Weg 1, D-6236 Eschborn, Alemanha.

A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s