Legumes fazem seu próprio fertilizante, com ajuda dos seus amigos!

Material produzido pela Rádio Rural Internacional em 1° de março de 2007, como parte do pacote de informações n° 74.

Original em inglês disponível em: http://www.farmradio.org/radio-resource-packs/package-80/legumes-make-their-own-fertilizer-with-help-from-their-friends/.


Observações para as emissoras:

As plantas, como as pessoas e os animais, também necessitam de alimento. Nutrientes das plantas, tais como nitrogênio, fósforo e potássio, são necessários para o crescimento e desenvolvimento de árvores e plantas produtoras. Mas os pequenos agricultores africanos enfrentam um problema importante à medida que a fertilidade do solo cai com a produção contínua sem o reabastecimento dos nutrientes do solo. Os pequenos agricultores possuem poucas opções acessíveis que são compatíveis com o estado físico-químico do seu solo. Isso ocorre, em parte, porque o acesso dos pequenos agricultores a insumos como sementes melhoradas, fertilizantes e pesticidas foi reduzido em muitos países africanos após a remoção de subsídios sobre fertilizantes minerais e outros insumos agrícolas.

Uma opção para os agricultores é a adição ao solo de nutrientes (denominados alimentos para plantas no roteiro) utilizando esterco, composto ou fertilizantes naturais. Fontes biológicas de fertilidade ou biofertilizantes possuem o potencial de aumentar o rendimento de legumes e das plantas que os seguem em rotação, reduzindo ainda o uso de fertilizantes químicos de nitrogênio. Eles também são muito mais acessíveis que os fertilizantes sintéticos.

Você poderá desejar suplementar este roteiro adicionando uma entrevista ou uma discussão após o programa com um agricultor local ou trabalhador de extensão rural que conheça bem os benefícios das bactérias Rhizobium e dos biofertilizantes.

Roteiro:

Personagens:

  • Apresentador
  • Tomate, um personagem jovial e brincalhão
  • Feijão, sofisticada e articulada, olha de cima para o Sr. Tomate
  • Rhizobium, direto e articulado

Apresentador:

Bem-vindo ao nosso programa. Muitos agricultores estão enfrentando problemas com a queda da fertilidade do solo. Mas não seria bom se os seus produtos pudessem falar direto com você e contar exatamente o que eles precisam? E se o seu solo também pudesse falar? O que você acha que ele diria? (Pausa) Bem, todos nós sabemos que as plantas e o solo, na verdade, não podem falar; pelo menos, não em português. Mas hoje, usando a mágica do rádio, vamos trazer a você uma entrevista com duas plantas muito importantes e um convidado muito especial, que você irá ouvir mais tarde no programa. Por isso, fique ligado – hoje você irá ouvir notícias importantes.

Intervalo musical de dez segundos, depois fade-out e fim.

Apresentador:

As plantas, como os seres humanos, precisam de boa comida. Mas vocês já ouviram uma planta falar o que ela precisa comer? Hoje temos o privilégio de ter dois convidados especiais nos nossos estúdios. Bem-vindos, Sr. Tomate e Sra. Feijão.

Sr. Tomate:

É muito bom estar aqui. E obrigado pela água para minhas raízes (riso abafado).

Sra. Feijão:

Obrigada pelo convite.

Apresentador:

Começarei com o Sr. Tomate. Pode dizer o que o Sr. precisa para ser forte e saudável?

Sr. Tomate:

Bem, todos sabemos que eu gosto muito de beber (rindo). Sim, eu preciso de muita água. Mas não vou falar sobre isso hoje. Vou direto ao assunto. Estes são os tipos de alimento de que preciso para ser grande e saudável. Os três alimentos para plantas mais importantes de que preciso no solo são nitrogênio, fósforo e potássio. Sei que todos os solos têm um pouco desses três alimentos. Mas, para falar a verdade, muitos dos solos em que estive ultimamente estavam muito fracos.

Apresentador:

Eu pensei que todos os solos contivessem esses alimentos.

Sr. Tomate:

Mais devagar, (meu/minha) jovem. Sabemos que as plantas produtoras necessitam absorver alimentos para plantas do solo. E também sabemos que esses alimentos são consumidos sempre que uma planta produtora é cultivada, especialmente quando nenhum fertilizante é adicionado para reposição. Mesmo quando esses alimentos para plantas estão no solo, nem sempre eles estão disponíveis para comer. Por exemplo, existe muito fósforo no solo que eu não posso usar porque não consigo digerir. E há muito nitrogênio no ar… (pausa) mas não vou ocupar todo o tempo, Sra. Feijão – a Sra. pode contar tudo sobre nitrogênio mais tarde.

Sra. Feijão:

Obrigada. Será um prazer.

Apresentador:

Estamos ansiosos para isso, Sra. Feijão. Sr. Tomate, o Sr. tem algum conselho para os agricultores sobre como garantir que o seu solo contenha alimentos para plantas suficientes para que sua lavoura cresça grande e saudável?

Sr. Tomate:

Bem, alguns agricultores usam fertilizantes sintéticos. Mas eles podem ser muito caros. Por isso, o que eu recomendo são biofertilizantes.

Apresentador:

Biofertilizantes? O que são biofertilizantes?

Sr. Tomate:

Biofertilizantes são fontes naturais de alimentos para plantas; coisas como esterco, composto, adubação verde e assim por diante. Você pode usar resíduos de safras, lixo da cozinha e todo tipo de coisas para fabricar biofertilizantes. De fato, embora eu adore um bom gole de água mais do que tudo no mundo (riso abafado), um bom composto é minha comida favorita.

Apresentador:

Então os biofertilizantes fornecem nitrogênio, fósforo e potássio?

Sr. Tomate:

Isso e muito mais! Eles também fornecem todo tipo de outros alimentos para as plantas – coisas como cálcio, magnésio e outros alimentos de que preciso em quantidades menores, como manganês, cobre, ferro e zinco. Os compostos também ajudam o solo a reter muita água. E você sabe como eu gosto disso (rindo)!

Apresentador:

Obrigado, Sr. Tomate. E agora, eu gostaria de ouvir mais sobre nitrogênio com a Sra. Feijão.

Sra. Feijão:

Bem, vou começar informando que sou um tipo de planta muito especial. Eu sou um legume. Os legumes têm talentos muito especiais.

Apresentador:

Que espécie de talentos especiais?

Sra. Feijão:

Bem, acho que o Sr. Tomate mencionou (tossindo como se não gostasse mesmo de pronunciar o seu nome) que há muito nitrogênio no ar.

Apresentador:

Certo.

Sra. Feijão:

O que ele não disse é que os legumes possuem o talento especial de poder remover esse nitrogênio do ar e transformá-lo em nitrogênio que as plantas podem usar.

Apresentador:

Verdade? Como vocês fazem?

Sra. Feijão:

É realmente muito simples (tossindo e iniciando uma palestra).Veja, uma única colher de chá de solo contém milhões de micro-organismos, como fungos e bactérias. A maioria desses micro-organismos é útil para a lavoura e para o agricultor. Alguns deles vivem junto com as raízes das plantas em um tipo de parceria.

Apresentador:

A Sra. pode dar um exemplo?

Sra. Feijão:

Certamente. Por exemplo, existem pequenos caroços nas minhas raízes chamados nódulos. Um tipo muito especial de bactéria, chamada bactéria Rhizobium, vive nesses nódulos. É o trabalho dessa bactéria fabricar nitrogênio. Então, este é o acordo que fizemos: a bactéria fabrica o nitrogênio e eu dou à bactéria um lugar para viver: o nódulo. Eu também forneço carbono e energia, que ajudam a bactéria a fabricar o nitrogênio.

Apresentador:

Então o feijão tem um relacionamento especial com essas bactérias?

Sra. Feijão:

Não apenas o feijão, mas todos os tipos de legumes. Guandus, amendoins, amendoins bambara, Leucana, acácia, trevo… Há muitos tipos de legumes, arbustos e árvores. E quase todos eles têm essa parceria com as bactérias.

Apresentador:

Eu tenho uma pergunta, Sra. Feijão. Se eu fosse um agricultor, como saberia que um legume está absorvendo nitrogênio do ar e colocando em um nódulo?

Sra. Feijão:

Bem, eu poderia responder a essa questão, mas acho que está na hora de apresentar nosso convidado muito especial.

Apresentador:

Sim, acho que está na hora. Obrigado, Sra. Feijão. Sr. Rhizobium, bem-vindo ao nosso programa. Poderia falar um pouco mais sobre o Sr.?

Sr. Rhizobium:

Certamente. Eu sou uma bactéria. Para ser mais preciso, sou uma bactéria Rhizobium. Como disse minha fiel parceira, a Sra. Feijão, eu absorvo nitrogênio do ar e o transformo em nitrogênio útil dentro do nódulo que ela tão gentilmente me fornece.

Apresentador:

Como um agricultor sabe se um legume está absorvendo nitrogênio do ar e o transformando no nódulo?

Sr. Rhizobium:

É muito simples. Os nódulos podem ser vistos facilmente sobre as raízes de árvores e plantas produtoras. É muito fácil vê-los na época da floração. Os bons nódulos são carnudos. Se você os abrir, eles são rosados, vermelhos ou, às vezes, pretos. Nódulos murchos, pequenos, verdes ou brancos não estão trabalhando bem. Eles não estão criando nitrogênio muito bem.

Apresentador:

Então, o que o agricultor pode fazer se um legume não estiver fixando nitrogênio?

Sr. Rhizobium:

Se o legume não estiver fixando nitrogênio, muitas vezes é porque você não possui o tipo certo de bactéria no solo. Veja bem, certas plantas têm melhor relacionamento com certos tipos de bactéria do que outras.

Apresentador:

O que o agricultor pode fazer neste caso?

Sr. Rhizobium:

A melhor solução é usar um inoculante.

Apresentador:

Mas o que é um inoculante?

Sr. Rhizobium:

Um inoculante é um produto que contém diferentes tipos de bactérias. Você encontra inoculantes em algumas lojas de produtos agrícolas, nos Ministérios da Agricultura ou em universidades ou estações de pesquisa. Eles são bastante acessíveis. Normalmente, os inoculantes são misturados com turfa e vêm em uma embalagem com instruções de uso.

Apresentador:

Bem, este parece ser um bom final para a nossa entrevista. Vamos resumir o que ouvimos. Aprendemos que as plantas necessitam de alimento para plantas do solo e que os biofertilizantes são uma forma eficaz e acessível de agregar esses alimentos ao solo. E aprendemos sobre a relação especial entre legumes e as bactérias que vivem em nódulos sobre as suas raízes (pausa). Gostaria de agradecer a todos os nossos convidados por nos atenderem hoje.

Sr. Tomate:

Obrigado. Posso tomar mais um gole de água (rindo)?

Sra. Feijão:

Foi um prazer estar com vocês aqui hoje.

Sr. Rhizobium:

Obrigado pela oportunidade de falar a vocês.

Apresentador:

Obrigado a todos os ouvintes e até logo.

Créditos:

Contribuição de Vijay Cuddeford, editor gerente, Rede de Rádio Agrícola para os Países em Desenvolvimento.

Revisão: Anthony Anyia, Fisiologista Pesquisador Vegetal, Conselho de Pesquisa de Alberta, Canadá.

Fontes de informação:


A Rádio Rural Internacional (Farm Radio International) é uma organização canadense sem fins lucrativos dedicada a apoiar emissoras de rádio em países em desenvolvimento para fortalecer comunidades rurais e a agricultura em pequena escala.

Segundo a organização, o material da Rádio Rural Internacional pode ser copiado ou adaptado para distribuição gratuita ou a preço de custo, com crédito para a Rádio Rural Internacional e para as fontes originais.

Esta versão em português é um trabalho voluntário, independente da organização e oferecido gratuitamente para as emissoras de rádio dos países de língua portuguesa. O texto foi traduzido para o português do Brasil, mas pode ser adaptado com facilidade para o português falado em outras partes do mundo (para dúvidas sobre os termos empregados, utilize o formulário de contato em https://radioruralportugues.wordpress.com/creditos-e-contato/).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s