Reflorestamento comunitário traz de volta as chuvas na região de Brong Ahafo em Gana

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1° de julho de 2006, como parte do pacote de informações n° 78.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/package-78/community-reforestation-brings-back-the-rains-in-the-brong-ahafo-region-of-ghana/.


Observações para as emissoras:

Desastres como incêndios florestais, enchentes, tempestades e infestações de gafanhotos destroem a vida animal e vegetal. Como em todos os outros negócios, os agricultores precisam saber como reviver a terra e garantir a segurança alimentar quando ocorrem os desastres.

O programa a seguir trata de um grupo de agricultores na região florestal de Abinmma, em Gana. Esses agricultores começaram a reflorestar um terreno que havia sido destruído por incêndios florestais, limpeza da terra para agricultura, queda de árvores e pastoreio intensivo. O programa é baseado na experiência real de um grupo conhecido como o Grupo Florestal de Asubimma.

Você pode desejar usar as ideias e temas deste roteiro para produzir outros programas, como radioteatro ou um programa de discussão, adaptando-o às necessidades e à situação da sua região.


Roteiro:

Música de introdução. Diminui ao fundo do apresentador.

Apresentador: Aqui em Asubimma, na região de Brong Ahafo, em Gana, incêndios florestais e limpeza da floresta para agricultura destruíram a maior parte da cobertura florestal original. Isso afetou os padrões de chuva e diminuiu a produção de produtos agrícolas e de outros produtos da floresta. Este programa conta o que acontece quando o desflorestamento prejudica uma comunidade. Ele também conta o que as comunidades podem fazer para reviver a terra.

Música aumenta e depois termina.

Apresentador: Nana Ackesson é o chefe de uma aldeia nos limites de uma reserva florestal. Eles está reunido com sua comunidade de 600 pessoas para falar sobre desflorestamento e a perda de produtos florestais para a comunidade. O seu povo quer saber o que pode ser feito para reviver a floresta e trazê-la de volta para como ela costumava ser.

Canto de pássaros e outros sons da floresta, depois de fundo sob a fala do Chefe.

Nana Ackesson: Vinte anos atrás, eu costumava ir à floresta de manhã para pegar caramujos, frutas de palma, cogumelos e muitas outras coisas. Eu pegava corda para consertar minha casa. Eu dependia apenas do que podia encontrar na floresta. Eu montava armadilhas para ratos, antílopes e outros animais. O recipiente de água na minha casa ficava cheio durante a estação chuvosa. As chuvas caíam no início de fevereiro e, às vezes, em janeiro. Durante todo o ano podíamos encontrar plantas verdes para complementar nossa alimentação. Tínhamos nove meses de chuva e às vezes chovia durante a estação seca. Os dias tinham vento e as noites eram frescas o suficiente para um bom sono. Víamos muitos tipos de borboletas, pássaros e outros animais, de dia e de noite. Havia muitas frutas. Não precisávamos levar água para o campo, pois havia muitos poços e cursos d’água. Nós pescávamos nos cursos d’água. Trabalhar sob a sombra das muitas árvores era agradável e aumentava o rendimento do nosso trabalho. Nós andávamos por longas distâncias sem o incômodo do sol quente. O solo era macio. Não era difícil retirar da terra inhame, mandioca, taro e gengibre. O solo macio fazia com que a produção crescesse muito. Milho e milheto cresciam muito alto e produziam sementes grandes sem fertilizantes. Podia-se plantar feijão e amendoim em qualquer época do ano. A vida como agricultor por aqui era uma satisfação.

Sons da floresta por alguns segundos, depois desaparecem.

Nana Ackesson: Mas, cinco anos atrás, a vida mudou. Quando eu ia para a floresta, não encontrava caramujos, cogumelos, nem frutos de palma. Eu precisava andar longas distâncias através da floresta degradada para conseguir alguns, poucos e fracos. Eu não encontrava corda para consertar minha casa. Eu armava armadilhas, mas nenhum animal vinha. O recipiente na minha casa tinha apenas um pouco de água na estação chuvosa. As chuvas não começavam antes de abril e duravam apenas cinco meses. Havia uma severa estação seca que durava cinco meses. Quase não havia vegetais verdes. Nossa alimentação nutritiva não existia mais. Os dias eram muito quentes e ensolarados, sem vento para refrescar. As noites também eram quentes e dormir era difícil. Eu não via muitos animais. As frutas que serviam de alimento quando íamos para a fazenda também desapareceram. Precisávamos levar alimento para o plantio. Precisávamos carregar água em um pote para a fazenda, por que todos os cursos d’água estavam secos. O peixe que costumávamos pegar nos cursos d’água também não estavam mais lá. O solo havia se tornado duro e as plantas eram pequenas. O milho não crescia muito e as sementes estavam ficando cada vez menores. Fertilizantes eram utilizados extensamente e a quantidade de pragas era alarmante. As chuvas eram muito inconsistentes. (Pausa) A vida como agricultor ficou cheia de riscos.

Sons da floresta sobem lentamente, ficam por alguns segundos, depois diminuem.

Nana Ackesson: Quero dizer o seguinte. Nos últimos cinco anos, os padrões de chuva mudaram de novo. Agora, meu recipiente às vezes está cheio. Vocês sabem por quê? Eu vou contar. Por causa das árvores que plantamos nos últimos anos. O vento começou a soprar de novo e as noites agora são frescas. Os pássaros começaram a voltar e os cursos d’água começaram a fluir novamente. As culturas começaram a crescer mais. As autoridades florestais me disseram que isso ocorre devido aos padrões de mudança das chuvas. Eles dizem que deveríamos plantar mais árvores este ano e parar de queimar a selva. Os caramujos, cogumelos, ratos e esquilos voltarão em seguida. As plantas verdes surgirão para nós e as chuvas virão no momento certo para a estação de plantio. (Pausa) Por isso eu acho que precisamos plantar mais árvores. O que vocês acham? Vocês concordam com a minha sugestão?

Comunidade: Sim, nós vamos ajudar a restaurar a floresta. Entendemos que a destruição da floresta está causando todos esses problemas. Se isso vai resolver nossos problemas, vamos plantar mais árvores e parar de queimar a selva.

Música aumenta e depois termina.


Créditos:

Contribuição de Kwabena Agyei, Classic FM, Techiman, Gana.

Revisão de Judith de Wolf, Centro Internacional de Pesquisa sobre Agroflorestamento, Maláui.


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s