Assistência doméstica para pessoas com AIDS/SIDA

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1º de janeiro de 1997, como parte do pacote de informações n° 43.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/package-43/home-care-for-people-with-aids/.


Roteiro:

Cientistas estimam em cerca de quarenta milhões as pessoas infectadas com o HIV, o vírus causador da AIDS/SIDA, no ano 2000. Existe a possibilidade de algum conhecido seu ou pessoa muito próxima contraia ou já tenha contraído essa doença.

Mesmo atualmente, em muitos lugares, os serviços de saúde locais não conseguem atender à quantidade de pessoas que necessita de assistência. Não há funcionários treinados em quantidade suficiente, leitos, drogas nem instalações para cuidar de todas as pessoas infectadas com AIDS/SIDA.

Estas pessoas precisarão de assistência doméstica. Em casa, os pacientes são rodeados pela família e pelos amigos. Os pacientes podem comer, tomar banho ou dormir quando quiserem. Eles podem viver com amor e dignidade.

A assistência doméstica tem algumas desvantagens. Às vezes, a família não pode pagar pelas refeições e medicações prescritas. Pode ser frustrante e cansativo cuidar de alguém que está doente. Mas, mesmo com pouco dinheiro, pode-se fornecer boa assistência e tanto o paciente quanto os parentes podem preparar-se para o futuro.

Cuidado do paciente em casa:

Escolha um quarto com boa ventilação e luz para o paciente. Ele deverá ser calmo e limpo. Assegure-se de que o paciente esteja confortável. Deixe que ele ou ela participe da vida familiar. Não há perigo em compartilhar um quarto com alguém com AIDS/SIDA.

O vírus HIV fica espalhado pelo sangue, sêmen e fluidos vaginais. Por isso, quando você estiver cuidando do paciente e entrar em contato com esses fluidos corporais, use luvas de borracha e lave frequentemente suas mãos. Se você não tiver luvas de borracha, use luvas feitas de outro material à prova d’água, como plástico. Isso ajudará a evitar a difusão do vírus e de outras doenças. Se você não conseguir encontrar luvas, mantenha suas mãos limpas. Evite cortes nas suas mãos, pois há risco de infecção quando os fluidos do corpo do paciente entram em conato com um corte ou ferida aberta.

Lave roupas, toalhas ou roupas de cama sujas ou com sangue em água quente com sabão. Adicione cloro, se possível.

Tente banhar a pessoa doente todos os dias. Lave-o com um pano ou esponja embebida em água morna se ele estiver doente demais para sair da cama.

Ouça o paciente e atenda às suas necessidades. Fale com o seu profissional da saúde local se precisar de orientação. Assegure-se de que o paciente tome a sua medicação e visite o hospital ou centro de saúde local para check-ups.

Dores fortes:

Dores fortes no peito, mãos, pés ou dores de cabeça são muito comuns. Feridas e úlceras na boca ou em volta dos genitais e do ânus podem também ser muito dolorosas. Dê analgésicos conforme receitado pelo profissional da saúde antes que as dores fiquem muito fortes e regularmente enquanto durar a dor.

Você pode também colocar um pano úmido limpo frio sobre o local da dor, despejar água limpa ou massageá-lo suavemente com óleo ou vaselina. Peça à pessoa doente que respire profunda e regularmente. Isso pode ajudar a pessoa a relaxar. Esfregue as nádegas, cotovelos, joelhos e costas regularmente para que o sangue circule, evitando feridas de pressão.

Diarreia:

A diarreia pode ser um problema importante para pessoas que vivem com HIV. Às vezes ela dura vários meses. As fezes podem ser líquidas ou ter mau cheiro e pus. A pessoa pode sentir-se deprimida, às vezes recusando-se a comer ou beber com medo de piorar a diarreia. Incentive-o a comer refeições pequenas, nutritivas e frequentes.

Selecione bons alimentos. Dê ao paciente o que ele ou ela possa digerir facilmente. O paciente deverá ter uma dieta equilibrada, com alimentos que sejam baratos e disponíveis localmente. Prepare o alimento de acordo com as condições do paciente. Um paciente com feridas na boca, por exemplo, precisa de muita sopa ou sucos.

Dê a ele muitos fluidos para evitar a desidratação. Dê água, suco de frutas sem açúcar, sopa, água de arroz ou chá fraco. Caso o paciente esteja vomitando, dê os fluidos em pequenas quantidades, com mais frequência. Fluidos que contêm muito açúcar podem piorar a diarreia. Caso a pessoa tenha sede ou boca seca, dê uma solução de sal e açúcar. Para um copo de água, adicione uma colher de chá de açúcar e uma pitada de sal.

Troque a roupa de cama com frequência. Proteja o colchão ou os cobertores com uma capa de plástico. Abra as janelas para permitir boa ventilação e livre-se de qualquer odor. Mergulhe a roupa de cama suja em uma solução com uma xícara de alvejante e nove xícaras de água por vinte minutos antes da lavagem.

Confusão mental:

Muitos pacientes com AIDS/SIDA ficam confusos. Eles podem não saber o que está acontecendo à sua volta. Eles podem ficar esquecidos, incapazes de pensar claramente ou mover-se de forma estranha. Eles podem ter consciência de ficarem confusos de vez em quando e isso pode ser muito preocupante.

Uma pessoa confusa necessita de atenção e reafirmação constantes. Lembre ao paciente quem ele é e onde vocês estão. Fale lentamente e com calma. Remova todos os objetos perigosos do seu alcance.

Úlceras e abscessos da pele:

Pessoas com AIDS/SIDA podem desenvolver severos abscessos da pele (infecções que formam sacos de pus sob a pele) e úlceras que são feridas grandes abertas. Essas condições podem afetar o resto do corpo, causando febre do paciente. Para reduzir a febre, remova cobertores desnecessários. Limpe as úlceras regularmente com solução salina ou antisséptica e cubra as feridas com faixas. Para fazer a salmoura, adicione uma colher de chá a um copo de água.

Caso a pessoa doente precise ficar na cama, mova suas pernas e braços suavemente várias vezes por dia e vire o corpo da pessoa uma vez a cada poucas horas para evitar feridas causadas pela cama.

O que você pode fazer para ser um bom assistente:

Fique por perto dar para dar cuidado e conforto ao seu amigo ou parente. Seja honesto, paciente e tente ser positivo. Cuide-se; este trabalho muitas vezes é física e mentalmente cansativo. Fale com outras pessoas da sua comunidade. Peça ajuda se precisar. Aceite a ajuda de outras pessoas se oferecerem.


Fontes de informação:

Caring for People Who are Dying at Home, Dr. Elly Katabira, AIDS ACTION. Grupo de Ação de Tecnologias e Recursos Apropriados de Saúde, AHRTAG, 29‑35 Farringdon Road, Londres EC1M 3JB, Grã-Bretanha.

Where There is no Doctor, David Werner, Carol Thuman e Jane Maxwell, edição inglesa revisada, maio de 1992, 446 páginas. The Hesperian Foundation, Palo Alto, CA 94302, Estados Unidos.


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s