Cooperativa de Amizero ajuda as residências de Ruanda a administrar o lixo doméstico

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1º de dezembro de 2011, como parte do pacote de informações n° 94.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/package-94-african-farm-radio-research-initiative-afrri/amizero-co-operative-helps-rwandan-households-manage-domestic-waste/.


 

Observações para as emissoras:

Por mais de duas décadas, as pessoas em Ruanda vêm experimentando dificuldades relativas à guerra e ao genocídio, bem como suas consequências. O governo de Ruanda estabeleceu um ambiente favorável para considerar e abordar os problemas das mulheres. Várias iniciativas foram criadas para ajudar as mulheres. Essas iniciativas governamentais incentivam as mulheres a reconhecer a sua força e buscar soluções para os seus problemas.

Como parte desse processo, foram criadas diversas associações. Uma dessas associações sem fins lucrativos é a Associação de Amizero, uma cooperativa feminina cujo objetivo é fornecer assistência às mulheres em dificuldades. Suas atividades incluem a agricultura, pequenos negócios, administração de resíduos domésticos na cidade de Kigali e o fortalecimento da capacidade das mulheres. A cooperativa feminina apresentada neste roteiro é uma cooperativa mantida por trabalhadoras urbanas.

A Associação de Amizero vem tentando ajudar suas cooperadas a desenvolver-se, apesar das dificuldades relativas às mudanças no país após a guerra e o genocídio. Este roteiro pode inspirar as mulheres de Ruanda e de outros países a reconhecer o seu potencial de encontrar dentro delas as soluções para os seus problemas.

O roteiro é baseado em entrevistas reais com membros do grupo. Ele é um exemplo de como os grupos cooperativos podem ajudar seus membros a atingir seus objetivos individuais, contribuindo ao mesmo tempo com objetivos maiores da comunidade ou mesmo nacionais.

Você poderá utilizá-lo como inspiração para pesquisar e escrever um roteiro sobre um tema similar na sua região. Ou você poderá decidir produzir este roteiro na sua emissora, utilizando radioatores para representar as pessoas. Se o fizer, não se esqueça de dizer aos seus ouvintes no início do programa que as vozes são de atores e não das pessoas envolvidas nas entrevistas originais.


Roteiro:

Sobe música por vinte segundos, depois diminui e permanece sob a voz do apresentador.

Apresentador: Olá, amigo ouvinte da Rádio Salus, bem-vindo ao programa de hoje, que fala, como de hábito, sobre o meio ambiente. O título do programa de hoje é: “Mulheres ganham a vida ajudando as residências a administrar o lixo doméstico”. Neste programa, vamos falar como as mulheres da Associação de Amizero estão concentrando esforços para administrar o lixo doméstico na cidade de Kigali. Vamos também falar como esse projeto de administração de lixo doméstico permite que as mulheres da Amizero ganhem a vida. Este programa é produzido e apresentado por Jean Paul Ntezimana. Fique ligado!

Música de fundo diminui por cinco segundos e desaparece.

Apresentador: Mais da metade da população de Ruanda é composta por mulheres. As mulheres cuidam da família de muitas formas. Essas mulheres incluem viúvas, chefes de família, mulheres com incapacidades físicas, mulheres traumatizadas, saudáveis e mulheres de todas as condições de vida. Mas nem todas as mulheres possuem a mesma capacidade econômica. O programa de hoje conta como as mulheres ganham a vida ajudando as residências a administrar o lixo doméstico. Vamos falar com membros do grupo Abakunda isuku da Associação Cooperativa de Amizero.Abakunda isuku significa “pessoas que gostam de limpeza e higiene”.

Mas, antes de falar com os membros da Associação de Amizero no campo, vamos ouvir Floride Mukarubuga, presidente da Associação de Amizero. A Sra. Mukarubuga também fundou a Abakunda Isuku e outras cooperativas. Ela nos conta rapidamente sobre a Associação de Amizero.

Floride: A Associação de Amizero é um grupo sem fins lucrativos fundado ainda antes do genocídio de 1994. O nosso objetivo é fornecer assistência a todos os tipos de mulheres com dificuldades: viúvas do genocídio, viúvas da AIDS/SIDA e todos os tipos de mulheres em dificuldades.

Como as nossas beneficiárias são muitas, formamos grupos para organizar melhor as atividades que as mulheres podem fazer para ajudar-se entre si. Temos muitos grupos. Fizemos treinamentos em agricultura, penteados, trabalhos com vime, pequenos negócios e na administração de lixo doméstico.

Também achamos que seria uma boa ideia supervisionar os filhos das mulheres na ausência de suas mães. As mulheres costumavam sair para trabalhar, mas suas crianças permaneciam em casa. Isso era um problema. Por isso, criamos um centro de supervisão para os filhos das nossas beneficiárias.

Sobem vozes ao fundo, permanecem por dez segundos, depois diminuem e permanecem sob o apresentador: tome, espere, OK, passe outro saco, ali, está pesado…

Apresentador: Estamos em Kacyiru, um bairro da cidade de Kigali. Sacos de lixo doméstico estão amontoados ao longo da rua. Mulheres e crianças vêm trazer outros sacos para as pilhas. Moscas circulam entre os sacos. A cerca de cem metros de distância, estaciona um caminhão e a atividade em volta dele é intensa.

Vozes ao fundo sobem por cinco segundos e depois diminuem.

Apresentador: uma senhora com cerca de quarenta anos está supervisionando o trabalho. O seu nome é Sra. Kantengwa Marianne.

Marianne: A pessoa a cargo da higiene aqui em Kacyiru nos convidou a vir ajudá-la a carregar esse lixo doméstico sobre o caminhão e levá-lo para o depósito principal em Kigali. Não sei se vamos terminar hoje, pois temos muito lixo. Soube que já faz um tempo desde que eles retiraram esse lixo de suas casas.

Apresentador: Sra. Marianne, por que a sra. está trabalhando com lixo doméstico?

Marianne: Pelo combate à sujeira, pela higiene, pela saúde! Idealizamos este projeto há muito tempo e começamos em volta do ano de 2001, quando vimos os problemas de higiene aqui da cidade. Naquela época, começamos um projeto de administração de resíduos no distrito de Nyarugenge. A limpeza das residências envolve uma combinação de atividades: participação na limpeza da cidade, transformação do lixo em combustível para que os habitantes não destruam mais a floresta cortando para uso como lenha e procura de composto para fertilizar os nossos jardins no vale do distrito de Kicukiro, aqui em Kigali. Amizero vem fabricando pequenos tijolos com lixo doméstico para substituir a madeira utilizada para o fogo de cozinha. Tudo isso se destina a melhorar nossas condições de vida.

Apresentador: Vocês têm muitos projetos! Todos esses projetos estão em andamento?

Marianne: Não é fácil! Com a lei nacional de 2005 sobre a proteção ao meio ambiente, o distrito confiscou os canteiros das mulheres no vale. Por isso, a fabricação de esterco como fertilizante diminuiu até ser suspensa. Hoje temos um pesquisador da Bélgica que está estudando como podemos aumentar a produção de combustível doméstico a partir de lixo para substituir quase completamente o uso de lenha. Melhoramos a forma de transporte do lixo doméstico. Como pode ver, estamos usando um caminhão, que é nosso!

Apresentador: Qual é a importância deste trabalho para você, pessoalmente?

Marianne: Onde começo? Este é o único trabalho que já tive. Tenho três filhos e este emprego me ajudou na educação das crianças. Dois deles estão na escola secundária; o outro já completou a educação secundária.

Este emprego me ajudou a construir e sustentar minha família. A minha família não sofre mais com a pobreza como antes. Também aprendi como discutir com os outros. Não fico mais tímida quando falo para as pessoas. Discutir os assuntos é muito importante. Eu aprendo muito com as discussões com outras mulheres. Não estou mais sozinha.

No passado, não sei se poderia dizer que tinha alguma renda. Quando começamos o projeto, eu recebia 10.000 francos de Ruanda por mês (nota do editor: cerca de US$ 17). Hoje, com o nosso crescimento espetacular, ganho 25.000 francos (cerca de US$ 42). É muito dinheiro para mim!

Apresentador: Obrigado, Marianne. Mas, antes de voltar ao trabalho, você tem algo mais a dizer sobre a importância desse emprego?

Marianne: Realmente não sei como dizer – é muito importante. Eu disse a você que antes não tinha renda e agora eu tenho. Também tenho seguro de saúde e recebi treinamento em diversas áreas: saúde, administração e planejamento familiar.

Música de fundo sobe e desaparece.

Apresentador: Caro ouvinte da Rádio Salus, você está ouvindo nosso programa de meio ambiente. O título do programa de hoje é: “Mulheres ganham a vida ajudando as residências a adminsitrar o lixo doméstico”. Temos aqui membros da cooperativa Abakunda isuku, mantida pela Associação de Amizero. Muito obrigado à Marianne! Como ela está nos deixando para continuar com seu trabalho, vamos aproveitar para falar com outras pessoas do bairro.

Jeanne Umurerwa: Meu nome é Jeanne Umurerwa e vivo aqui em Kacyiru. Como você pode ver, não temos lugar para jogar nosso lixo doméstico. Aqui é a cidade. No campo, eles fazem composto com o lixo doméstico, mas aqui é impossível. Guardamos o lixo em sacos. Quando o caminhão do lixo demora para vir, o cheiro fica cada vez mais intenso em casa. Quando existem dois ou três sacos de lixo em casa, o cheiro é ruim. O que nos dá algum alívio é o fato de que a Amizero não pede muito dinheiro. Nós pagamos 1000 francos (nota do editor: cerca de US$ 1,70) por residência por mês, o que não é caro! Isso é muito importante. Amizero nos ajuda muito!

Apresentador: Obrigado, Jeanne, e tenha um bom dia.

Música de fundo sobe e desaparece.

Apresentador: Antes de deixa Kaciyru, existe uma outra senhora muito ativa que trabalha atrás do caminhão. Ela está ao lado de um homem com cerca de trinta anos de idade e eles estão vestindo sobretudos vermelhos como uniforme. Com um chapéu tradicional e suor no seu rosto, Domitille Uwafurika continua trabalhando. Ela recebe sacos de lixo doméstico, esvazia, seleciona os resíduos e devolve os sacos para os moradores. Este é o som do trabalho.

Vozes ao fundo: Tome, espere, OK, passe outro saco, ali, venha você também, OK, de novo, quem falta? Eu! Venha aqui!

Vozes diminuem e permanecem sob a voz de Domitille.

Domitille: Estou selecionando o lixo biodegradável, o plástico e os metais. É uma ordem das pessoas do meio ambiente. Não é fácil, mas seguimos as suas instruções. Essa lei torna o nosso trabalho um pouco mais lento. Em vez de fazer quatro viagens para o lixão com o veículo ou mesmo seis, fazemos agora apenas três por dia. Mas estamos comprometidos a trabalhar para um ambiente saudável! Depois da coleta, nós carregamos o lixo selecionado para o grande lixão de Nyanza

Vozes ao fundo sobem por cinco segundos e depois diminuem.

Domitille: É um trabalho muito difícil; o cheiro, a força que você precisa ter, é muito difícil. Mas ele nos traz benefícios. O meu trabalho me ajuda a educar meus três filhos e eu colaboro com a minha família, junto com o meu marido. Mas hoje, os preços estão subindo mais que o meu salário. Quando começamos a cooperativa, eu ganhava 700 francos por dia (cerca de US$ 1,17). Hoje, eu trabalho por 800 (cerca de US$ 1,35), mas o valor real permaneceu o mesmo ou até diminuiu. Mas o que quero ressaltar é que a minha vida mudou com os muitos treinamentos fornecidos pela Amizero. Tenho 42 anos de idade e apenas três filhos. Se não fosse membro da Amizero e não me beneficiasse com os seus treinamentos, eu teria muitas crianças. Você sabe como as famílias típicas de Ruanda têm muitos filhos, não é?

Sons de fundo sobem e permanecem por cinco segundos, depois diminuem e entra intervalo musical curto.

Apresentador: Estamos quase no fim do nosso programa sobre meio ambiente. Mas, antes de encerrar, Floride vai nos contar sobre a visão da Amizero.

Floride: Como o governo queria promover a produção comercial e a livre iniciativa, transformamos nossos grupos em cooperativas comerciais. Nossa visão mais importante é o fortalecimento dessas cooperativas. Atualmente, nossa assistência técnica para as cooperativas foi reduzida porque queremos que as cooperativas tornem-se mais independentes e autossuficientes. Estamos apenas em nível estratégico, dando treinamento, conselhos sobre administração e operações e análise de projetos. Queremos nos concentrar em elaborar projetos para o desenvolvimento de cooperativas. Também estamos trabalhando com um pesquisador da Bélgica para aumentar a produção de combustível com lixo. Se este projeto tiver sucesso, será algo bem grande.

Apresentador: A administração de lixo doméstico é muito importante para o meio ambiente e para a saúde. Esperamos que você agora comece a selecionar o seu lixo em casa e separar os biodegradáveis, plásticos e metais, como faz Amizero. Vamos também esperar que ninguém despreze esse trabalho. Tudo o que é bem feito pode trazer benefícios, como dizem os membros de Amizero.

Agradecemos a todos os membros de Amizero pelos seus esforços para limpar as residências e a cidade em geral. Este é outro esforço cooperativo que está ajudando as vidas dos membros e melhorando o meio ambiente para todos. Obrigado, ouvinte, por seguir-nos. Vocês estiveram na companhia de Jean Paul Ntezimana. Até a próxima!


Créditos:

Contribuição de Jean Paul Ntezimana, jornalista da Rádio Salus, Ruanda, parceira da Rádio Rural Internacional.

Revisão: John Julian, Diretor, Política e Comunicações Internacionais, Associação Canadense de Cooperativas.

Fontes de informação:

Powley, Elizabeth. Rwanda: Women Hold Up Half the Parliament, págs. 154-163, em Women in Parliament: Beyond Numbers, editado por Julie Ballington e Azza Karam.  Instituto Internacional de Democracia e Assistência Eleitoral (IDEA), 2005. http://www.idea.int/publications/wip2/upload/WiP_inlay.pdf.

Associação de Amizero.

Entrevistas com:

  • Sra. Mukarubuga Floride, Presidente da Associação de Amizero, em 21 de abril e 17 de agosto de 2011.
  • Marianne Kantengwa, agente da Abukunda Isuku, Associação de Amizero (entrevista em 19 de agosto de 2011).
  • Domitille Uwafurika, agente da Abukunda Isuku, Associação de Amizero (entrevista em 19 de agosto de 2011).

A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s