Mangas para todas as estações: agricultores quenianos lucram secando e vendendo mangas o ano inteiro

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 14 de novembro de 2013, como parte do pacote de informações n° 97.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/package-97-growing-groundnuts/mangoes-for-all-seasons-kenyan-farmers-profit-by-drying-and-selling-mangoes-all-year-round/.


Observações para as emissoras:

Os agricultores de Murang’a, na região central do Quênia, estão secando suas frutas e legumes com um secador solar de fabricação local para fabricar produtos de alto valor. As mangas e outras frutas e legumes são fatiadas em pequenos pedaços, secas e então embaladas. As frutas e os legumes secos são vendidos para a Azuri Health Ltd., uma empresa privada que apresentou aos agricultores o sistema de secagem solar. A Azuri Heath também ensina aos agricultores como processar e comercializar os seus produtos.

Este roteiro mostra uma forma como os plantadores de frutas e legumes podem ganhar maor valor na cadeia de frutas e legumes. Recebendo treinamento e instruções sobre como fazer secadores solares da Azuri Health Ltd., os agricultores agregaram valor aos seus produtos e receberam preços mais altos. A empresa foi beneficiada por conseguir uma fonte confiável de frutas e legumes de qualidade que, por sua vez, vende para os compradores.

Este roteiro é baseado em entrevistas reais. Você poderá utilizá-lo como inspiração para pesquisar e escrever um roteiro sobre um tópico similar na sua região. Ou poderá decidir produzir este roteiro na sua emissora, utilizando radioatores para representar as pessoas. Se o fizer, não se esqueça de dizer aos seus ouvintes no início do programa que as vozes são de atores e não das pessoas originalmente envolvidas nas entrevistas.

Você conhece parcerias similares entre empresas e agricultores na sua área de audiência? Poderá também haver parcerias entre ONGs e agricultores. Envolver-se nessa parceria, naturalmente, não é garantia de sucesso para os agricultores. Eles precisam cuidar para que os termos do contrato (escrito ou verbal) entre eles e a outra parte sejam claros, razoáveis e favoráveis para os agricultores. Os agricultores apresentados neste roteiro receberam claros benefícios. Mas talvez você conheça projetos em que os agricultores não foram tratados com honestidade, ou não foram beneficiados.

Você poderá levar ao ar este programa e dar continuidade com uma discussão aberta (com ligações telefônicas e mensagens de texto) sobre parcerias entre empresas e agricultores. Em quais circunstâncias estas parcerias são benéficas para os agricultores? A quem os agricultores podem dirigir-se em busca de assistência, para garantir que as parcerias serão benéficas?

O tempo estimado deste item (elemento), com vinheta de abertura, introdução e encerramento, é de quinze minutos.


Roteiro:

Vinheta de abertura sobe e depois ao fundo.

Apresentador: Olá, ouvintes, e bem-vindos ao programa. Você sabia que pode cultivar mangas e vendê-las ou comê-las dois anos depois da colheita? E ganhar um bom dinheiro com isso? Sim, é verdade. Fique ligado para saber como. (Pausa)

De dezembro a fevereiro de cada ano, os plantadores de manga na África são forçados a ver parte das suas mangas apodrecerem na árvore, porque há mangas demais no mercado.

Mas os agricultores de Murang’a, na região central do Quênia, encontraram uma solução para este problema. Eles estão preservando suas frutas e legumes com um secador solar. As frutas secam rendem mais dinheiro porque elas têm valor mais alto.

Eles aprenderam esta técnica com a Azuri Health Ltd., uma empresa que também compra os seus produtos secos. Vamos ouvir um porta-voz da empresa daqui a pouco. Primeiro, vamos ouvir dois produtores de mangas. Eu os visitei na sua casa em Murang’a, na parte central do Quênia.

(Vinheta de abertura sobe e desce)

Muchoki: Bem-vindo, bem-vindo. Sou Samuel Muchoki e esta é a minha casa. Esta é Margaret Nyambura. Ela também é produtora de mangas.

Apresentador: Olá, Margaret, prazer em conhecê-la.

Nyambura: Obrigada e bem-vindo.

Apresentador: Obrigado. Estou aqui para aprender mais sobre o cultivo de mangas. Talvez possamos começar com você, Muchoki. Há quanto tempo você cultiva mangas?

Muchoki: Eu comecei a cultivar mangas há mais de dez anos, depois que me aposentei de um emprego no governo. Eu tenho sete acres de diferentes variedades de mangas: Van Dyke, Tommy Atkins e Kent.

Apresentador: Devem ser muitas mangas.

Muchoki: Sim, mas eu não comecei com sete acres; comecei com pouco. Primeiro cultivei milho, feijão e legumes, até que soube que havia uma grande demanda por mangas aqui e no exterior. Então comecei com algumas árvores.

Apresentador: Como era a sua vida depois que você se aposentou do emprego no governo, antes de começar a cultivar mangas?

Muchoki: É difícil sobreviver depois da aposentadoria de um emprego no governo. A vida não era fácil. Minha esposa e eu estávamos desempregados e tínhamos crianças para alimentar, vestir e educar. Mesmo a alimentação da minha família com uma refeição era um problema – e isso é embaraçoso para o homem na minha cultura. Todos estavam cultivando feijão e batatas e, por isso, vender era difícil. Isso era tudo o que estávamos comendo, dia e noite. Era ruim. O cultivo de mangas foi a melhor decisão que já tomei.

Apresentador: Diga-me: como você cultiva as mangas?

Muchoki: Eu cavo buracos quadrados dois meses antes do início das chuvas. Eles devem ter 60 cm de profundidade por 60 cm de largura. Você mistura o solo do buraco com composto ou esterco animal e enche de novo o buraco. Depois de alguns dias de chuva, plante suas mudas. Tudo o que você precisa é regar e adubar a sua mangueira e adicionar um pouco de composto ou esterco animal de vez em quando.

Apresentador: Quando as frutas estão prontas para a colheita?

Muchoki: Em dois e meio a três anos, pouco depois da floração. A floração que acontece logo depois do plantio da muda deve ser cortada, pois a planta não está suficientemente madura para produzir frutos. Se ela produzir, as frutas serão muito pesadas e matarão a árvore.

Apresentador: Você pode cultivar outras plantas entre as mangueiras?

Muchoki: Sim, mas só antes da floração. Legumes são melhores quando a árvore ainda é jovem, pois eles fornecem nitrogênio para a mangueira. Você pode também plantar milho e tomates. Mas, quando a manga começa a florescer, o pólen do milho reduzirá a qualidade das mangas. Por isso, o milho só deverá ser plantado nos dois anos antes da floração da mangueira.

Apresentador: Vamos falar sobre a colheita. Quando você começa a colher?

Muchoki: Eu começo a colher em quatro a cinco meses depois da floração, quando a manga está madura, mas firme. Mangas maduras firmes são bem fatiadas para secar, mas, quando as mangas estão maduras demais, elas não secam bem.

Apresentador: Como você sabe que elas estão maduras, mas firmes?

Muchoki: Quando a cor da casca muda de verde escuro para verde claro. Você pode também pegar e cortar algumas, ao acaso. Elas estão prontas para a colheita quando a cor estiver amarela em volta da semente. Se a cor for branca, a manga ainda não está pronta para a colheita. A época de colheita é de dezembro a janeiro e, depois, de fevereiro a março.

Apresentador: Como você colhe com menos danos para as frutas?

Muchoki: Você colhe as frutas com as mãos, se possível; assim você pode ver se a manga está pronta. Por exemplo, a haste se separará facilmente quando você puxar e a base da fruta terá uma cor vermelho-violeta. Não deixe as frutas caírem, pois isso causa mancha nas frutas, que depois aprodecem. Tome cuidado para não deixar a seiva cair sobre manga, pois ela queima a pele e a fruta apodrece onde caiu a seiva. Você pode evitar isso retendo 10 cm da haste sobre a manga durante a colheita.

Apresentador: Vejo que a maior parte dos seus vizinhos também cultiva mangas.

Muchoki: Sim, depois de verem como as mangas são lucrativas, os meus vizinhos como Nyambura aqui (rindo) também começaram. Temos agora um secador comunitário, uma área de descasque comum, vendemos as mangas juntos e dividimos o dinheiro entre nós.

Apresentador: Olhando a sua propriedade, vemos que você tem uma bela casa e algumas vacas. São resultado do cultivo de mangas?

Muchoki: Sim! Comecei a ganhar dinheiro três anos depois de plantar minhas mangas e elas trazem um bom dinheiro. Posso conseguir pelo menos cinquenta mangas de uma árvore e vendo mangas frescas e secas.

Apresentador: Quanto você ganha com as mangas maduras e secas?

Muchoki: Quando vendemos mangas frescas aos negociantes ou intermediários, o preço pode ser de até 10 xelins por três mangas. Mas as mangas secas saem por 650 xelins por quilo. Precisamos de cerca de trinta mangas para compor um quilo de mangas secas. Então ganhamos mais dinheiro com mangas secas.

Apresentador: Para que você usa o dinheiro?

Muchoki: Com esse dinheiro, levei meus filhos para a universidade, construí uma casa permanente, comprei vacas leiteiras e, depois de dez anos, as mangueiras ainda estão produzindo. Há dinheiro nas mangas (rindo)!

Apresentador: Vamos para a área de descasque das mangas e o secador, para você contar mais sobre o processo pós-colheita.

Passos aumentam e somem

Apresentador: Estamos em uma estrutura de madeira com um teto, quatro lados e uma tela fixada à estrutura. Alguma razão específica para construir desta forma?

Muchoki: Esta é a área de descasque. A tela serve apenas para manter à distância as moscas e abelhas que podem ser atraídas pelas mangas fatiadas.

Apresentador: O descasque é feito imediatamente após a colheita?

Muchoki: Não imediatamente. Após a colheita, mantemos as mangas em um local seco e fresco, penduradas de cabeça para baixo para permitir a saída da seiva e para as mangas poderem amadurecer um pouco. Então escolhemos as mangas maduras moles para vender no mercado de produtos frescos e as mangas maduras duras serão secas. Estas nós trazemos para a área de descasque. Depois de descascadas e fatiadas, elas são colocadas dentro do secador. Vamos para o secador; vou mostrar para você lá dentro.

Passos aumentam e somem

Muchoki: Aqui estamos. É aqui que secamos nossas frutas e legumes.

Apresentador: Estamos em uma estrutura de madeira em forma de cúpula, coberta com papel de politeno por dentro e por fora. Por que você usa este tipo de papel?

Muchoki: Este papel retém muito calor e isso é necessário para secar as frutas e os legumes. Pode chegar a 55 até 70 graus centígrados aqui dentro. Usamos um termômetro para garantir que as temperaturas sejam as necessárias. Com sete horas de luz do sol africano direto, as frutas serão secas e estarão prontas para venda.

Apresentador: E todo o secador é coberto com papel de politeno?

Muchoki: Sim, a não ser as pequenas áreas de ventilação cobertas com um material de tela. O resto do secador é coberto com papel. Isso serve não só para reter o calor, mas também para afastar moscas e roedores, para que a secagem seja feita sob condições higiênicas. Nós não secamos as frutas em ambiente aberto para evitar que elas sejam queimadas pelo sol.

Apresentador: E as bandejas que estou vendo aqui, cobertas com um material similar a peneira, para que elas servem?

Muchoki: Estas são as bandejas onde colocamos as frutas e os legumes para secar. O material similar a peneira permite que o ar circule sob os produtos que estão secando.

Apresentador: Por quanto tempo você pode guardar as frutas antes de mandar para os compradores?

Muchoki: Muito tempo, até um ano, desde que sejam armazenadas em local seco e fresco, como um cômodo longe do calor, uma despensa. Temos agora cinco quilos de mangas secas que o comprador ainda vem buscar e nenhum conservante é usado.

Apresentador: O que você faz quando não há sol?

Muchoki: As mangas estão prontas para a colheita na estação seca, que vai de dezembro até, mais ou menos, fevereiro. Mas, com as mudanças climáticas deste ano, tivemos chuva em janeiro e fevereiro. Nós não colhemos em dias chuvosos para evitar desperdício. Esperamos o sol aparecer e esquentar antes de colher e descascar para secar.

Apresentador: Nyambura, você está muito quieta… vamos ouvir a opinião de uma mulher plantadora de mangas. Quantos acres de mangas você tem?

Nyambura: Dois acres. Mas também cultivo mamões e legumes para secar e vender no mercado de produtos frescos.

Apresentador: Como o cultivo de mangas ajudou você?

Nyambura: Minhas mangueiras são minha maior riqueza. Durante a estação de colheita da manga, ganho mais dinheiro que quando vendo tomates e legumes combinados todo o ano.

Apresentador: Por que você acha isso?

Nyambura: Veja, nossas mangas frescas costumavam render muito pouco, porque vendíamos para os intermediários, que vendiam a preço mais alto nas cidades e vilas ou até exportavam. Ou, se não houvesse mercado, as mangas amadureciam e apodreciam na árvore, para serem comidas pelos pássaros. Com o secador, podemos colher, secar e aguardar até que as mangas estejam fora da estação para vender a preço mais alto.

Apresentador: Como era sua vida antes de começar a cultivar mangas?

Nyambura: Sabe, até conseguir comida era um problema. Costumávamos comer uma mistura de milho e feijão todo dia no almoço e na janta, sem café da manhã. Meus filhos estavam sempre doentes e tinham bicho-de-pé, porque não tínhamos sapatos. Quando recebi meu primeiro cheque após vender mangas secas, comprei comida e cozinhei para meus filhos. Agora posso dar a eles uma dieta balanceada, com três refeições por dia.

Apresentador: E a sua família?

Nyambura: Muitos homens em Murang’a são alcoólatras. Eles não cuidam de suas famílias e as mulheres precisam trabalhar mais. Meus filhos são alimentados, vestidos e estão na escola com o dinheiro que ganho vendendo mangas. Eu paguei o empréstimo que tomei de um grupo de ajuda local e pude mudar de uma casa alugada e construir minha própria casa usando o dinheiro da venda de mangas.

Apresentador: Das mesmas mangas que você plantou no começo?

Nyambura: Sim. Plantei minhas mangueiras seis anos atrás e ainda estou ganhando dinheiro com elas. E não gasto muito dinheiro para mantê-las. Quando ganhar mais dinheiro, comprarei mais terra e talvez até construa o meu próprio secador, para poder ganhar mais dinheiro como o Muchoki aqui (rindo). Ele é o nosso modelo.

Muchoki: Também queremos construir um secador comunitário maior para mangas, bananas, mamões, abacaxis e legumes.

Apresentador: Obrigado e tudo de bom para vocês.

Nyambura e Muchoki: Obrigado.

Apresentador: Estes foram Samuel Muchoki e Margaret Nyambura, plantadores de mangas de Murang’a, na região central do Quênia. Eles secam suas frutas e legumes para fazer produtos de alto valor.

Você está ouvindo o programa De fazendeiro a fazendeiro. Agora, vamos ouvir Brian Apanza, da Azuri Health Ltd., que está trabalhando com agricultores em Murang’a, Quênia, para produzir frutas e legumes secos.

Apresentador: Você poderia começar dizendo o que faz a Azuri?

Brian: A Azuri produz uma ampla variedade de produtos alimentícios secos, como frutas, legumes e farinhas.

Apresentador: Onde você consegue os seus produtos?

Brian: Compramos a maior parte dos nossos produtos de agricultores, como as bananas, abacaxis e mangas secas. Os legumes, compramos no mercado e nós mesmos os secamos.

Apresentador: Como você garante que as frutas e os legumes são tratados como você deseja, do plantio até a secagem?

Brian: Nós treinamos os agricultores sobre higiene e a forma de manipulação das frutas e legumes após a colheita. Nós mostramos a eles como fazer os secadores. Também trabalhamos com agentes de extensão rural e ONGs que ensinam aos agricultores como cultivar as frutas e os legumes para atingir o padrão desejado.

Apresentador: Como os agricultores se beneficiam da parceria com a Azuri?

Brian: Agregando valor às suas frutas e legumes com a secagem. Isso significa que o agricultor ganha mais dinheiro com a sua produção. O agricultor pode vender diretamente para o mercado, mesmo quando as frutas e os legumes estão fora da estação, e sem passar por intermediários. Eles vendem para nós a um preço adicional, nós embalamos e vendemos a sua produção.

Apresentador: E os consumidores? As frutas secas são populares?

Brian: Elas estão ficando mais populares agora que quando começamos. A maioria dos supermercados está estocando frutas e legumes secos e as pessoas estão percebendo que podem comer suas frutas e legumes favoritos o ano inteiro. Mas o mais importante é que as frutas e legumes secos ajudam a lidar com as questões de insegurança alimentar no país. Os legumes e tomates secos agora são disponíveis em todas as estações e os agricultores estão aprendendo que eles podem realmente alimentar os cidadãos o ano inteiro.

Apresentador: Quais são os planos da Azuri para o futuro?

Brian: Agora nós temos mangas, abacaxis e bananadas, além da farinha feita de vegetais tradicionais como abóbora e batata-doce de polpa laranja. Começamos agora a produzir tomates secos. Eles estão sendo testados no supermercado e esperamos expandir e exportar os produtos para muitos países dentro e fora da África.

Apresentador: Estes abacaxis secos aqui são muito apetitosos. Posso experimentar um?

Brian: Claro! Este é abacaxi aromatizado.

Apresentador: (Mordendo) Humm… Muito doce (mordendo) e também não está seco demais. Eu poderia comer isso o dia todo.

Este foi Brian Apanza, da Azuri Health Ltd., empresa que está trabalhando com agricultores em Murang’a, Quênia, para produzir frutas e legumes secos.

Também ouvimos Samuel Muchoki e Margaret Nyambura, plantadores de mangas de Murang’a, na região central do Quênia.

Hoje aprendemos como cultivar mangas, do plantio até a colheita, e como agregar valor às mangas secando-as ao sol. Obrigado pela audiência. Eu sou ________, dizendo até logo.


Créditos

Contribuição de Sra. Winnie Onyimbo, Rádio Trans Mundial, Quênia.

Revisão: James Kuppa Vesso, Gerente de Projetos, Associação dos Plantadores de Mangas, Dar es Salaam, Tanzânia.

Fontes de informação:

Entrevistas com:

  • Samuel Muchoki, plantador de mangas em Murang’a, região central do Quênia.
  • Margaret Nyambura, plantadora de mangas em Murang’a, região central do Quênia.
  • Brian Apanza, Responsável de Projetos, Azuri Health Ltd.

Todas as entrevistas foram conduzidas em 29-30 de maio de 2013.


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s