Formas criativas de conseguir retorno da audiência

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 24 de março de 2015, como parte do pacote de informações n° 101.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/package-101-getting-and-using-audience-feedback-and-evaluating-radio-programs/creative-ways-to-get-audience-feedback/.


Roteiro:

Algumas emissoras de rádio estão localizadas em regiões remotas, longe de conexões à Internet e boas redes de telefonia móvel. Outras emissoras dispõem de bons serviços, mas atendem a ouvintes em regiões que não detêm esses recursos. Em qualquer dos casos, pode ser difícil interagir com os ouvintes utilizando telefones, serviços como bips para votar que dependem de redes móveis adequadas ou redes sociais como o Facebook.

Há não muito tempo atrás, as emissoras de rádio rurais interagiam com seus ouvintes de duas formas principais: visitas pessoais (na emissora ou na comunidade) e cartas enviadas pelos ouvintes. Mas, às vezes, até este tipo de interação é difícil. O transporte de e para comunidades remotas pode ser um desafio, especialmente durante a estação chuvosa. O correio pode ser lento e não confiável.

Estas instruções para radialistas apresentam duas emissoras que enfrentaram essas circunstâncias e encontraram formas criativas de interagir com a sua audiência e incluir os seus ouvintes nos seus programas.

Rádio Izuba

A Rádio Izuba é uma emissora parceira da Rádio Rural Internacional em Kibungo, na província do leste de Ruanda. A emissora criou uma forma de interagir com seus ouvintes com base no conceito tradicional em Ruanda de imboni, que significa “a menina dos olhos”.

Imboni são pessoas que agem como pontos centrais para a emissora em uma comunidade. Os imboni:

  • informam à emissora sobre histórias da comunidade para cobertura;
  • respondem a tópicos discutidos no ar;
  • ajudam a produzir programas ao vivo no campo;
  • sugerem formas de melhorar os programas da emissora;
  • explicam as políticas e tarifas publicitárias das emissoras, para que os ouvintes possam anunciar seus produtos sem que precisem deslocar-se para a emissora; e
  • cobrem histórias na sua comunidade e as enviam para a emissora. Os jornalistas da Rádio Izuba leem a história, editam-na e a colocam no ar.

A Rádio Izuba tem cerca de 100 imboni em todas as quatro províncias de Ruanda e um em Uganda. A emissora ajuda os imboni a formar pequenos grupos de autoajuda que se auxiliam mutuamente.

As reportagens dos imboni são principalmente manuscritas e enfrentam uma longa viagem para chegar à emissora de rádio, embora a emissora tenha agregado recentemente uma linha telefônica na qual o imboni pode gravar suas reportagens sem precisar viajar até a emissora.

A Rádio Izuba treinou alguns imboni sobre como fazer reportagens pela Rádio Izuba, em parceria com a IREX Ruanda e a Search for Common Ground. A emissora também fornece aos imboni um curso de atualização anual sobre técnicas básicas de jornalismo.

Os imboni vêm desempenhando um papel importante na programação da Rádio Izuba. Eles ajudaram a criar três programas na grade de programação da emissora:

  • Inshuti za Izuba Radio, ou Hora dos Amigos da Rádio Izuba. Este programa é apresentado por imboni que contam histórias de sucesso da sua aldeia, principalmente sobre agricultura. O programa é apresentado por membros da comunidade e isso atrai muitos ouvintes. Ouvindo seus vizinhos no ar, os ouvintes dizem que se sentem como se fizessem parte da equipe da emissora.
  • Um programa de entrevistas ao vivo chamado Abajyinama, que significa “Vamos compartilhar ideias e opiniões”. Congressistas convidados discutem a unidade e a reconciliação em Ruanda. Em um desses programas, um grupo de imboni telefonou e pediu para aparecer no programa para falar sobre questões e conflitos de terra. Um grupo de parlamentares reuniu-se em um programa seguinte que discutiu principalmente questões da terra. O programa resolveu problemas de muitas pessoas.
  • O terceiro programa é Jya kumulimo ou “Acorde e vá trabalhar”, que vai ao ar das cinco às seis da manhã.

Rádio Biso na Biso

Por muitos anos, Privat Tiburce Massanga foi o gerente de uma emissora de rádio comunitária denominada Rádio Biso na Biso em Pokola, nas florestas do norte do Congo. A emissora atendia às aldeias de bantos e nativos ou Mbendjele na sua área de cobertura. É difícil ter acesso a aldeias nessa região devido à falta de estradas ou outros meios de transporte.

A Rádio Biso na Biso interage com os ouvintes por telefone móvel, correio de superfície e repórteres comunitários que gravam as vozes dos moradores.

A emissora mantém repórteres comunitários em algumas aldeias, especialmente nas aldeias Mbendjele. O papel deles é gravar as opiniões e mensagens dos moradores e fazer gravações de eventos culturais, como festivais e cerimônias tradicionais. Os repórteres comunitários enviam suas gravações em fita cassete para a emissora quando surge a oportunidade: de caminhão, motocicleta ou de barco, enviando as fitas com alguém que esteja viajando para a Rádio Biso na Biso.

Os moradores podem assim ouvir as suas próprias mensagens no rádio, incluindo suas reações a outros programas transmitidos pela emissora. Os moradores cujas vozes são transmitidas são identificados por nome e aldeia.

Às vezes, um programa ou tópico individual é tão “popular” que toda a aldeia aborda o repórter comunitário e quer responder. Em casos como este, os repórteres realizam um sorteio para escolhar duas ou três pessoas para gravar em público suas repostas, que serão enviadas para a emissora. Na gravação, você pode ouvir as reações positivas ou negativas dos outros moradores depois de cada palavra ou sentença na fita.

É claro que há desafios. Muitas vezes, as fitas enviadas pelos repórteres comunitários se perdem antes de chegar ao seu destino. A pessoa que está transportando a mensagem muda de direção (o transportador pode ser, por exemplo, um caçador ou pescador que mudou sua rota para vender produtos para mercados melhores) ou as fitas se perderam em trânsito. Às vezes, a pessoa que transporta a carta fez um longo percurso pelo campo por muitos dias, visitando várias aldeias. Houve vezes em que o conteúdo da fita não coincidia com o tópico, provavelmente, devido à falta de instrução da pessoa que a enviou.

A emissora implementa feedback das aldeias, recolhido por repórteres comunitários. Os moradores solicitaram, por exemplo, que um programa específico tocasse mais música tradicional e a emissora atendeu. Além disso, a emissora respondeu a questões gravadas dos moradores sobre HIV e AIDS, incluindo perguntas sobre testes de HIV e apoio a usuários de drogas antirretrovirais. A emissora também conseguiu fornecer aos ouvintes perguntas que eles formularam ao Ministério das Florestas sobre a questão de limites entre as áreas protegidas e as áreas de plantio ou caça.

Se você enfrenta as mesmas dificuldades dessas duas emissoras, talvez você possa aprender com elas. Ou talvez você tenha encontrado outras formas criativas de atingir ouvintes de difícil acesso. Se for este o caso, gostaríamos muito de ouvir. Por favor, entre em contato com o editor gerente da Farm Radio International, Vijay Cuddeford, em: vcuddeford@farmradio.org.


Créditos:

Contribuição de Vijay Cuddeford, Editor-Gerente, Rádio Rural Internacional.

Revisão: Sylvie Harrison, Chefe da Equipe de Desenvolvimento Radiofônico, Rádio Rural Internacional.

Projeto realizado com apoio financeiro do Governo do Canadá, por meio do Ministério de Assuntos Externos, Comércio e Desenvolvimento (DFATD).

Fontes de informação:

Correspondência por correio eletrônico com:

  • Regina Gacinya, Rádio Izuba, Kibungo, Ruanda.
  • Privat Missanga, ex-gerente da emissora, Rádio Biso na Biso, Pokola, República Democrática do Congo.
  • Jean-Paul Ntezimana, Rádio Salus, Bature, Ruanda.

A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s